Sexta-feira Santa é feriado? Direitos de quem trabalha nesse dia

Entenda se a Sexta-feira Santa é considerada feriado no Brasil! Quem trabalha nesse dia tem o direito de receber em dobro? Saiba tudo! Veja mais neste artigo!
Sumário
sexta-feira santa

Com a Semana Santa cada vez mais próxima, muita gente quer saber: será que a Sexta-feira Santa é considerada um feriado nacional? E, nesse sentido, os trabalhadores podem folgar nessa data?

Celebrada no mês de março, antecedendo o fim de semana da Páscoa, a Sexta-feira Santa tem um significado profundo para os cristãos. No entanto, é importante destacar que nem todos os trabalhadores têm direito à folga neste dia sagrado.

Para entender melhor quais são os direitos daqueles que trabalham na Sexta-feira da Paixão, é necessário considerar as leis trabalhistas e as determinações expressadas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

No artigo abaixo, vamos explorar a origem religiosa desta data, discutir se a Sexta-feira Santa é considerada feriado nacional ou ponto facultativo e esclarecer os direitos dos trabalhadores que atuam nesse dia.

Se você tem dúvidas sobre como a Sexta-feira Santa afeta o seu trabalho, continue lendo para saber mais sobre esse feriado religioso e os direitos que você tem como trabalhador. Veja se você tem direito à folga remunerada nessa data!

A origem da Sexta-feira Santa e sua relação com a Páscoa

A Sexta-feira Santa faz parte da celebração da Semana Santa, um período que antecede a Páscoa, de acordo com as religiões cristãs.

Na tradição do cristianismo, a Sexta-feira da Paixão marca a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no Calvário. Por isso, a data especial é marcada pelos teatros da “via-crucis”, mostrando o caminho que o messias percorreu desde sua condenação até a crucificação.

É um dia de reflexão e penitência para os fiéis. Em todas as regiões do Brasil, as igrejas ficam lotadas, e durante essa época, muitos cristãos trocam a carne pelo peixe.

A Páscoa, por sua vez, é a celebração da ressurreição de Jesus Cristo, que ocorre no domingo seguinte à Sexta-feira Santa. Ambas as datas são importantes para os cristãos e têm significados religiosos profundos.

A Sexta-feira Santa é feriado nacional ou ponto facultativo?

De acordo com o calendário oficial do governo, a Sexta-feira Santa é considerada feriado nacional no Brasil. No entanto, mesmo durante essa data, muitos serviços essenciais continuam funcionando.

Portanto, mesmo com a Sexta-feira Santa sendo considerada um feriado nacional em todo o Brasil, milhões de pessoas terão que trabalhar normalmente durante a data especial.

Estes trabalhadores, é claro, podem usufruir de direitos, garantias e compensações especiais relacionadas ao trabalho nos feriados.

Essa diferenciação ocorre porque alguns serviços essenciais, como saúde, segurança e transporte, podem funcionar normalmente mesmo em feriados.

Isso garante a continuidade dessas atividades e a prestação de serviços à população. Portanto, é essencial verificar as definições locais para saber se você terá folga ou se deve comparecer ao trabalho durante a Sexta-feira Santa.

Direitos dos trabalhadores na Sexta-feira Santa

De acordo com a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), o trabalho em feriados é proibido, salvo em atividades essenciais.

Isso significa que os trabalhadores têm o direito de folgar na Sexta-feira Santa, a menos que trabalhem em áreas como saúde, segurança, transporte, hospedagem, entre outras, que são consideradas atividades essenciais e podem funcionar normalmente nesse dia.

Caso sejam convocados para trabalhar, os funcionários têm direito a receber pagamento em dobro ou folga compensatória, conforme acordos coletivos de suas categorias.

É importante que os trabalhadores conheçam seus direitos e estejam cientes de que, mesmo em feriados, estão amparados pela legislação trabalhista, garantindo assim um equilíbrio e respeito à sua jornada e descanso.

Domingo de Páscoa é feriado nacional?

Ao contrário da Sexta-feira Santa, o domingo de Páscoa não é considerado feriado nacional. Normalmente, domingo é o dia do Descanso Semanal Remunerado (DSR), e desse modo, a possibilidade da Páscoa ser um feriado se torna irrelevante para a maior parte dos trabalhadores.

Sendo assim, cabe aos estados e municípios estabelecer se o domingo de Páscoa será considerado feriado ou ponto facultativo. Caso não haja uma determinação específica, aplicam-se as regras gerais de trabalho aos domingos.

Os trabalhadores que forem convocados para trabalhar nesse dia devem receber remuneração adicional, de pelo menos 50% a mais do valor da hora normal.

Nesse cenário, consultar acordos e convenções coletivas da categoria para verificar se há remuneração adicional específica para o trabalho no domingo de Páscoa é uma boa ideia para todas as pessoas que forem chamadas para trabalhar.

Falta justificada na Sexta-Feira Santa: Como funciona?

Se você for convocado para trabalhar na Sexta-feira Santa e não puder comparecer, é importante apresentar uma justificativa válida e comprovações adequadas para explicar a falta.

Caso contrário, você pode sofrer sanções, como advertência, suspensão e até mesmo demissão por justa causa.

Sendo assim, quais motivos podem ser apresentados para justificar a falta na Sexta-Feira Santa? Abaixo, mostramos algumas possibilidades previstas na CLT:

  • Doença ou acidente: Quando o empregado está doente ou sofreu um acidente e apresenta um atestado médico que comprove a incapacidade de trabalhar durante o período especificado pelo médico.
  • Licença maternidade ou paternidade: Durante o período de licença maternidade ou paternidade, conforme previsto na legislação, o empregado tem direito à ausência do trabalho sem prejuízo ao salário.
  • Falecimento de familiar: O falecimento de cônjuge, pais, filhos, irmãos ou outros familiares próximos pode justificar a falta no trabalho, desde que o empregado apresente documentação comprobatória.
  • Casamento: O casamento do empregado pode ser considerado motivo para falta justificada de até 3 dias consecutivos.
  • Doação de sangue: De acordo com a CLT, os doadores de sangue têm direito a uma falta justificada a cada 12 meses.
  • Consulta médica ou exames: Se o empregado precisar de uma consulta médica ou realizar exames de saúde durante o horário de trabalho, e não puder agendar em outro horário, a falta pode ser justificada com apresentação de comprovante da consulta ou dos exames.

E se eu faltar no trabalho na Sexta-Feira Santa?

Agora que você já sabe que a Sexta-feira Santa é feriado, chegou a hora de conferir o que pode acontecer com quem falta no serviço após ser convocado para trabalhar nesse dia.

Se um funcionário decidir faltar ao trabalho na Sexta-feira Santa sem uma justificativa válida, poderão ser aplicadas algumas consequências por parte da empresa.

Dessa forma, é importante respeitar as normas e políticas internas da empresa em relação às faltas e estar ciente das possíveis sanções em caso de ausência injustificada.

Algumas das consequências que podem ocorrer são:

  • Desconto no salário: A empresa tem o direito de descontar o dia não trabalhado na folha de pagamento do funcionário.
  • Advertências: Dependendo das políticas da empresa, faltas sem justificativas podem gerar advertências formais, registradas no prontuário do funcionário.
  • Suspensão: Em casos mais graves, a empresa pode suspender o funcionário sem pagamento durante um período determinado.
  • Demissão por justa causa: Caso a falta injustificada seja recorrente ou em desacordo com as normas internas da empresa, o empregador pode optar por demitir o funcionário por justa causa.

Por isso, é fundamental seguir as regras estabelecidas pela empresa e, caso seja necessário faltar ao trabalho na Sexta-feira Santa, garantir que haja uma justificativa válida para a falta, de acordo com as normas internas e a legislação trabalhista.

Regras para trabalhadores temporários e intermitentes na Sexta-feira Santa

Os trabalhadores temporários e intermitentes têm os mesmos direitos que os demais trabalhadores em relação à Sexta-feira Santa.

Portanto, os trabalhadores temporários e intermitentes podem folgar na Sexta-feira Santa sem qualquer problema. Em contrapartida, se forem convocados para trabalhar, devem receber todos os adicionais previstos na legislação brasileira.

Em termos mais práticos, eles devem ser tratados de acordo com as leis trabalhistas em relação à jornada de trabalho, horas extras e folgas.

Atenção! Também é importante observar se existem regras específicas estabelecidas nos contratos desses trabalhadores e analisar cada caso de acordo com suas particularidades.

Sexta-feira Santa para autônomos: MEI pode folgar?

Em via de regra, os trabalhadores autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) não têm direito à folga remunerada nos feriados. Afinal, o direito à folga em feriados é uma garantia da CLT, e as pessoas que trabalham por conta própria não são regidas por essa legislação.

Dessa forma, quem trabalha por conta própria, seja MEI ou não, não costuma folgar na Sexta-Feira Santa. Caso queiram se ausentar no trabalho em qualquer feriado, estes profissionais devem negociar o descanso diretamente com os contratantes e/ou clientes.

Se um trabalhador autônomo ou MEI deseja folgar na Sexta-feira Santa, geralmente tem a liberdade de fazê-lo, desde que possa organizar suas atividades de trabalho de maneira apropriada para compensar essa ausência.

No entanto, é importante considerar o impacto que essa decisão pode ter em seus clientes, negócios ou compromissos agendados.

É recomendável que os trabalhadores autônomos e MEIs comuniquem seus clientes ou parceiros comerciais sobre sua decisão de folgar na Sexta-feira Santa, garantindo que qualquer serviço ou compromisso agendado seja adequadamente gerenciado ou reagendado.

Semana Santa é feriado nacional?

Não. A Semana Santa não é considerada um feriado nacional no Brasil. Somente a Sexta-Feira Santa (que é celebrada em 2024 no dia 29 de março) garante aos trabalhadores o direito à folga remunerada.

Entretanto, algumas empresas costumam optar por dar folga aos funcionários durante a semana santa completa. Estas empresas, normalmente, estão relacionadas à fé cristã.

Além disso, instituições de ensino em todo o Brasil podem liberar os alunos durante esse período, o que também gera folgas adicionais para os funcionários.

Sob o mesmo ponto de vista, algumas faculdades transformam a quinta-feira que antecede a semana santa em ponto facultativo para os colaboradores.

Além da Sexta-feira Santa: Feriados em março

Atualmente, a Sexta-feira Santa é considerada o único feriado nacional no mês de março. Porém, existem feriados estaduais e municipais que também acontecem neste mês.

Estas datas comemorativas variam de acordo com cada região e podem incluir eventos históricos, religiosos ou culturais importantes para cada estado.

Sendo assim, é muito importante verificar se existem feriados estaduais planejados para o mês de março em sua região.

Veja abaixo os três feriados em março além da Sexta-Feira da Paixão:

  • 6 de março: Data Magna do Estado de Pernambuco (celebrado somente no estado de Pernambuco)
  • 19 de março: Dia de São José (celebrado no Ceará e no Amapá)
  • 25 de março: Data Magna do Ceará (celebrado no Ceará).

Como você pode perceber, todos estes feriados já foram celebrados em março de 2024. Logo, a Sexta-Feira Santa se torna o último feriado do mês, além de ser o único nacional.

Próximo feriado após a Sexta-Feira Santa

Depois da Sexta-Feira Santa, os brasileiros terão que esperar até o dia 21 de abril pelo próximo feriado nacional. Nesta data, é celebrado o Dia de Tiradentes, o mártir da Inconfidência Mineira.

Infelizmente para os trabalhadores, o Dia de Tiradentes 2024 cai em um domingo. Portanto, muitas pessoas perderão a oportunidade de folgar na data especial.

O próximo feriado que cai em um dia útil, nesse sentido, é o Dia do Trabalho. Celebrado em 1 de maio, o feriado cai em uma quarta-feira em 2024.

sexta-feira santa

Posteriormente, teremos também o ponto facultativo de Corpus Christi (30 de maio, quinta-feira), o feriado da Proclamação da República (15 de novembro, sexta-feira), o Dia da Consciência Negra (20 de novembro, quarta-feira) e o Natal (25 de dezembro, quarta-feira).

Já os feriados da Independência do Brasil (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro) caem todos no sábado em 2024.

Por fim, já sabendo que a Sexta-feira Santa é feriado, e entendendo as regras para quem vai trabalhar no feriado, você poderá se planejar para aproveitar ao máximo a sua folga.

FAQ

A Sexta-feira Santa é considerada feriado?

Sim, a Sexta-feira Santa é considerada feriado nacional no Brasil.

Qual é a origem da Sexta-feira Santa e qual sua relação com a Páscoa?

A Sexta-feira Santa marca a crucificação de Jesus Cristo e sua morte no Calvário. A Páscoa é a celebração da ressurreição de Jesus Cristo, que ocorre no domingo seguinte à Sexta-feira Santa.

A Sexta-feira Santa é feriado nacional ou ponto facultativo?

A Sexta-feira Santa é considerada feriado nacional no Brasil, mas cabe aos estados e municípios determinar se será considerada feriado ou ponto facultativo em sua região.

Quais são os direitos dos trabalhadores na Sexta-feira Santa?

O trabalho em feriados é proibido, salvo em atividades essenciais. Os trabalhadores têm o direito de folgar na Sexta-feira Santa, e caso sejam convocados para trabalhar, têm direito a receber pagamento em dobro ou folga compensatória, de acordo com acordos coletivos.

O domingo de Páscoa é considerado feriado?

O domingo de Páscoa não é considerado feriado nacional. Cabe aos estados e municípios determinar se o domingo de Páscoa será considerado feriado ou ponto facultativo.

Quais são as justificativas para faltar ao trabalho na Sexta-feira Santa?

É necessário apresentar uma justificativa válida, com comprovações adequadas, para explicar a falta no trabalho na Sexta-feira Santa. Caso contrário, o funcionário pode sofrer sanções, como advertências e suspensão.

Quais as consequências de faltar ao trabalho na Sexta-feira Santa?

Caso o funcionário falte ao trabalho na Sexta-feira Santa sem uma justificativa adequada, a empresa pode aplicar sanções, como desconto no salário ou até mesmo demissão por justa causa.

Quais são as regras para trabalhadores temporários e intermitentes na Sexta-feira Santa?

Os trabalhadores temporários e intermitentes têm os mesmos direitos que os demais trabalhadores em relação à Sexta-feira Santa. Eles devem ser tratados de acordo com as leis trabalhistas em relação à jornada de trabalho, horas extras e folgas.

Acesse o site da Genyo para conferir como uma gestão eficiente de ponto eletrônico digital pode revolucionar o RH da sua empresa e facilitar o controle de feriados e pontos facultativos!

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

Compartilhe este artigo

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog