Gestão de conflitos: Saiba o que é, qual a importância e como aplicar na sua empresa.

Entenda o que é uma gestão de conflitos, porque ela é uma ação importante, e confira dicas práticas de como implementá-la na sua empresa. Veja mais neste artigo!
Sumário
Gestão de conflitos

A gestão de conflitos é uma estratégia para enfrentar e prevenir situações que culminam em ambientes desarmoniosos. Além disso, uma boa gestão de conflitos pode gerar uma série de benefícios para a empresa, quando aplicados de maneira correta.

O ambiente de trabalho pode ser um local que propicie alguns conflitos, principalmente devido à diversidade de pensamentos compartilhados pelos colaboradores. Entretanto, esse é um problema que precisa ser evitado, com o objetivo de se garantir um ambiente de trabalho harmonioso e produtivo.

Mas você sabe quais as principais causas que podem gerar conflitos no trabalho, e como aplicar a gestão de conflitos para auxiliar nesta resolução? Pensando em auxiliar nisso, criamos um artigo que vai abordar tudo sobre o assunto, trazendo dicas valiosas para a implementação de uma gestão de conflitos.

Ficou curioso para saber melhor sobre o assunto? Então fica de olho na matéria a seguir!

O que é gestão de conflitos?

Antes de tudo é essencial entender um pouco o que significa gestão de conflitos, e como essa definição é vista na prática. Assim, a gestão de conflitos pode ser entendida como o conjunto de estratégias pensadas para garantir a conformidade e equilíbrio do ambiente de trabalho.

Essas ações são pensadas para lidar com os diferentes tipos de posicionamentos e opiniões dos diversos colaboradores que compõem a empresa. Em muitos casos, os colaboradores podem encontrar divergências durante a sua relação na empresa, o que é comum e tolerável até certo nível.

Sendo assim, desacordos provavelmente acontecerão no ambiente de trabalho, mas é preciso garantir que o respeito e a cordialidade sejam garantidos. Por isso, a gestão de conflitos visa evitar esse tipo de ocorrido, além de manejar a situação para quando ela porventura venha a ocorrer.

Dessa forma, a gestão de conflitos deve atuar de maneira incisiva nas situações que geram conflitos que estão em desacordo com os princípios de cordialidade. Essa atuação pode se dar de diversas formas, a depender de como o conflito ocorreu, e a sua recorrência.

Portanto, o foco de uma gestão de conflitos deve ser direcionado às pessoas, compreendendo como se estabelece as relações entre os colaboradores. Dessa maneira, essa atenção e dedicação trará melhorias no clima organizacional da empresa, e pode conferir uma série de benefícios.

Gestão de conflitos
Foto: Paperkites

Quais os principais motivos de conflitos nas empresas?

No contexto empresarial, diversos fatores podem dar origem a conflitos que, se não gerenciados adequadamente, podem comprometer o bom funcionamento da organização.

Entre as causas mais comuns, destacam-se objetivos e metas divergentes, onde diferentes setores ou equipes podem ter visões conflitantes sobre o direcionamento da empresa. A falta de informação também figura como um elemento desencadeador de conflitos, já que muitas conclusões equivocadas podem ser fruto disso.

Lideranças desagradáveis e autoritárias também podem ser causas para conflitos, já que os comportamentos prejudiciais e falta de habilidades interpessoais, podem criar um ambiente propício para conflitos. Por isso, é preciso entender bem a diferença entre líderes e chefes, pois a harmonia do ambiente organizacional depende muito de uma boa liderança.

Além disso, a implementação de novos procedimentos e mudanças abruptas nos processos operacionais pode causar resistência e desconforto entre os colaboradores. Se essas atitudes ocorrem de maneira repetida podem causar efeitos indesejados, como o aumento da rotatividade de funcionários, que desistem de trabalhar em ambientes instáveis.

Por último, os prazos irreais ou o descumprimento deles podem gerar pressão excessiva, levando a conflitos devido ao estresse e à sobrecarga de trabalho. A longo prazo, isso pode causar um estresse excessivo, aumentando muito o risco dos colaboradores desenvolverem a síndrome de burnout.

Por que é importante fazer um gerenciamento dos conflitos?

Como mencionado anteriormente, os conflitos podem surgir em diversos aspectos na rotina de trabalho nas empresas, e é necessário lidar com eles através da gestão de conflitos. Mas por que é tão importante enfrentar esse tipo de problema nas empresas?

A gestão de conflitos é fundamental para manter um bom clima organizacional e evitar situações desrespeitosas que culminam em estresse aos colaboradores. Existem uma série de vantagens associadas à manutenção da harmonia no ambiente de trabalho, tanto para a empresa quanto para os colaboradores.

Para exemplificar e abordar melhor cada uma dessas importâncias, selecionamos as 4 principais vantagens de uma boa gestão de conflitos, que serão abordadas nos tópicos a seguir.

1- Melhora o ambiente corporativo

Em primeiro lugar, a principal vantagem de uma boa gestão de conflitos já foi muito mencionada anteriormente, e diz respeito à melhoria significativa do ambiente corporativo. Sendo assim, a qualidade de vida durante a jornada de trabalho é aprimorada no momento em que uma gestão de conflitos é bem elaborada.

2- Diminui a taxa rotatividade de colaboradores

Outra vantagem muito significativa está na diminuição do turnover, ou seja, minimiza a rotatividade de colaboradores. Em um ambiente de trabalho com muitos conflitos é comum que haja muitos pedidos de demissão, seguidos de novas contratações para suprir o desfalque na equipe.

Portanto, o turnover é uma grande desvantagem que precisa ser evitada a todo custo nas empresas. Dessa maneira, a gestão de conflitos auxilia significativamente na redução dessas taxas, pois garantem um clima harmonioso e agradável, contribuindo para a retenção de talentos na empresa.

3- Aumenta o envolvimento do colaborador

Outra grande vantagem da gestão de conflitos é o aumento do engajamento do colaborador com a empresa, que se sente mais motivado ao realizar suas atividades. Ao evitar conflitos e promover um clima harmonioso, a empresa demonstra ao seu funcionário uma preocupação, e por isso, o colaborador passa a se sentir valorizado.

Esse sentimento de valorização é retribuído com um maior envolvimento do colaborador, que passa a vestir a camisa da empresa. Isso pode promover diversos benefícios, como por exemplo o aumento da produtividade e da qualidade na entrega de resultados.

4- Potencializa o tempo produtivo

Por fim, uma das vantagens que selecionamos é a potencialização do tempo positivo, fruto também de uma boa gestão de conflitos. Ao promover um ambiente com o mínimo de estresse e conflitos, os colaboradores se concentram em realizar suas atividades, sem que outras distrações atrapalhem esse fluxo.

Em outras palavras, os colaboradores não perdem tempo em conflitos improdutivos, o que potencializa o desenvolvimento das suas demandas com atividades que realmente importam. O efeito disso é o aumento dos resultados e o maior sucesso no cumprimento das metas estabelecidas.

Quais os passos para realizar a gestão de conflitos?

Deu pra perceber o quão importante é implementar a gestão de conflitos no panorama de ações de uma empresa. Mas neste momento você pode estar com o seguinte questionamento na cabeça: Como é possível fazer uma gestão de conflitos na empresa?

Para conseguir realizar uma gestão de conflitos é preciso seguir alguns passos, que são ordenados iniciando a partir de uma identificação e seguido de uma análise e resolução do problema. Se você quer saber o que fazer em cada um desses passos, confira os tópicos a seguir.

1- Reconhecimento do problema

Em primeiro lugar é preciso reconhecer o problema, tanto para poder solucioná-lo quanto para poder pensar em estratégias para evitar que eles aconteçam novamente. Assim, é preciso um olhar atento à maneira na qual se dá às relações dentro da empresa, a fim de identificar potenciais focos de conflitos.

Para conseguir realizar corretamente esse reconhecimento do problema, é importante definir qual a natureza do conflito. Sendo assim, é preciso entender o que aconteceu, quais os elementos ou indivíduos envolvidos, com que frequência isso acontece e quais os fatores desencadeantes.

2- Avaliação do conflito

Após entender bem qual a origem do conflito, bem como os elementos mencionados anteriormente, chegou a vez de avaliar criticamente esse problema. Assim, é preciso pensar nas causas dos conflitos e nas estratégias que serão utilizadas para solucioná-los.

Nesse ponto é importante garantir que a investigação da causa do conflito tenha sido realizada de maneira eficiente. As soluções só podem ser pensadas quando se tem a certeza do cerne do problema, para que medidas não assertivas sejam pensadas.

3- Atuação para resolução

Após coleta de informações, e avaliação dos problemas em questão, chegou a vez de colocar a mão na massa e atuar para resolver os conflitos. Esse é o momento que vai precisar do desempenho da liderança e gestão da empresa. Os profissionais encarregados disso precisam exercer as tarefas que foram planejadas, com uma atuação firme.

Sendo assim, essa etapa pode conceber uma mediação direta no conflito em questão, em que o líder ou gestor elabora um diálogo construtivo para sanar o problema. É importante também que medidas disciplinares sejam consideradas quando os conflitos envolvem infrações graves, como agressão física, assédio moral e difamação.

4- Análise dos resultados

Por último, é preciso avaliar se o modelo adotado teve sucesso, ou se é preciso aprimorá-lo ou modificá-lo em uma próxima tentativa. Não existe uma fórmula mágica para todas as situações, e os gestores precisam ser maleáveis para lidar com os diferentes tipos de pessoas e situações.

Portanto, o  mais importante de tudo é garantir que haja uma análise constante do que foi realizado durante a atuação.

Veja dicas para gerenciar conflitos na prática

Uma vez entendido as etapas primordiais para o processo de gestão de conflitos, é preciso vislumbrar como isso pode acontecer na prática. Sendo assim, disponibilizados dicas fundamentais para gerenciar os conflitos no ambiente corporativo das empresas, levando em consideração o que acontece na prática.

1- Estabeleça os valores da sua empresa

É preciso que as empresas estabeleçam seus valores antes de qualquer coisa, para que o colaborador esteja ciente antes mesmo de começar a trabalhar. Assim, as empresas precisam estabelecer quais os princípios éticos que elas fomentam, e quais as atitudes que não serão toleradas e não fazem parte dos valores da empresa.

Essa é uma estratégia muito útil de gestão de conflitos, pois o colaborador entende qual a postura da empresa, antes mesmo dos problemas surgirem. Nesse sentido, as empresas conseguem transmitir a sua seriedade e compromisso com a cordialidade e o respeito, evitando conflitos e desgaste.

2- Incentive a cultura de feedback

Outro ponto importante está na abertura do diálogo através do incentivo à cultura do feedback, tornando o ambiente de trabalho mais acolhedor. É importante fazer o colaborador se sentir à vontade para expor sua opinião, desde que ela seja elaborada de maneira respeitosa.

Sendo assim, estimular feedbacks construtivos reforça uma cultura de valorização, e é responsável por evitar grande parte dos problemas vividos nas empresas. Além disso, a própria cultura de feedback pode servir para alertar um colaborador, de maneira cordial e respeitosa, sobre atitudes indesejáveis que possam gerar conflitos.

3- Procure exercer justiça

Durante a avaliação de um problema, é essencial ser justo na sua atuação, entendendo o conflito de maneira imparcial. Evitar que uma situação de injustiça aconteça é essencial para manter o ambiente de trabalho harmonioso. Isso acontece porque injustiças causam revolta e insatisfação, reforçando  a criação de um ambiente de conflitos.

4- Seja assertivo no momento de atuação

É preciso exercer uma comunicação assertiva no momento de solucionar problemas, pois é preciso demonstrar firmeza ao mesmo tempo em que se evita hostilidade. A comunicação assertiva é uma habilidade que pode ser desenvolvida pelos líderes, e é fundamental para a atuação na gestão de conflitos.

5- Utilize advertências quando necessário

Algumas situações demandam posturas mais firmes e medidas disciplinares mais severas, principalmente quando uma infração grave é cometida. A CLT inclui várias medidas disciplinares que podem ser tomadas perante infrações graves, como é o caso das agressões físicas e verbais.

Essas medidas disciplinares podem iniciar com uma advertência por mal comportamento, e podem chegar até mesmo à demissão por justa causa. Entretanto, é preciso deixar registrado as atitudes de mal comportamento, bem como a advertência utilizada como medida disciplinar.

Dessa forma, a melhor maneira de dar uma advertência ao colaborador que comete um comportamento inadequado é através de um software de controle de ponto. A plataforma do Genyo disponibiliza a funcionalidade de advertência eletrônica, que formaliza a medida disciplinar, deixando-a registrada no sistema.

Dessa maneira, é possível se respaldar juridicamente nos casos em que seja necessário realizar uma demissão por justa causa. As medidas disciplinares servem, portanto, como prova de infrações cometidas ao longo do tempo.

Outros artigos relacionados

aposentadoria mei (crédito: agência brasil)
Autogestão do trabalho

Aposentadoria MEI: Como conseguir em 2024

Descubra como Microempreendedores Individuais podem planejar sua aposentadoria MEI e garantir benefícios previdenciários de forma eficaz. Veja mais neste artigo!

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.