O que é e como estimular um bom profissional

Você saberia dizer que tipo de qualidades possui um bom profissional? Então, confira esta matéria na íntegra para descobrir como identificar! Veja mais neste artigo!
Sumário
bom profissional

Todo mundo que entra no mercado profissional procura ser um bom profissional, mas nem todos alcançam esse status. Isso porque os dias de trabalho cansativos, a falta de incentivos e alguns problemas com o empregador prejudicam essa questão. Neste artigo, abordaremos alguns fatores que ajudam a empresa a descobrir quais são os bons profissionais e como ajudá-los a crescer. Se você procura por dicas de gestão de equipes de sucesso, faça a leitura deste conteúdo na íntegra!

O que significa um bom funcionário?

O termo “bom funcionário” é um pouco confuso e curioso ao mesmo tempo. Isso porque as empresas possuem diferentes ideias sobre o que é um bom funcionário. Alguns acreditam que o bom funcionário é aquele que acata todas as decisões dos chefes e entrega exatamente aquilo que foi mandado. Outros acreditam que o bom funcionário é aquele que entrega demandas rapidamente ou com a melhor qualidade. Por conta disso, não é possível dizer exatamente o que significa um bom funcionário, apenas quais qualidades ele deve ter. É claro que é preciso lembrar que essas qualidades podem mudar de acordo com a necessidade e foco de cada empresa.

Quais as qualidades de um bom funcionário?

De modo geral, é possível apontar algumas qualidades como as mais comuns entre os bons funcionários, veja abaixo algumas delas:

Proatividade

Ser proativo é uma das maiores qualidades que um profissional deve ter. É verdade que muitos chefes não se sentem muito confortáveis quando um profissional toma a frente e tem bastante atitude. Porém, para a empresa, esse é o exemplo perfeito de profissional que ajuda as atividades do dia a serem cumpridas de forma rápida e eficiente. Um dos maiores problemas que as redes encontram é a necessidade de direcionar cada passo de seus funcionários. Além de ser cansativo, isso atrapalha todo o processo e prejudica o crescimento do profissional, que aprende a ser mandado, não a ser bom no que faz. O funcionário proativo consegue perceber uma demanda e a realiza antes mesmo que lhe seja direcionada. Contudo, existem limites que não podem ser ultrapassados para manter a organização dentro da empresa.

Assíduo

A assiduidade é outro grande positivo em um bom funcionário. Apesar de existirem tecnologias criadas para controlar a entrada e saída de funcionários, ainda existem grandes problemas relacionados a esse caso. Hoje em dia, a maioria das empresas utilizam sistemas como o controle de ponto eletrônico, serviço prestado com eficiência pelo Genyo. Com esse tipo de plataforma, é bem simples verificar quais funcionários estão comprometidos com o horário do trabalho, tanto no início, quanto ao final do dia. Assim, é simples descobrir quais os profissionais mais interessados em fazer a empresa crescer e aproveitar ao máximo cada dia.

Inteligência emocional

Inteligência emocional é uma das características mais importantes do mercado de trabalho. Até pouco tempo, ela não era muito comentada e nem mesmo muito conhecida e, hoje, já ganhou um grande espaço nas conversas sobre gestão de equipes. Ter inteligência emocional é muito mais do que saber se controlar para não se exaltar de raiva ou de frustração. Ter inteligência emocional é saber quais os seus próprios limites emocionais e como observar quando eles estão em evidência. Pessoas com alta inteligência emocional também conseguem se conectar com os sentimentos de outras pessoas e conduzir o grupo a momentos mais racionais do que emocionais. Isso é extremamente importante para empresas que lidam com tomadas de decisões todos os dias.

Interesse em aperfeiçoamento

Todo e qualquer funcionário, independentemente de cargo, deve manter um pensamento em comum: o aprendizado deve ser constante. Aqueles que afirmam que não precisam aprender mais nada, geralmente, não são bons funcionários. As pessoas que acreditam que já são perfeitas acabam ficando atrasadas em comparação a outras pessoas da equipe que mantém um crescimento constante. Um bom funcionário entende que as necessidades da empresa podem se modificar ao longo dos anos e que para ele acompanhar as mudanças, deve se atualizar.

Comunicação interpessoal

Saber se comunicar é uma qualidade super interessante para o meio profissional. É comum conhecer excelentes funcionários que não conseguem crescer dentro da empresa simplesmente por não se comunicarem bem. Quando um profissional sabe como conversar, ele consegue transitar livremente entre diferentes grupos. Isso o ajuda a assimilar diferentes qualidades e, assim, se torna um funcionário único. Além disso, o profissional que desenvolve uma boa comunicação interpessoal é importante para movimentar a equipe e incentivar diferentes setores a criar um ambiente propício para o trabalho em grupo.

Gerenciar crises

Infelizmente, é inegável que as crises vão acontecer. Seja no setor financeiro, seja no setor publicidade ou até no de RH, as crises são propícias a acontecerem dentro de empresas. Como não é possível impedi-las, o melhor a ser feito é se preparar para lidar da melhor maneira possível com elas. Um bom profissional sabe manter a calma para lidar bem com problemas e gerenciar crises.

Outro ponto importante é que essas pessoas possuem a capacidade de acalmar o resto da equipe e ajudá-las a ter um olhar mais crítico em relação aos problemas. Muitas vezes, o que piora a crise não é a situação em si, mas a reação das pessoas frente a elas. Algumas se desesperam, outras congelam, e nenhuma dessas ações é boa para solucionar crises. Por isso, é sempre importante poder contar com uma pessoa que consiga se distanciar um pouco da situação caótica e visualizá-la como apenas um desafio a ser superado.

Perfil de liderança

O perfil de liderança não é observado apenas em profissionais que ocupam cargos de chefia. Na verdade, a liderança pode ser observada em qualquer relação entre pessoas, desde uma conversa informal até uma equipe de projetos. Isso porque algumas pessoas possuem a característica de serem um pouco mais dominantes e influenciadoras. Por conta disso, elas fazem com que as outras naveguem sobre assuntos de forma mais organizada. Ou seja, elas conduzem os grupos a um mesmo espaço mental, onde podem discutir aspectos diferentes sobre um mesmo problema.

Como identificar um bom funcionário?

Para identificar um bom funcionário, antes de tudo, é necessário identificar quais as demandas da sua empresa. Para isso, é preciso fazer uma leitura séria de todas as áreas da empresa e identificar os pontos fracos. Esses pontos fracos podem ser vistos como algum problema iminente ou como uma situação incômoda que tem potencial para se tornar um problema.

Com esses dados, tudo o que você precisará fazer é avaliar o quadro de funcionários em busca daqueles que possuem as qualidades que procura. Apesar de simples, essa procura não é nada fácil e pode levar um bom tempo até ser finalizada. Por isso, muitas empresas já investem nesse segmento desde a entrada do profissional na rede.

Como contratar bons funcionários?

De fato, todas as empresas estão em busca de bons funcionários. Afinal, quem não está em busca do melhor para a sua rede de negócios? A questão é que os bons funcionários não são tão abundantes assim e é preciso de uma certa estratégia para conseguir contratar essas pessoas. Veja abaixo algumas dessas estratégias:

1. Invista na divulgação da vaga

Para conseguir os melhores profissionais, você precisa garantir que o número de pessoas interessadas na vaga seja grande. Assim, é possível garantir que há uma boa probabilidade de encontrar bons funcionários dentro dos candidatos interessados. Para fazer uma boa divulgação, você pode apostar em dois caminhos diferentes:

  • Divulgar em plataformas de vagas de emprego;
  • Enviar e-mails pessoais.

Se você pretende contratar um grande número de funcionários de uma só vez, o melhor é colocar os anúncios em grandes plataformas. Atualmente, as mais utilizadas são o Linkedin e o Facebook. Ambos funcionam bem para esse tipo de proposta e não costumam gerar despesas extras para a empresa.

Agora, se você já tem uma certa intimidade com o funcionário que deseja contratar e possui um canal de e-mail para se comunicar, a segunda opção é a mais vantajosa. Isso também vale para quem quer contratar pessoas para cargo C-level, que exigem um pouco mais de cuidado durante a contratação.

2.Diversifique o processo de recrutamento

Se você quer explorar diversas qualidades em um mesmo recrutamento, é importante aplicar algumas técnicas de talent acquisition. Por exemplo, faça questão de trazer um pouco do lúdico para os momentos de entrevista de emprego. Isso é importante para tirar o candidato daquele estado de concentração forçada, que impede o RH de conhecer realmente aquele indivíduo. Durante as dinâmicas, é possível trabalhar certos aspectos da vida cotidiana na empresa, até mesmo em grupo.

3. Não ignore os testes

Você sabia que é possível dizer se um funcionário tende a se manter produtivo durante o tempo logo após a sua contratação? Para isso, você ou sua equipe de RH precisará colocar em prática o teste palográfico. Esse teste consiste em determinar um tempo para que os candidatos façam riscos em uma folha de papel em determinado tempo. Dentro deste teste, diversas análises são feitas, como: personalidade dos funcionários, relação com o time etc. Contudo, o mais interessante e evidente desse simples teste é a consistência dos tracinhos realizados. Com eles, é possível determinar se o profissional tende ou não a diminuir a velocidade ou qualidade de seu trabalho. E, dessa maneira, é possível determinar quais são bons profissionais e quais não são desde o primeiro contato com a empresa.

Como trabalhar com bons funcionários?

bom profissional

1. Ofereça treinamento para os mais novos

É preciso lembrar que uma empresa, apesar de conseguir contratar bons funcionários, nem sempre consegue  o funcionário perfeito. Isso porque é preciso de um momento de adaptação para que esse profissional consiga realizar as demandas do novo trabalho. Para desenvolver aqueles profissionais que foram contratados recentemente,  uma boa ideia é oferecer um treinamento. Normalmente, as empresas apenas fazem uma apresentação básica sobre o que será trabalhado, mas que não são suficientes.Isso porque, comumente, a pessoa que faz o treinamento é outro funcionário que, além de treinar, precisa cumprir suas próprias demandas. É preciso estabelecer uma pessoa da empresa que tenha como função principal, o treinamento e estabelecer um tempo maior para que a adaptação seja realizada.

2.Invista no bem-estar

Além de treinar bem os seus funcionários, uma boa ideia é manter um local adequado para que eles possam florescer ainda mais. No começo deste artigo, discutimos sobre como certos ambientes desmotivam o trabalhador e fazem com que um bom funcionário se torne ruim ou mediano. Ao garantir um bom espaço de trabalho, seguro e com qualidade, esse funcionário consegue manter o seu bom rendimento. Caso seja possível, é legal criar um espaço separado dentro da empresa para momentos de relaxamento. Nesse espaço, vocÊ pode colocar itens de copa, como microondas e uma pia, e adicionar itens como sofás e mesas. Assim, os funcionários poderão fazer pausas em ambientes mais tranquilos que recarreguem as energias e tragam a produtividade para cima.

Como avaliar se o funcionário é um bom profissional?

Se você não tem interesse em contratar todo um novo quadro de funcionários, o melhor a ser feito é avaliar aqueles que já trabalham com você. Para isso, você irá utilizar um modelo básico de gráfico. Imagine um gráfico com dois eixos, um vertical e um horizontal. Em um desses eixos, você vai quantificar o profissional quanto a sua cultura com a empresa. No outro, será avaliada a competência técnica de tal profissional.

Mas, o que é a cultura da empresa?

Bom, a cultura da empresa se refere a tudo aquilo que a empresa tem como modelo de negócio, ou seja, a imagem que ela passa. De acordo com os especialistas, se a quantificação for menor do que 5, aquele não é um bom profissional.

Ao avaliar o resto do gráfico, se a interferência entre os pontos estiver entre 7 e 8, o funcionário é bom, mas precisa de treinamento. E se estiver entre 9 e 10, ele é ótimo e está apto para ser promovido.

Conclusão

Apesar de o bom profissional não ser unânime, eles possuem certas características em comum dentro de grandes empresas. Para garantir que o seu quadro de colaboradores é formado por um time forte, basta seguir algumas dicas simples, e sua empresa terá grande competitividade no mercado.

Se você achou este conteúdo interessante, não deixe de conferir outras pautas no blog do Genyo. Clique aqui para acessar o site e saber mais sobre as tecnologias presentes no mundo corporativo e sobre os serviços de controle de ponto eletrônico para empresas de todos os tamanhos.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

Compartilhe este artigo

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog