Qual é a diferença entre cargo e função? Saiba agora por que é importante fazer essa distinção

Você sabe qual é a diferença entre cargo e função? Entenda agora do que se trata e por que é importante fazer essa distinção. Veja mais neste artigo!
Sumário
Diferença entre cargo e função

No mundo corporativo existem diversas nomenclaturas e muitas delas possuem significados parecidos, mas dizem respeito a coisas diferentes. Por exemplo, muita gente não sabe, mas há diferença entre cargo e função. Fazer a separação do significado desses termos é fundamental para evitar problemas futuros.

Tendo em vista a importância de detalhar muito bem o que diz respeito ao cargo e o qual o significado de uma função dentro de empresas, nós do Genyo preparamos este artigo para esclarecer quais são os pontos correspondentes a cada um desses termos.

Ao longo deste material você vai entender por que é importante saber qual é a diferença entre cargo e função, o que significa cada um desses termos, além de entender o que é a descrição de cargos e como pode ser feita. Desse modo, será muito mais fácil gerenciar sua organização.

Por que é importante diferenciar uma coisa da outra – Evite Passivos Trabalhistas

É importante estabelecer a diferença entre cargo e função para evitar passivos trabalhistas, que são as despesas que a empresa tem devido a ações trabalhistas. Normalmente essas dívidas são decorrentes de problemas diários, que são negligenciados pelos empresários, por acreditarem que assim irão gerar economias.

Muitas vezes, o passivo trabalhista acontece por causa de uma gestão de pessoas desajustada. Por trás do problema pode haver uma desorganização ou uma tentativa mal planejada de reduzir custos e isso também tem relação com a transparência da empresa.

Entre as principais causas dos passivos trabalhistas estão o controle de ponto ineficiente e o desvio de função. Nesse sentido, saiba que o Genyo pode te ajudar com o controle de ponto. Clique e conheça nossas funcionalidades. Em relação ao desvio de função, acompanhe detalhadamente a seguir do que se trata.

Com a diferenciação desses termos, a empresa pode ser vista como um grande tabuleiro de xadrez, no qual cada colaborador representa uma peça importante e entende exatamente qual é o seu papel dentro da organização.

Ademais, quanto mais detalhadas forem as descrições dos cargos e das funções de uma vaga, melhor será o funcionamento da empresa, uma vez que os responsáveis diretos e indiretos pelas atividades correspondentes estarão totalmente cientes do que precisa ser feito.

O que é cargo

O cargo é um termo amplo que diz respeito a qualquer trabalho remunerado. Também pode ser definido como um setor no qual um indivíduo deseja trabalhar. Ou seja, um cargo determina, de forma simplificada, os meios de ganhar a vida em uma área de interesse.

Em um mesmo setor de trabalho é comum existir pessoas que ocupam cargos diferentes. Um bom exemplo para ilustrar isso são os hospitais, pois como sabemos, é um ambiente onde é comum encontrar enfermeiros, médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros cargos.

O cargo define quais funções o colaborador vai executar. Refere-se à posição estática e hierárquica que o funcionário ocupa no organograma da empresa e inclui a categoria de empregos, ou então a área de trabalho, embora não forneça o nível de posição nem as responsabilidades do funcionário.

O que é função

A função, por sua vez, refere-se à descrição de tipo de trabalho, posição ou designação que o colaborador exerce e fornece uma visão geral do trabalho a ser executado. Por isso, funciona como uma forma de categorizar diferentes posições dentro de uma empresa, algo extremamente importante.

A função é o papel que a empresa delega a um funcionário com base em suas aptidões. Ou seja, uma função é uma forma de uma pessoa usar suas qualificações oferecendo serviços. Em troca, essa pessoa recebe o salário, que usa para ganhar a vida.

De forma mais simples, em outras palavras, a função serve para estabelecer quais são as responsabilidades do colaborador dentro do emprego. Desse modo, as funções englobam atribuições como, por exemplo, chefe, executivo, diretor, gerente, supervisor, entre outros.

Portanto, diversas funções refletem o que o profissional está fazendo exatamente no trabalho, como programador, contador, mecânico, chef, governanta, supervisor de serviços aos hóspedes, assim como outras atividades.

As funções são consideradas específicas, uma vez que representam o nível do cargo, bem como as respectivas responsabilidades pertinentes a ele. A depender do tipo, os trabalhos podem até envolver um estudo especializado para definição das funções, que também podem descrever um plano de carreira.

Um cargo pode ter mais de uma função?

Sim, um cargo pode ter mais de uma função. Na verdade, dificilmente um cargo terá somente uma função. Geralmente há uma gama de atribuições para a mesma ocupação, embora nem sempre o profissional execute todas. Portanto, é normal que as pessoas tenham diversos papéis dentro de uma instituição.

Contudo, o que não é recomendado é que sejam exercidas funções muito distintas para um mesmo cargo. Vamos a um exemplo para facilitar a compreensão: uma escola precisa de um professor de matemática, mas impõe que esse profissional lecione aulas e ainda cozinhe para os alunos e demais funcionários da escola.

Você certamente entende que além de criar uma situação complicada para o/a profissional (podendo até gerar passivo trabalhista), raramente a escola irá encontrar um (a) professor (a) que aceite o cargo com essas atribuições, afinal, a graduação que ele fez não o ensinou a cozinhar, mas a dar aulas.

Por outro lado, é possível que um cargo de professor inclua como funções lecionar aulas de diferentes disciplinas (por exemplo: química, matemática e física). Desde que a instituição não exija uma formação ou certificação específica para cada matéria, uma pessoa formada em pedagogia pode executar tais funções.

Diferença entre cargo e função – Afinal, o que difere esses termos?

Bem, a maior diferença entre cargo e função é que enquanto o cargo é o nome referente a posição particular ocupada por um colaborador, a “função” é mais ampla e descreve todo o setor ou campo de trabalho onde existem diversos cargos parecidos, além das atribuições específicas dadas ao profissional.

O cargo serve para orientar o nível do trabalho, assim como as responsabilidades; ao passo que a função, por sua vez, oferece uma ideia geral sobre o trabalho. Na prática, um exemplo de função pode ser Gerente de Projeto de Construção, e um exemplo de cargo para essa função é Engenheiro Civil.

Desvio de função

O desvio de função acontece quando o funcionário exerce uma função diferente daquela para a qual foi contratado. Ou seja, o empregado executa atividades que são pertinentes a outro cargo. Em geral, exerce uma função para a qual seria necessário um nível maior de responsabilidade e um salário maior do que o que recebe.

Cabe ressaltar que caso o empregador solicite que o colaborador exerça uma atividade que não está especificada em seu contrato de trabalho, mas seja compatível com o cargo para o qual ele foi contratado, isso não se caracteriza como desvio de função, portanto, não haverá passivo trabalhista nessa situação.

Por que fazer uma descrição de cargos e funções?

A descrição completa e minuciosa de um cargo pode auxiliar na hora de preencher os requisitos para publicação de uma vaga e ser um chamariz de currículos melhores. Aliado a isso está a padronização, que favorece processos mais ágeis caso o RH seja acionado em qualquer instância.

Quando os cargos são bem descritos e pormenorizados dentro do organograma da organização, é possível compreender quais são as aspirações e ambições da instituição no mercado. Isso é importante tanto para a corporação quanto para os candidatos às vagas.

É comum que alguns cargos possuam níveis de atividades diferenciadas, porém se mantenham dentro do mesmo grupo de atribuições. Desse modo, ao criar cargos com escala de funções diferentes, a organização poderá atribuir salários compatíveis com a evolução.

Outro aspecto relevante é que com os cargos devidamente descritos e apresentados em toda a organização, as reclamações por equiparação salarial (aspecto mencionado anteriormente) ou desvio de função perderão efeito em ações trabalhistas que venham a ser requeridas por ex-funcionários após a demissão.

Portanto, ao realizar este detalhamento, será fácil identificar até mesmo quais são as propostas de valorização profissional e de que modo a empresa atua em relação às possibilidades de crescimento interno e desenvolvimento de carreira. Consequentemente, os melhores profissionais do mercado serão atraídos.

O que significa descrição de cargo

A descrição de funções e cargos refere-se ao detalhamento de todas as posições dentro de uma empresa. Em outras palavras, é um registro escrito construído com o intuito de formalizar as atribuições e competências dos cargos existentes na organização. Não é algo obrigatório, mas traz benefícios consideráveis.

Esta ferramenta pode e deve ser dinâmica e passível de revisão, para que contemple possíveis mudanças nas necessidades da companhia. Isso é fundamental para uma gestão de recursos humanos eficiente e para que a instituição alcance as metas e os objetivos estabelecidos.

Como executar a descrição de cargos na sua organização

Diferença entre cargo e função

Esse processo é composto por sete etapas que ponderam a organização em dinâmica mudança. Como mencionamos anteriormente, a descrição dos cargos deve ser revista com o objetivo de acompanhar as atualizações e transformações da empresa. Confira a seguir quais são as etapas e o que fazer em cada uma delas.

1.    Identificação

Antes de mais nada, deve ser inserido o nome completo do cargo. Nesse sentido, é importante que a nomenclatura seja adequada à empresa e ao que já é praticado no mercado, pois inventar nomes diferentes para cargos semelhantes pode causar estranheza e confusão.

Todas as instituições existentes têm uma terminologia particular, composta por abreviações, siglas, entre outras particulares em relação à linguagem utilizada entre os associados. Entretanto, há uma grande possibilidade de o mercado não compreender algumas dessas definições.

Portanto, cabe reforçar que as empresas busquem utilizar um vocabulário universal, para que todos possam entender suas colocações e assim evitar falhas de comunicação e eventuais transtornos.

2.    Organograma

O segundo passo é encaixar o cargo no organograma da empresa. Nesse momento é importante definir o posicionamento hierárquico do cargo dentro do organograma, a quem ele será subordinado e quem ele irá comandar. Ou seja, quem são seus superiores e os respectivos subordinados.

3.    Missão

Neste tópico é importante definir o objetivo do cargo descrito. Cabe pensar nas seguintes questões: para qual finalidade ele existe? Quais são as potencialidades e/ou limitações que o cargo tem a oferecer? Também é importante alinhar as expectativas quanto aos resultados que ele deve apresentar.

4.    Atividades exercidas

Esse ponto é de suma importância. Todo cargo descrito deverá ter suas atribuições muito bem detalhadas, assim como as atividades que devem ser exercidas pelo colaborador. Essa é a maneira que a empresa terá para acompanhar o engajamento e a produtividade de cada profissional.

5.    Experiência profissional

Para alguns cargos não é necessário grande vivência profissional, em contrapartida, para algumas posições a experiência é fundamental para a ocupação de determinadas funções. Inclusive, muitas vezes esse é um fator que condiciona a participação de profissionais em processos seletivos internos.

6.    Formação acadêmica

O sexto tópico refere-se à formação acadêmica e, nesse sentido, é normal que as especificidades técnicas do cargo sejam dependentes de uma formação acadêmica específica. Sendo assim, é possível que um cargo demande um grau de instrução mínimo, que pode variar desde o nível médio e/ou técnico até o ensino superior.

7.    Competências

Por fim, é importante descrever as competências comportamentais e técnicas dos cargos a fim de criar um tópico de observação relevante para a empresa. Identificar as habilidades que um profissional precisa ter para assumir uma vaga possibilita que a organização selecione os profissionais de forma mais criteriosa.

Uma dica importante é que para criar ou aperfeiçoar uma descrição de cargos, é essencial que todas as áreas da instituição estejam conectadas entre si e envolvidas nesse processo. Isso porque, como a finalidade é aumentar a exatidão das especificações, é bastante relevante que a empresa toda participe.

Conclusão sobre a diferença entre cargo e função

Finalmente, você viu qual é a diferença entre cargo e função, assim como os pontos principais em relação a cada um desses termos e quais podem ser as implicações de não fazer essa diferenciação na empresa. Portanto, coloque as orientações vistas aqui em prática e evite dores de cabeça futuras.

Saiba que o Genyo pode te ajudar bastante com a gestão nos negócios, sobretudo no que se refere ao controle de ponto, além de contar com a geração de relatórios, um chat para facilitar o contato com os colaboradores e muito mais. Conheça nossos planos e continue aproveitando o conteúdo do blog também.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog