O que é Quiet Ambition? Conheça a tendência da Geração Z no trabalho

Entenda como a quiet ambition está moldando a atitude da Geração Z no mercado de trabalho e o impacto dessa tendência discreta. Veja mais neste artigo!
Sumário
quiet ambition

A tendência da Quiet Ambition, também conhecida como ambição tranquila ou ambição discreta, vem ganhando destaque entre os jovens da Geração Z no mercado de trabalho.

Diferentemente das gerações anteriores, eles não têm como objetivo profissional alcançar cargos de liderança, priorizando uma progressão de carreira que concilie a vida pessoal e laboral.

Essa tendência busca aliar qualidade de vida, saúde mental e amizades às experiências profissionais. A Quiet Ambition é considerada uma evolução profissional, estabelecendo prioridades além da carreira. 

No entanto, essa tendência pode ser temporária, à medida que as pessoas passam por outras experiências e responsabilidades. Ao mesmo tempo, pode resultar em problemas para as empresas, particularmente na área de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas.

Com isso em mente, confira abaixo nosso guia completo sobre a Quiet Ambition, e veja como lidar com os colaboradores da Geração Z no seu ambiente de trabalho.

O que é Geração Z?

Antes de falar sobre a quiet ambition da Geração Z no mercado de trabalho, devemos traçar um panorama mais amplo sobre o que é Geração Z, e as principais características desse grupo etário.

A Geração Z é a geração de pessoas nascidas aproximadamente entre meados a segunda metade da década de 1990 e meados dos anos 2010, embora não haja um consenso absoluto sobre as datas exatas de início e término.

Essa geração sucede a Geração Y, também conhecida como Millennials, e precede a Geração Alpha. As principais características da Geração Z incluem:

  • Digital Natives: São nativos digitais, crescendo em um ambiente onde a tecnologia digital, como smartphones, redes sociais e internet, é parte integrante de suas vidas desde muito cedo.
  • Multitarefa: Têm habilidades multitarefa desenvolvidas, devido à constante exposição a várias formas de mídia e informação simultaneamente.
  • Conectados: Valorizam a conexão e a comunicação instantânea, preferindo se comunicar por meio de mensagens de texto, redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas.
  • Individualidade e Diversidade: Tendem a valorizar a individualidade e a diversidade, buscando espaços inclusivos e respeito à pluralidade de identidades.
  • Preocupação com o Futuro: Demonstram uma preocupação com questões sociais, ambientais e políticas, buscando formas de contribuir para um futuro mais sustentável e justo.
  • Empreendedorismo: Mostram um interesse crescente no empreendedorismo e na busca por independência financeira, muitas vezes explorando oportunidades de negócios próprios ou buscando formas alternativas de renda.
  • Aprendizado Personalizado: Preferem métodos de aprendizado personalizado e sob demanda, utilizando recursos online e plataformas de ensino digital para adquirir conhecimento de acordo com seus interesses e necessidades.

Essas são algumas das principais características da Geração Z, que moldam suas atitudes, comportamentos e valores em relação ao mundo ao seu redor e ao ambiente de trabalho.

Quais são as prioridades da Geração Z?

A Geração Z tem estabelecido novas prioridades no mercado de trabalho. Diferente das gerações anteriores, o objetivo de alcançar cargos de liderança não está entre suas principais metas.

Na verdade, eles buscam uma progressão de carreira que permita conciliar a vida pessoal e profissional, priorizando a qualidade de vida, a saúde mental e as amizades.

Essa mudança de mentalidade, chamada de Quiet Ambition, mostra que a carreira é vista como parte de um conjunto de valores e prioridades na vida desses jovens profissionais.

Portanto, em termos mais práticos, essa geração está mais interessada em ter experiências, viajar e passar tempo com a família do que em buscar uma ascensão hierárquica.

O que é Quiet Ambition? Entenda a tendência

Quiet Ambition é um conceito que descreve a tendência dos profissionais da Geração Z de rejeitar cargos de liderança em prol do equilíbrio e da saúde física e mental.

Esses profissionais priorizam objetivos pessoais e procuram alcançá-los de forma discreta e equilibrada. Eles veem a vida pessoal como prioridade, e por isso, não têm interesse em adquirir cargos de maior responsabilidade no trabalho, mesmo que isso comprometa seu desenvolvimento profissional e o fluxo das equipes.

A mentalidade da geração Z no trabalho vai contra as expectativas das empresas, que tradicionalmente valorizam a ascensão hierárquica e o plano de carreira.

Enquanto as gerações anteriores buscavam progressão profissional e poder na posição de liderança, os profissionais da Geração Z optam por uma abordagem mais introspectiva, concentrando-se em seus próprios objetivos e bem-estar.

A Quiet Ambition é impulsionada pelo desejo de equilibrar a vida pessoal com a vida profissional, valorizando a saúde mental, o tempo com a família e amigos, e a busca por interesses pessoais fora do trabalho.

Esses profissionais buscam um estilo de vida mais significativo e satisfatório, onde a carreira é apenas parte do todo e não a peça central da vida. Ao colocar objetivos pessoais em primeiro lugar, eles buscam encontrar um equilíbrio entre todas as áreas de suas vidas.

O Impacto da Quiet Ambition nas Organizações

A tendência da Quiet Ambition tem impactos significativos nas organizações e nos colaboradores. Essa mentalidade de priorizar a vida pessoal e equilibrar as demandas profissionais pode afetar o desempenho das equipes e o alcance dos objetivos organizacionais.

Os colaboradores com Quiet Ambition podem não se empenhar em alcançar metas no trabalho, pausar tarefas sem comunicação prévia ou recusar oportunidades de desenvolvimento profissional, com receio de comprometer sua qualidade de vida.

Tudo isso, é claro, pode gerar conflitos entre a liderança e esses profissionais, que estão em busca de um equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

Identificando Quiet Ambition nos colaboradores

Identificar colaboradores com Quiet Ambition pode ser um desafio para a liderança e para os setores de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas.

Alguns sinais de que um colaborador possui essa mentalidade incluem o foco em objetivos pessoais, uma relutância em assumir posições de liderança e uma priorização da vida pessoal.

Logo, observar a postura e as atitudes dos colaboradores pode ajudar a identificar aqueles que possuem Quiet Ambition.

Ao buscar colaboradores que valorizam o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, a liderança deve analisar se o indivíduo demonstra interesse genuíno em desenvolver suas habilidades, mesmo que isso não signifique necessariamente buscar ascensão hierárquica.

É importante também observar se o colaborador busca contribuir para o ambiente de trabalho de forma colaborativa e se mostra comprometimento com os valores e a missão da empresa.

Como lidar com a Quiet Ambition da Geração Z?

Para lidar com a tendência da Quiet Ambition, as empresas e os setores de liderança podem adotar estratégias que promovam o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

É fundamental compreender e valorizar os objetivos pessoais de cada um dos colaboradores, criando um ambiente de trabalho que incentive o crescimento profissional e pessoal de forma equilibrada.

Uma das melhores estratégias é oferecer flexibilidade de horários, permitindo que os colaboradores possam conciliar suas responsabilidades profissionais com as demandas pessoais.

Isso pode incluir horários de trabalho alternativos, como meio período ou horários flexíveis, adaptando-se às necessidades individuais.

Da mesma forma, incentivar o uso de tecnologia para facilitar o trabalho remoto pode ser uma opção viável. A possibilidade de trabalhar fora do escritório, no modelo home office, pode proporcionar mais autonomia aos colaboradores e contribuir para a busca do equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Reduzir a carga horária também representa uma estratégia eficaz. Ao promover jornadas de trabalho mais curtas, é possível proporcionar mais tempo livre para os colaboradores se dedicarem a atividades pessoais e familiares, contribuindo para um maior equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

Outra estratégia relevante é criar um ambiente de trabalho colaborativo, onde as ideias possam ser compartilhadas livremente.

Quanto mais colaborativo é um ambiente de trabalho, maior se torna o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores, estimulando a criatividade, a inovação e a construção de relacionamentos saudáveis.

Por fim, promover a diversidade e inclusão é fundamental. Valorizar a diversidade de perspectivas e experiências enriquece o ambiente de trabalho, tornando-o mais acolhedor e inspirador.

A inclusão de diferentes vozes e vivências ajuda a criar um equilíbrio entre as necessidades pessoais e profissionais dos colaboradores, favorecendo um ambiente de trabalho mais rico e produtivo.

Estratégias para Lidar com a Quiet Ambition Na prática
Flexibilidade de horários Oferecer opções de horários flexíveis para os colaboradores.
Trabalho remoto Incentivar o uso da tecnologia para trabalhar fora do escritório.
Redução da carga horária Promover jornadas de trabalho mais curtas.
Ambiente de trabalho colaborativo Incentivar a troca de ideias e a colaboração entre os colaboradores.
Diversidade e inclusão Valorizar a diversidade de perspectivas e experiências.

Liderança e Quiet Ambition: Tendências para o futuro

A tendência da Quiet Ambition tem o potencial de influenciar o futuro da liderança nas organizações. A geração Z está mostrando que valoriza mais a colaboração do que a hierarquia, buscando ambientes de trabalho mais horizontais e menos hierárquicos.

Isso pode levar a mudanças na forma como as empresas selecionam e desenvolvem líderes, priorizando habilidades de comunicação, colaboração e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Nesse cenário, o futuro da liderança pode ser mais inclusivo, flexível e adaptado às necessidades dos colaboradores da geração Z.

Quiet Ambition como Contracultura Corporativa

A tendência da Quiet Ambition pode ser considerada uma contracultura corporativa, pois vai contra a expectativa tradicional de ascensão hierárquica e busca por cargos de liderança.

Enquanto muitas empresas valorizam o plano de carreira e a ambição de seus colaboradores, aqueles com Quiet Ambition buscam um estilo de vida mais equilibrado, priorizando sua saúde mental, qualidade de vida e relacionamentos pessoais.

Essa mentalidade, é claro, desafia as normas corporativas e pode influenciar a forma como as empresas e a sociedade como um todo encaram o sucesso profissional.

Equilíbrio entre Trabalho e Vida Pessoal

A popularização da Quiet Ambition, como citamos anteriormente, reflete uma busca por equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. 

Os profissionais da geração Z valorizam a qualidade de vida, o tempo com a família e amigos e o cuidado com a saúde mental. Com objetivos silenciosos, estes trabalhadores evitam o esgotamento profissional e priorizam o bem-estar pessoal.

Para promover esse equilíbrio, é recomendável que as empresas adotem algumas táticas. Vale a pena implementar programas de saúde mental e bem-estar, particularmente para os colaboradores mais jovens.

Oferecer suporte emocional aos colaboradores, por meio de treinamentos e acesso a profissionais especializados, pode ajudá-los a lidar com o estresse e garantir uma melhor qualidade de vida.

O equilíbrio entre trabalho e vida pessoal não é apenas benéfico para os colaboradores da geração Z, mas também para o desempenho das organizações. Afinal, colaboradores mais satisfeitos e equilibrados tendem a ser mais produtivos e engajados, contribuindo para o sucesso da empresa.

Em síntese, é fundamental que as empresas reconheçam a importância desse equilíbrio e adotem medidas para promovê-lo. Dessa forma, será possível criar um ambiente de trabalho saudável e estimulante, que proporcione qualidade de vida aos colaboradores e, ao mesmo tempo, atinja os objetivos organizacionais.

Os desafios e oportunidades da Quiet Ambition

Por fim, a tendência da Quiet Ambition apresenta desafios e oportunidades para as empresas e para os setores de liderança e gestão.

Por um lado, as empresas precisam lidar com a falta de comprometimento de colaboradores com metas organizacionais e o risco de estagnação profissional.

Já por outro lado, essa mentalidade pode trazer uma maior qualidade de vida e bem-estar para os colaboradores, resultando em uma maior satisfação e produtividade.

As empresas que souberem se adaptar e oferecer um ambiente de trabalho que valorize o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal podem se beneficiar dessas tendências e atrair e reter talentos da geração Z. 

Embora haja o desafio de lidar com a falta de ambição tradicional e comprometimento hierárquico, as empresas podem aproveitar a oportunidade de construir uma cultura organizacional mais inclusiva e colaborativa.

Ao valorizar o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, as empresas podem promover o engajamento dos colaboradores, impulsionar a criatividade e a inovação, além de atrair talentos com a mentalidade da Quiet Ambition.

FAQ

O que é Quiet Ambition? Tendência da Geração Z no trabalho

Quiet Ambition é um conceito que descreve a tendência dos profissionais da Geração Z de rejeitar cargos de liderança em prol do equilíbrio e da saúde física e mental. Esses profissionais priorizam objetivos pessoais e procuram alcançá-los de forma discreta e equilibrada.

Quais são as prioridades da geração Z?

A Geração Z busca uma progressão de carreira que permita conciliar a vida pessoal e profissional, priorizando a qualidade de vida, a saúde mental e as amizades.

O que é Quiet Ambition?

Quiet Ambition é a tendência dos profissionais da Geração Z de rejeitar cargos de liderança em prol do equilíbrio e da saúde física e mental, priorizando objetivos pessoais.

Qual é o Impacto da Quiet Ambition nas empresas?

A tendência da Quiet Ambition tem impactos significativos nas organizações e nos colaboradores, afetando o desempenho das equipes e o alcance dos objetivos organizacionais.

Como identificar Quiet Ambition nos colaboradores?

Alguns sinais de que um colaborador possui Quiet Ambition incluem o foco em objetivos pessoais, uma relutância em assumir posições de liderança e uma priorização da vida pessoal.

Como lidar com a Quiet Ambition?

Para lidar com a tendência da Quiet Ambition, as empresas e a liderança podem adotar estratégias que promovam o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, oferecendo flexibilidade de horários e valorizando os objetivos pessoais dos colaboradores.

Como será o futuro da liderança com a Quiet Ambition?

A tendência da Quiet Ambition pode influenciar o futuro da liderança, levando a mudanças na forma como as empresas selecionam e desenvolvem líderes, priorizando habilidades de comunicação, colaboração e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Por que a Quiet Ambition é uma Contracultura Corporativa?

A tendência da Quiet Ambition desafia as normas corporativas, já que vai contra a expectativa tradicional de ascensão hierárquica e busca por cargos de liderança.

Fique de olho no blog da Genyo para conferir mais novidades sobre o mercado de trabalho, gestão de pessoas, controle de ponto e muito mais!

Outros artigos relacionados

portal do empreendedor
Gestão de negócios

Portal do Empreendedor: Guia atualizado 2024

Descubra como o Portal do Empreendedor pode facilitar a formalização e o crescimento do seu negócio no guia atualizado de 2024. Veja mais neste artigo!

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.