Estrutura organizacional funcional: descubra o que é e qual o melhor tipo para a sua empresa

Você já ouviu falar em estrutura organizacional funcional? Entenda como funciona e a importância em aplicar na sua empresa. Veja mais neste artigo!
Sumário
estrutura organizacional funcional

Ao se falar em estrutura organizacional funcional, qual a primeira ideia que vem em sua mente? Provavelmente, a primeira relação que você faça seja com algum organograma empresarial que talvez já tenha visto em corporações, por exemplo.  Ou ainda, você tenha a ideia de que organograma é algo sem tanta utilidade atualmente.

O conceito de estrutura organizacional, ao contrário do pode parecer, não é nada tão abstrato, mas sim, uma ferramente de grande importância nas corporações. Afinal, conseguir estabelecer como uma corporação se organiza é fundamental para direcionar o seu funcionamento para conseguir obter bons resultados.

Assim, a estrutura organizacional de uma corporação típica tem o formato de uma piramides na qual os chefes e diretores se localizam na parte superior, com linhas estendidas para baixo até a gerência e, por fim, até o nível dos colaboradores. Todavia, não necessariamente toda estrutura organizacional de uma empresa necessita ter esse formato.

Atualmente, já existem inúmeros tipos de estruturas com formas e assuntos variados que auxiliam na organização, visualização e planejamento na corporação, como veremos durante a leitura do texto.

Somado a isso, ainda é possível que essa estrutura seja desenhada gradativamente e de forma espontânea. Isso é algo que tende a ocorrer com negócios que se originam sem muito planejamento e crescem gradativamente. Porém, até mesmo para esse tipo de negócio começar a investir em uma estrutura organizacional de qualidade desde o início é fundamental.

Desse modo, independente do tamanho da sua empresa ou negocio, saber desse assunto é muito importante. Portanto, nós da equipe Genyo preáramos esse artigo com tudo o que você precisa saber sobre a estrutura organizacional.

Ao longo do texto você irá entender o que é, quais são as classificações, quais são os tipos de estrutura, qual a importância de aplicar em sua organização, e muito mais! Portanto, pegue o seu papel e caneta par não deixar nenhuma informação importante passar.

O que é estrutura organizacional?

O conceito de estrutura organizacional consiste em uma maneira de arrumar e coordenar as tarefas e atividades de uma empresa, negocio ou organização. Ela estabelece as relações hierárquicas entre os funcionários e as áreas da empresa, além de determinar como a informação é compartilhada e como todas as grandes e pequenas decisões são tomadas.

Assim, uma estrutura organizacional de qualidade e eficaz pode ajudar na contribuição para o sucesso de uma corporação, permitindo que ela seja mais ágil e responsiva as mudanças e demandas tanto no mercado como no ambiente empresarial.

Somado a isso, essa estrutura pode ser representada graficamente por meio de um organograma, o qual tem o objetivo de representar todas as áreas e setores da empresa, seus cargos, atribuições e responsabilidades. O organograma também é responsável por indicar como as diferentes áreas se relacionam entre si, assim facilita a percepção de quem reporta para quem e quem é responsável por tais atividades.

Atualmente, já existem variados tipos de estrutura organizacional; por isso, é importante conhecer todas para conseguir identificar qual é a mais adequada para os objetivos de sua empresa. A estrutura funcional é a mais conhecida, na qual as tarefas são agrupadas conforme a sua função, como finanças, produção e vendas. Outros tipos de estrutura existentes são em linhas, em rede e a matriarcal, como veremos mais adiante.

Ademais, essa ferramenta quando bem estruturada também consegue oferecer inumares vantagens, como a melhora no clima organizacional, promoção da imagem da empresa, aumento da produtividade, melhoria da comunicação, definição clara das responsabilidades, entre outros.

Com ela, também é possível que o processo da empresa de se adaptar a mudanças seja facilitado, pois a tomada de decisões podem ser realizadas de forma mais ágil, clara e eficiente. No entanto, como todas as ferramentas empresariais, essa também pode trazer algumas desvantagens quando não administrada de maneira correta.

Uma estrutura muito rígida pode limitar a criatividade e inovação dos membros, além de possibilidade de não conseguir responder rapidamente a mudanças no ambiente de negócios, por exemplo. Somado a isso, uma estrutura extremamente hierárquica consegue dificultar a comunicação e a colaboração entre os funcionários de diferentes áreas da corporação.

Estrutura organizacional formal e informal

Agora que já vimos o conceito de estrutura organizacional, precisamos explicar quais os dois tipos de classificações. Existem duas formas principais de estrutura organizacional: a forma e a informal.

A estrutura organizacional formal é aquela determinada pela alta gerência da corporação, é ilustrada por meio de um organograma. As posições, responsabilidades e hierarquia são estritamente definidas e as comunicações são mais facilitadas e estabelecidas conforme a cadeira de comando.

Assim, nessa classificação os funcionários têm papéis bem definidos e existe um sistema de gerenciamento de desempenho capaz de monitorar a eficácia e eficiência das tarefas e de cada membro. Esse modelo de estrutura é muito usual em empresas de grande porte como corporações, governos e organizações não governamentais, como as ONGs, por exemplo.

Já a estrutura organizacional informal, por outro lado, é constituída basicamente pela cultura da empresa e interações e relacionamentos pessoais no ambiente de trabalho. Ela se desenvolve naturalmente e não é formalmente estabelecida. Essa estrutura é mais comum em pequenas empresas ou organizações com uma equipe de trabalho reduzida.

Nesse tipo de classificação, a comunicação é mais aberta e direta, e os colaboradores têm mais autonomia para tomar decisões. A hierarquia não é rígida e as pessoas tendem a trabalhar em equipe e ajudar reciprocamente.

Somado a isso, é preciso destacar que ambas as classificações têm os seus pontos prós e contras. No caso da estrutura formal, apesar de ser mais recomendada para empresas de grande porte, pois, assegura a execução de atividades de forma mais consistente, um ponto contra é a burocracia.

Justamente por ser um grande negócio, a burocracia pode levar a processos mais lentos e menos flexibilidade, tornando complicado para essas empresas terem respostas imediatas a mudanças no mercado. Já no caso da estrutura informal, apesar de permitir maior agilidade e flexibilidade, ela pode acabar levando a alguns conflitos por conta da estruturação mais rasa sobre quem é responsável por quais atividades.

Tipos de estruturas organizacionais

estrutura organizacional funcional

Como já mencionado anteriormente, existem vários tipos de estruturas organizacionais que uma empresa pode adotar para conseguir melhor gerenciar e organizar o seu negócio. Assim, cada tipo de estrutura tem o seu prorpio objetivo, vantagens e desvantagens e por isso, é de suma importância que os gestores tenham o conhecimento de cada um desses tipos para escolherem assertivamente qual melhor se encaixa no perfil de sua empresa.

Desse modo, confira a seguir quais são os cinco principais tipos de estruturas organizacionais e como cada uma funciona:

Estrutura funcional

Como o prorpio nome já sugere, é uma estrutura organizacional que se basei em funções, ou seja, as tarefas são agrupadas por especialidades, como marketing, finanças, recursos humanos e produção. Desse modo, cada departamento fica responsável por uma dessas funções mais específicas e reporta-se a um gerente funcional. Esse modelo é mais indicado para empresas com produtos ou serviços padronizados.

Na classificação funcional, os departamentos são formados por membros que falam a mesma língua, ajudando na melhor comunicação dentro de cada área. Além disso, a especialização é mais valorizada, os níveis hierárquicos são bem definidos, contribuindo para cada colaborador conseguir visualizar qual é o próximo degrau a atingir.

Estrutura divisional

Nesse segundo modelo, as tarefas são agrupadas baseadas nos serviços, produtos ou regiões geográficas oferecidas pela empresa. Cada divisão funciona como uma empresa separada, ou seja, cada grupo tem a sua própria equipe de gerenciamento e departamentos de suporte como finanças e recursos humanos. Essa estrutura é muito indicada para corporações que detêm de várias linhas de produtos espalhadas pelo país.

Desse modo, esse modelo assegura uma maior autonomia para cada unidade, o marketing é pensado conforme o mercado de atuação de cada unidade e as tomadas de decisões são mais independentes, permitindo uma resposta mais rápida ao cliente.

Estrutura matriarcal

A estrutura matriarcal é um tipo de estrutura que se relaciona muito com as características das estruturas funcional e divisional. Pois ela permite que a corporação volte o foco para projetos específicos, com uma equipe dedicada para cada projeto, é adequada principalmente para aquelas empresas que trabalham com projetos mais complexos e de longo prazo.

Assim, essa estrutura planeja satisfazer ambas as necessidades: de coordenação e de especialização. Desse modo, ela visa obter o maior rendimento possível.

Estrutura em rede

A estrutura organizacional em rede se concentra principalmente em sua competência central e terceiriza a maioria das atividades para outras corporações ou organizações. Esse modelo é bastante indicado para as empresas que precisam ser ágeis e flexíveis como as de tecnologia.

Ademais, essa é uma estrutura organizacional em que permite a concentração de funcionários em estilo home office, a ligação de cada serviço com a organização ocorre de forma eletrônica. Por esse motivo, as concentrações podem vir de qualquer parte do mundo.

Estrutura halocrática

Por último, mas não menos importante, essa é uma estrutura organizacional no qual o poder é distribuído igualmente entre todos os funcionários, sem nenhum tipo de hierarquia ou gerentes. Cada colaborador tem autonomia para tomar decisões e trabalhar em projetos fundamentais para a corporação. Assim, esse tipo estrutural é muito indicado para aquelas empresas que almejam incentivar a inovação e a colaboração.

Qual a importância da estrutura organizacional?

Após o esclarecimento de todas essas informações ficou claro que a estrutura organizacional é de suma importância para empresas que desejam crescer, de forma organizada, eficiente e produtiva. Isso independe do tamanho do negócio, se é grande ou pequeno.

Qualquer estabelecimento pode fazer uso dessa ferramenta para conseguir visualizar todos os aspectos organizacionais, desde as tarefas de cada membro até o controle do que está acontecendo em cada setor, como o financeiro e de recursos humanos.

Visto isso, confira a seguir quais são os principais benefícios de adotar essa ferramenta organizacional:

Aumento da produtividade

Quando uma empresa começa a investir na estrutura organizacional, é certo que a sua produtividade irá aumentar gradativamente.

Isso se dá pelo fato de que quando os funcionários percebem que a organização se preocupa em investir na organização pessoal de cado um, eles se sentem mais valorizados e enxergados. Sentem que não são vistos apenas como ferramentas.

A partir disso, os colaboradores se sentem mais motivados em se dedicar mais nas suas tarefas e buscar meios de aprimorar as suas funções. Consequentemente, esse engajamento influencia positivamente nos resultados de produtividade da empresa.

Melhora o clima na empresa

Outro benefício super perceptível em uma empresa que adota essa prática, é um ambiente de convívio organizacional mais saudável. Afinal, a comunicação corporativa  e estabelecimento de tarefas ficam mais claras, evitando confusões.

Com essa estrutura, os trabalhadores se sentem mais confiantes, valorizados e seguros dentro de seu cargo. Assim, isso contribui para amenizar o clima de tensão e competição na organização.

Boa gestão de talentos

Quando o índice de rotatividade, isto é, entrada e saída de novos funcionários, está muito alto, isso não é um ponto positivo para a empresa. Isso porque, a organização acaba arcando com o prejuízo de novas contratações e treinamentos de recrutamento.

Dessa forma, quando a organização com a estrutura organizacional consequentemente, o índice de turnover acaba diminuindo. Isso porque, gradativamente, os profissionais da equipe vão ficando cada vez mais qualificados, visto que tem plena noção de suas tarefas que se empenham para executá-las cada vez melhor, sendo um diferencial competitivo.

Com uma equipe mais qualificada, a promoção de cargo acontece com mais facilidade, o que também estimula os colaboradores a permanecerem na empresa.

Melhoria na tomada de decisão

Por fim, essa ferramenta possibilita ter acesso a dados e relatórios sobre tudo o que ocorre na empresa, ou seja, se os setores estão entregando resultados e se os membros estão exercendo as suas devidas funções. Isso permite que a empresa tome decisões mais informadas e estratégicas para melhorar seus resultados.

Em resumo, a estrutura organizacional é uma ferramenta essencial para empresas que desejam melhorar seu relacionamento com os clientes, aumentar a eficiência e produtividade e tomar decisões mais informadas e estratégicas.

Para conferir mais textos incríveis com temas sobre a esfera trabalhista acesse o nosso site. Além disso, contratando a Genyo para te auxiliar no controle de ponto, você terá acesso a muitos outros artigos que auxiliam a sua carreira profissional. Contrate agora e ainda ganhe 15 dias grátis!

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog