Turno Rotativo: As principais informações para a sua empresa crescer

O turno rotativo é uma possibilidade de escala para a empresa. Vamos aprender e alcançar o sucesso da empresa como um todo?! Veja mais neste artigo!
Sumário

Distribuir e organizar os funcionários de uma grande empresa é uma tarefa complicada, sobretudo quando esta não interrompe o fluxo de produção ou atendimento. No entanto, é possível realizar isso sem que um grupo não seja prejudicado por meio do turno rotativo.

Vamos imaginar que determinada empresa estipule uma escala de atuação para trabalho, nela, um “grupo A” fica responsável por suprir as demandas das 7 horas até 15 horas, o próximo, “grupo B” corresponde ao horário de 15 horas até 23 horas e o “C” das 23 horas até as 7 horas.

Nesse sistema, os grupos trabalham em horários fixos e, especialmente, os grupos A e C acabam sendo os menos vantajosos para o trabalho já que o horário insalubre surge nessas equipes.

Mas como ser justo e não comprometer o desenvolvimento da rotina laboral? A qualidade de vida no trabalho pode ser alcançada e o turno rotativo é um grande aliado para a empresa que não pode interromper suas atividades sem que haja prejuízo aos colaboradores.

Dessa forma, abordaremos sobre essa temática e as principais informações que a envolve, como a definição do turno rotativo, os tipos existentes, a diferença com o turno de revezamento, o que a legislação fala sobre isso e como organizar essa modalidade de turno da forma correta.

Se interessou? Então vamos lá!

O que é um turno rotativo?

O turno considerado rotativo, como o próprio nome já informa, é aquele que possui uma rotatividade de horários, de modo que o trabalhador não tenha um turno fixo ao longo do mês. Desse modo, o colaborador acaba desempenhando suas atividades em horários diferentes ao longo do mês, inclusive aos fins de semana e feriados.

Isso quer dizer que o colaborador pode trabalhar pela manhã, pela tarde e pela noite, incluindo dias que não sejam úteis. No entanto, todas as informações são ajustadas e informadas no ato da assinatura do contrato e da carteira de trabalho.

O objetivo do turno rotativo

Na escala conhecida como “zero hora”, ou seja, aquela em que os funcionários trabalham pela noite, poucas são as pessoas que gostariam de estar nela por livre e espontânea vontade.

Por isso, o objetivo do turno rotativo é distribuir esse turno entre os colaboradores, de modo que ninguém se torne fixo nesses horários, mas também sem deixar que a rotina e demandas fiquem sem nenhuma assistência.

A importância do turno rotativo

O ciclo de turno permite que um grupo não concentre suas necessidades apenas no trabalho noturno, mesmo que sejam apenas administrativas.

Dessa forma, a saúde do trabalhador será atendida e colocada como prioridade, já que a privação do sono traz impacto negativo à saúde, de modo a diminuir a imunidade, concentração e aumentar a probabilidade do surgimento de dores, sobretudo na cabeça.

Ademais, o período da noite é reconhecido pelo organismo humano como aquele em que precisamos estar dormindo, já que hormônios, como a melatonina, apenas conseguem ser secretados quando se está dormindo.

Quando isso não ocorre, além da ausência de concentração e dores mencionadas anteriormente, o indivíduo pode sofrer com alterações de humor, irritabilidade, perda de memória recente e da criatividade.

Além disso, estudos comprovam que noites perdidas a longo prazo estão diretamente relacionadas com doenças cardíacas, diabetes, e doenças crônicas.

No entanto, intercalar os turnos noturnos com uma escala rotativa diminui a exposição do funcionário a esse horário insalubre de trabalho, melhorando assim a sua qualidade de vida e de trabalho.

Quais são os tipos de turno rotativo?

Gerenciar o capital humano de uma empresa é sem dúvidas umas das principais atribuições do setor de Recursos Humanos, afinal, é por meio dele que tudo na organização será desenvolvido.

Por isso, precisa-se saber perfeitamente as opções, de modo a escolher a que mais se aplica para o negócio desenvolvido.

Dessa forma, pode-se classificar os turnos rotativos em:

  • Turno duplo ou dois turnos;
  • Três turnos;
  • Rotação natural,

Turno duplo ou dois turnos

O turno duplo, ou também conhecido como dois turnos, é bem aplicado entre as empresas. Certamente você, ou alguém próximo já trabalhou nesse ritmo. Quem tem a escala organizada assim, normalmente trabalha de segunda a sexta.

No entanto, algumas empresas precisam de funcionários aos sábados, estipulando meio turno para este caso.

O turno em questão, normalmente, funciona com o colaborador atuando em dois turnos, sendo eles o mais comum pela manhã e pela tarde. No entanto, o turno rotativo inclui a pessoa trabalhar pela manhã e tarde em uma escala, e depois migrar para tarde e noite posteriormente e assim por diante sem abalar a estrutura organizacional.

Três turnos

Assim como o anterior, este turno também segue a lógica. Nele, a pessoa trabalha por 3 turnos seguidos, normalmente acontecendo de segunda a sexta ou de segunda a domingo.

Empresas que adotam esse tipo de turno normalmente atuam durante boa parte do dia, não apenas em horário comercial, por conta da demanda e pela exigência de permanecer em alta produtividade.

Rotação natural

Por fim, a rotação natural, também chamada de rotação inversa, é quando o colaborador atua pela manhã, pela tarde e pela noite ou o inverso, noite, tarde e manhã.

Todas essas possibilidades precisam ser analisadas, nesse caso o negócio precisa pensar em como ser mais produtivo sem deixar de olhar para o funcionário com atenção e responsabilidade. Afinal, a saúde precisa ser levada em consideração na estrutura da rotina.

Qual a diferença entre turno rotativo e turno de revezamento?

Turno rotativo
“Foto: designs de Natee Meepian’s Images”.

Diferente do turno rotativo, o turno de revezamento não possui o mesmo conceito e vamos entender agora o motivo disso.

Vamos relembrar, primeiramente, que o turno rotativo possui em sua organização um tempo de início e fim, essa modalidade pode mudar ao longo das semanas ou meses.

No entanto, o turno de revezamento ocorre de forma diferente, isso porque neste caso a empresa que o aplica atua em constante produção ou atividade, ou seja, funciona durante as 24 horas do dia.

Neste caso, o funcionário que trabalha em escala de revezamento exerce suas atividades laborais dentro de expedientes  e rotinas de trabalho mais flexíveis. Dessa forma, sua ida ao trabalho ocorre em dias e horários que alternam toda semana ou em determinado espaço de tempo previamente.

No entanto, é possível perceber que existem escalas mais comuns de revezamento, como a 4 x 2, 4 x 3, 5 x 2, 6 x 1, 12 x 36, 18 x 36, 24 x 48 e entre outras.

Além disso, a finalidade dessa outra possibilidade de turno é fazer com que o fluxo de trabalho ocorra de forma contínua, ou seja, como dito anteriormente, permaneça sem que haja pausas.

Dessa forma, hospitais, fábricas e grandes indústrias podem permanecer atuando sem que haja prejuízos de atendimento e produção.

O que a legislação fala sobre o turno rotativo?

Antes que muitos fiquem surpresos pela experiência mais frequente do horário comercial, o turno rotativo está sim previsto em lei. Trabalhar na escala rotativa é legal e previsto na CLT, mas ainda assim é preciso estar atento para que não haja falhas da parte da empresa e também do funcionário.

A título de respaldo, as empresas e os colaboradores precisam entender o inciso XIV do Artigo 7 da Constituição Federal de 1988. Neste texto, é possível entender o principal direito de quem visa trabalhar nessa modalidade, ou para a empresa que gostaria de que seus funcionários atuem dessa forma no dia a dia.

O Art. 7 não direciona o texto para trabalhadores de turno rotativo, afinal, ele inclui trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social”.

No entanto, seu inciso XIV informa que existe um limite de 6 horas para o trabalho realizado em turnos de revezamento, também incluso os rotativos, salvo aqueles acordados em convenções coletivas de trabalho.

Como ocorrem as folgas em turno rotativo?

Ainda trazendo a legislação como base, os funcionários que trabalham em turno rotativo podem ter contato com o horário de trabalho em domingos, isso quer dizer que eles possuem direito de ter “descanso semanal de 24 (vinte e quatro) horas consecutivas” segundo o Artigo 67 do Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943.

No entanto, muitas empresas adotam turnos em que o funcionário trabalha durante 7 dias, intercalando entre manhã e tarde, tarde e noite e por fim noite e madrugada. Após essa rotina, o funcionário permanece de folga por 5 dias e após isso retoma ao ciclo.

Adicional noturno

Além de folga para quem possui atividades laborais aos domingos, quem trabalha de madrugada também precisa de um bônus. Neste caso, sobretudo para quem trabalha entre as 22 horas e as 5 horas da manhã, é necessário receber o adicional de trabalho noturno.

A atividade noturna é insalubre e precisa ser remunerada de forma a mais do que o simples salário, afinal, seria o horário em que todos deveriam estar dormindo.

Além de fábricas e indústrias, o mesmo acontece para funcionários em hospitais, que precisam trabalhar e atender pacientes. Não apenas médicos, mas as atividades administrativas também precisam continuar nesse horário.

Como organizar um turno rotativo da forma correta?

Sobretudo para grandes empresas, organizar a escala dos funcionários não é uma tarefa fácil, muito pelo contrário. Uma empresa considerada grande é aquela que possui aproximadamente 500 pessoas no setor industrial.

Realizar a escala manual de todas essas pessoas é uma tarefa impossível, por isso adotar um controle por meio de software que possa montar as escalas da melhor forma é o ideal.

Assim, as férias, folgas, feriados e todas as datas importantes para a empresa serão programadas de um único jeito: prático.

No entanto, é preciso entender outros pontos necessários para implementar isso em uma empresa:

Escolha um bom time

Para que o seu turno rotativo funcione, você precisa de pessoas alinhadas e dedicadas com a função. Além disso, a cultura organizacional precisa estar diretamente atrelada com os valores e metas individuais dos funcionários.

Imagine uma pessoa dedicada com o seu trabalho, que se preocupa com o fluxo de produção e que realmente sente o seu trabalho fazendo diferença para a empresa e sociedade. Esse indivíduo não irá deixar de cumprir suas responsabilidades.

Diferente daquele que não possui esse perfil, afinal, atrasar ou faltar implica em o funcionário que estava operando dobrar o turno e ficar mais cansado, prejudicando tudo e todos.

Valorize sua equipe

Não se pode esperar dedicação da qual o tópico anterior trouxe sem que parta da empresa a valorização profissional. No entanto, não é apenas o salário considerado “excelente” aos olhos do trabalhador, mas também observar e valorizar a resiliência emocional que os funcionários possuem.

Quando uma equipe vai mal, isto é reflexo de uma má gestão, organização ou valorização dos próprios funcionários. Nesse sentido, não é interessante culpar a equipe ou aumentar a rotatividade de colaboradores, um bom líder reconhece seus erros e tenta salvar seu grupo.

Dessa forma, atividades que priorizam a saúde física, mental e o bem estar de todos são necessárias para um bom turno rotativo, já que estas pessoas enfrentam horários desagradáveis ao longo da jornada de trabalho.

Opte por um bom sistema de ponto eletrônico

Uma simples escolha pode fazer a diferença na logística da sua empresa, afinal, o ponto eletrônico configurado em software de inteligência não apenas registra o horário em que um funcionário entra e sai da empresa.

Nesse quesito, o aplicativo pode fazer muito pelo seu RH e otimizar o tempo de uma equipe inteireza, já que atividades manuais podem virar automatizadas de forma simples e rápida.

Felizmente, programas assim podem organizar as férias, turnos e folgas sem que ninguém saia prejudicado nisso. Além de tudo, ser um sistema de ponto eletrônico ainda garante a brevidade que toda empresa quer, já que a escala do ano inteiro pode ser ajustada no fim do ano anterior.

O Genyo como estratégia de negócio

No tópico anterior foi possível perceber o quanto uma boa plataforma de registro de ponto inteligente pode fazer pela sua empresa. Dessa forma, o software de controle de ponto do Genyo pode fazer tudo isso e muito mais, já que os benefícios são inúmeros tanto para o contratante como para o contratado!

Além disso, o sistema é transparente e você consegue entender como ele funciona de forma prática, demandando pouco tempo para implementação.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog