Empresa pode proibir uso de celular no trabalho? O que diz a CLT

Confira se a empresa pode proibir o uso do celular no trabalho e o que a legislação brasileira determina sobre essa prática. Dá justa causa? Veja mais neste artigo!
Sumário
uso do celular no trabalho

Com o avanço da tecnologia, o celular se tornou uma ferramenta indispensável no nosso dia a dia. No entanto, no ambiente de trabalho, surge a questão: as empresas têm o direito de proibir o uso de celular no trabalho? 

Essa indagação suscita uma análise das restrições legais impostas pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) em relação a essa prática.

A CLT, documento central na legislação trabalhista brasileira, aborda diversas questões relacionadas aos direitos e deveres tanto dos empregados quanto dos empregadores.

Com isso em mente, continue lendo e veja se a empresa realmente tem o direito de proibir que os funcionários usem o celular no trabalho!

Empresa pode proibir o uso do celular no trabalho?

Sim! De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a empresa tem direito de proibir o uso do celular no trabalho, pelo menos durante o expediente propriamente dito.

A proibição do uso no celular do trabalho, na visão de advogados e especialistas em Direito do Trabalho, está incluída no “poder diretivo do empregador”, que é descrito no caput do artigo 2º da legislação trabalhista. Veja abaixo:

“Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço”.

Apesar do artigo em questão não citar o poder diretivo, o entendimento dos juristas é que a legislação permite que o empregador tem o poder e o direito de organizar, regulamentar, controlar, fiscalizar e delimitar as atividades dos funcionários.

Nesse sentido, o empregador pode sim proibir o uso do celular no expediente, caso considere que a utilização do smartphone prejudique a produtividade dos funcionários ou traga outros malefícios para a empresa.

Poder de direção do empregador sobre o uso do celular

Como citamos anteriormente, o empregador possui o poder de direção sobre as atividades dos funcionários, que se manifesta através da organização, fiscalização ou controle e disciplina.

Isso significa que ele pode adotar medidas adequadas para o bom desenvolvimento das atividades produtivas, o que inclui a possibilidade de restringir ou proibir o uso do celular no trabalho.

No entanto, é importante que o empregador respeite os direitos pessoais do trabalhador e adote medidas equilibradas na restrição ao uso do celular, levando em conta o contexto da atividade e as necessidades pessoais dos funcionários.

Exemplos de restrições ao uso do celular no trabalho

Em determinadas profissões que demandam maior atenção, como babás e cuidadores, é necessário impor restrições adicionais ao uso do celular durante o horário de trabalho.

Porém, é essencial ter cautela ao estabelecer essas restrições, a fim de não comprometer o exercício da cidadania do profissional. O recomendado encontrar um equilíbrio entre as necessidades da empresa e os direitos do funcionário.

Nesse contexto, o empregador deve permitir que o trabalhador usufrua dos intervalos para refeição e descanso, nos quais poderá atender às suas necessidades pessoais relacionadas ao celular.

Isso demonstra respeito pelas necessidades individuais do profissional e garante que ele tenha momentos para manter contato com familiares ou resolver questões pessoais de forma adequada.

Ao estabelecer as restrições ao uso do celular nessas profissões, as empresas devem levar em consideração as particularidades e demandas do trabalho, buscando sempre o equilíbrio entre as exigências da atividade e os direitos dos funcionários.

Com uma abordagem consciente e sensível, é possível garantir que as regras sejam respeitadas sem prejudicar o bem-estar e a qualidade do serviço prestado.

E se o funcionário insistir em usar o celular no trabalho?

O descumprimento das regras estabelecidas sobre o uso do celular pode acarretar em medidas disciplinares, visando garantir a ordem e a disciplina no ambiente de trabalho.

As penalidades, normalmente, variam de acordo com a gravidade do descumprimento e as consequências para a empresa.

As sanções devem ser proporcionais, evitando punições excessivas que possam ser questionadas na Justiça do Trabalho. Desse modo, o empregador precisa aplicar as medidas disciplinares de forma justa e equilibrada, sem humilhar ou praticar assédio moral contra os funcionários.

As consequências para os funcionários que insistirem em usar o celular no trabalho, mesmo após terem sido orientados a não fazê-lo, podem incluir advertências verbais ou por escrito, suspensões disciplinares temporárias, descontos salariais ou até mesmo a demissão por justa causa em casos mais graves.

Sob o mesmo ponto de vista reincidência no descumprimento das regras deve ser objeto de atenção especial, podendo levar a uma dispensa por justa causa, desde que devidamente fundamentada e respeitando as normas trabalhistas.

É importante que as penalidades, pelo menos em um primeiro momento, sejam aplicadas de forma pedagógica, com o intuito de corrigir o comportamento do funcionário.

Além disso, é fundamental que a empresa tenha uma política interna clara e bem definida, que estabeleça as regras sobre o uso do celular e as penalidades em caso de descumprimento.

Transmitir essas diretrizes aos funcionários de forma clara e explícita também é instrumental para que todos tenham conhecimento das consequências de não seguir as normas.

Regras para o uso do celular corporativo

Quando o celular é de propriedade da empresa, ou seja, trata-se de um smartphone corporativo, o empregador tem todo o direito de estabelecer regras sobre o seu uso adequado e profissional.

Isso vale para empresas de todos os tamanhos. O empregador, por exemplo, pode inclusive bloquear o acesso a determinados sites ou aplicativos.

A proibição do uso do celular é uma forma de exercer o poder diretivo e regulamentar do empregador, visando garantir a produtividade e a segurança no ambiente de trabalho.

Uso exagerado do celular no trabalho: O que é time theft?

Quando um funcionário não sai do celular no trabalho, está efetivamente praticando o “roubo de tempo”, uma prática que, em inglês, é conhecida como “time theft“.

Essa expressão é utilizada para descrever a prática de um funcionário, de forma intencional ou não, de desperdiçar o tempo do empregador enquanto está no trabalho.

Isso pode incluir várias formas de comportamento improdutivo, como chegar atrasado, fazer pausas excessivas, e usar o expediente para atividades pessoais não relacionadas ao trabalho, como navegar na internet, usar as redes sociais e, é claro, ficar grudado no celular.

Tal prática traz enormes prejuízos para as empresas, como perdas de horas, desconcentração, diminuição do engajamento da equipe, impactos do planejamento organizacional e até mesmo riscos de acidentes.

Sendo assim, os funcionários devem estar cientes dos riscos envolvidos ao utilizar o celular no ambiente de trabalho, além de seguir as políticas estabelecidas pela empresa para garantir a segurança e o bom desempenho de suas atividades.

Mais riscos do uso do celular no trabalho

O uso do celular no trabalho, para tarefas não relacionadas ao expediente propriamente dito, exige atenção e pode levar à desatenção em relação às tarefas desempenhadas.

Isso pode resultar em erros e acidentes, principalmente em atividades que envolvam o manuseio de equipamentos ou trabalhos em altura.

A falta de atenção causada pelo uso do celular também pode afetar a interação entre os colegas de trabalho, prejudicando a comunicação e o trabalho em equipe. 

Da mesma forma, o uso excessivo do celular pode levar a problemas de postura, como dores nas costas e pescoço, devido à má posição adotada durante o uso do dispositivo.

Como a empresa pode evitar o uso exagerado do celular no trabalho?

Para evitar os riscos do uso do celular no trabalho, é essencial que o empregador adote medidas de prevenção adequadas, como:

  • Estabelecer horários e locais específicos para o uso do celular;
  • Proibir o uso do celular em atividades que envolvam maquinários ou trabalhos em altura;
  • Educar os funcionários sobre os possíveis riscos associados ao uso do celular no trabalho;
  • Promover a conscientização sobre a importância da atenção e concentração nas tarefas desempenhadas;
  • Disponibilizar alternativas de comunicação, como telefones fixos ou rádios, para situações em que o uso do celular seja inadequado;
  • Realizar treinamentos e capacitações periódicas para reforçar as regras e boas práticas relacionadas ao uso do celular no trabalho.

A prevenção é fundamental para garantir a segurança e o bem-estar dos funcionários, além de contribuir para a eficiência e qualidade do trabalho realizado.

Cabe tanto ao empregador como aos funcionários adotarem medidas responsáveis e conscientes em relação ao uso do celular no ambiente de trabalho.

Como criar uma política interna de uso do celular no trabalho?

Para garantir o cumprimento das normas internas referentes ao uso do celular no ambiente de trabalho, a melhor alternativa é estabelecer uma política clara e bem definida.

Recomenda-se que essa política seja elaborada e entregue aos funcionários para que possam ler e assinar, tanto durante o processo de contratação quanto para os funcionários já ativos. A adesão por escrito é importantíssima para eventuais processos na Justiça do Trabalho.

Essa política interna deve detalhar as regras específicas sobre o uso do celular, indicando os momentos em que seu uso é permitido ou restrito, bem como os locais seguros para o armazenamento dos aparelhos.

Dessa forma, os funcionários precisam compreender plenamente as diretrizes da empresa, para que possam agir de acordo com as normas estabelecidas.

Além disso, a política interna deve deixar claro as penalidades em caso de descumprimento das regras. As sanções devem ser aplicadas de forma gradual e pedagógica, visando orientar os funcionários e corrigir comportamentos inadequados.

Uma política interna bem estruturada sobre o uso do celular no trabalho tem o objetivo de promover um ambiente de trabalho produtivo e harmonioso, enquanto respeita os direitos e as necessidades tanto dos funcionários quanto da empresa.

Benefícios da política interna sobre o uso do celular no trabalho Objetivos da política interna sobre o uso do celular no trabalho
1. Fornecer diretrizes claras para os funcionários 1. Estabelecer limites para o uso do celular
2. Evitar distrações e aumentar a produtividade 2. Garantir a segurança no ambiente de trabalho
3. Prevenir o vazamento de informações confidenciais 3. Promover a disciplina e a ordem
4. Estabelecer um ambiente de trabalho saudável 4. Respeitar os direitos dos funcionários

Responsabilidade do empregador sobre pertences dos funcionários

No ambiente de trabalho, é responsabilidade do empregador garantir a guarda de valores, objetos e pertences pessoais dos funcionários.

Isso inclui, por exemplo, a responsabilidade sobre os celulares dos funcionários que são armazenados em locais disponibilizados pela empresa.

Em casos de furtos ou extravios, o empregador é responsável pelo ressarcimento do valor do aparelho. Sob o mesmo ponto de vista, considerando que o celular contém informações pessoais dos funcionários, a empresa também pode ser responsabilizada por danos morais decorrentes desses incidentes.

Logo, é imprescindível que o empregador ofereça um local seguro para a guarda dos pertences pessoais dos funcionários, evitando assim transtornos e prejuízos para ambas as partes.

Lei Geral de Proteção de Dados e o uso do celular no trabalho

O uso do celular no ambiente de trabalho está sujeito às disposições da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). De acordo com a legislação, o empregador pode proibir a difusão de dados pessoais acessados pelos funcionários através do celular.

Essa restrição é especialmente relevante em atividades que lidam com informações sensíveis, como dados de clientes, pacientes ou informações confidenciais da empresa.

Além de proibir a difusão de dados pessoais, é crucial que as empresas ofereçam meios alternativos de comunicação para que os funcionários possam manter contato com familiares durante o horário de trabalho.

Uma opção é disponibilizar telefones fixos ou outras formas de comunicação não vinculadas aos dados pessoais dos funcionários.

Garantindo o cumprimento das normas sobre o uso do celular

Uma vez estabelecidas as normas sobre o uso do celular, cabe ao empregador garantir o seu cumprimento de forma efetiva.

Para isso, é fundamental oferecer um local seguro para a guarda dos aparelhos, evitando perdas ou danos. Similarmente, é necessário fiscalizar o cumprimento das normas, garantindo que os funcionários estejam seguindo as diretrizes estabelecidas.

Caso haja descumprimento das regras, é recomendado que a empresa adote as penalidades disciplinares correspondentes. 

No entanto, é essencial que a aplicação dessas sanções seja gradual e pedagógica, visando corrigir o comportamento dos funcionários. Com isso, é possível estabelecer um ambiente de trabalho mais disciplinado e produtivo, ao mesmo tempo em que se evita a adoção de medidas excessivas.

Também recomenda-se criar um procedimento padrão para tratar os casos de descumprimento das normas, assegurando que haja uma abordagem consistente e justa para todos os funcionários.

Esse procedimento deve levar em consideração a gravidade da infração e estabelecer as medidas disciplinares adequadas, que podem variar desde advertências verbais até suspensões, dependendo do contexto e das consequências do descumprimento.

FAQ

Empresa pode proibir uso de celular no trabalho? O que diz a CLT?

Segundo a CLT, as empresas têm o poder de direção sobre as atividades de seus funcionários, o que inclui a possibilidade de restringir ou proibir o uso do celular no trabalho.

Qual é o poder de direção do empregador sobre o uso do celular?

O empregador possui o poder de direção sobre as atividades dos funcionários, o que significa que ele pode adotar medidas adequadas para o bom desenvolvimento das atividades produtivas, inclusive restringindo ou proibindo o uso do celular no trabalho.

Quais são as restrições ao uso do celular em profissões que exigem mais atenção?

Em profissões que exigem mais atenção, como babás e cuidadores, é possível impor restrições adicionais ao uso do celular durante o trabalho. No entanto, é importante garantir que o trabalhador tenha oportunidade de usar o celular durante os intervalos para refeição e descanso.

Quais são as penalidades por descumprimento das regras sobre o uso do celular?

O descumprimento das regras estabelecidas sobre o uso do celular pode levar à aplicação de medidas disciplinares, como advertências ou suspensões. Em casos mais graves, dependendo das consequências do descumprimento, a empresa pode até dispensar o funcionário com justa causa.

É possível proibir o uso de celulares de propriedade da empresa?

Sim, quando o celular é de propriedade da empresa, é possível estabelecer regras sobre o seu uso adequado e profissional.

Qual é o impacto do uso abusivo do celular no ambiente de trabalho?

O uso abusivo do celular pessoal durante o trabalho pode gerar perdas de horas, desconcentração e até riscos de acidentes. Por isso, os empregadores têm o direito de criar regras disciplinando o uso de celulares no ambiente de trabalho.

Qual é a importância de uma política interna sobre o uso do celular no trabalho?

Recomenda-se criar uma política interna, que deve ser entregue e assinada pelos funcionários, estabelecendo as regras sobre o uso do celular, os locais seguros para armazenamento dos aparelhos e as penalidades em caso de descumprimento.

Quem é responsável pelos pertences pessoais dos funcionários no ambiente de trabalho?

O empregador tem a responsabilidade de garantir a guarda de valores, objetos e pertences pessoais dos funcionários no ambiente de trabalho.

Como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) afeta o uso do celular no trabalho?

O empregador pode proibir o uso do celular com base na LGPD, que permite a proibição da difusão de dados pessoais acessados pelos funcionários. O empregador deve estabelecer normas internas e transmitir essas regras aos funcionários, garantindo a ciência e a conformidade com a LGPD.

Como garantir o cumprimento das normas sobre o uso do celular no trabalho?

É importante oferecer um local seguro para a guarda dos aparelhos, fiscalizar o cumprimento das normas e aplicar as sanções de forma proporcional e pedagógica, visando corrigir o comportamento do funcionário.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.