Estagiário tem direito a férias remuneradas? Regras da CLT

Estagiário tem direito a férias remuneradas? Resposta está na CLT! Conheça todas as regras e garantias para estes trabalhadores. Veja mais neste artigo!
Sumário
estagiário tem direito a ferias remuneradas

Em meio aos intricados labirintos das relações trabalhistas, a figura do estagiário desponta como uma peça fundamental. A sua presença não apenas enriquece o ambiente corporativo com novas perspectivas e energia, mas também suscita questões essenciais sobre seus direitos e benefícios. Entre eles, um dos temas mais debatidos é o direito a férias remuneradas.

Entender as regras estabelecidas pela CLT sobre este assunto torna-se crucial tanto para os estagiários quanto para as empresas, pois proporciona clareza e segurança jurídica em um cenário complexo e em constante evolução.

Neste artigo, mergulharemos nas nuances dessa questão, ressaltando a importância da atualização constante e do conhecimento das regulamentações trabalhistas para garantir relações laborais justas e equilibradas.

O que diz a Lei do Estagiário?

De acordo com a Lei 11.788, o estágio é definido como um ato educativo escolar supervisionado, realizado no ambiente de trabalho, com o objetivo de preparar os educandos para o trabalho produtivo.

Essa lei estabelece que o estágio é parte integrante do projeto pedagógico do curso, contribuindo para o aprendizado de competências próprias da atividade profissional e para a contextualização curricular, visando ao desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho.

É importante destacar que o estágio, conforme determinado pela Lei, não gera vínculo empregatício de qualquer natureza, desde que observados alguns requisitos essenciais:

  • Matrícula e frequência regular do educando em instituição de ensino;
  • Celebração de termo de compromisso entre o educando, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino;
  • Compatibilidade entre as atividades desenvolvidas no estágio e aquelas previstas no termo de compromisso.

Além disso, o estágio deve ser acompanhado de forma efetiva pelo professor orientador da instituição de ensino e por um supervisor da parte concedente, comprovado por relatórios e menção de aprovação final.

É crucial ressaltar que o descumprimento de qualquer um dos requisitos estabelecidos pela Lei do Estágio pode caracterizar vínculo empregatício do educando com a parte concedente do estágio, para todos os fins da legislação trabalhista e previdenciária.

Portanto, o cumprimento rigoroso das disposições legais é fundamental para garantir uma relação de estágio adequada e legalmente válida.

Quais tipos de estágio existem?

Existem dois tipos principais de estágio profissional, categorizados pela lei: o obrigatório e o não obrigatório. Independentemente do tipo, é importante destacar que o estágio não configura vínculo empregatício. Vamos explorar as diferenças entre esses tipos:

Estágio Obrigatório:

Nos cursos de formação superior, o estágio obrigatório é uma parte essencial do programa pedagógico. Definido como tal no projeto do curso, sua carga horária é requisito para a aprovação e obtenção do diploma. Esse tipo de estágio complementa o aprendizado em sala de aula, proporcionando ao estudante a oportunidade de aplicar seus conhecimentos na prática e desenvolver habilidades essenciais para sua formação profissional.

Estágio Não Obrigatório:

Por outro lado, o estágio não obrigatório é uma atividade opcional, que não interfere na formação ou conclusão do curso, nem possui uma carga horária mínima estabelecida. Nesse caso, o estudante tem a liberdade de decidir se deseja realizar o estágio como uma atividade extracurricular para enriquecer sua experiência acadêmica e profissional.

Entre os tipos de estágios que listamos acima, podemos encontrar várias modalidades diferentes. Abaixo, confira os tipos mais comuns e relevantes para nossa discussão?

Estágio Curricular Supervisionado:

Esta modalidade é uma integração entre o ambiente acadêmico e o empresarial, permitindo ao estudante aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula na prática profissional. Geralmente, faz parte do curso e é necessário cumprir uma carga horária específica para obtenção do diploma.

Estágio Probatório:

O estágio probatório, também conhecido como estágio de formação, é uma etapa de avaliação para servidores públicos recém-aprovados. Durante este período, que geralmente dura cerca de dois anos, o profissional precisa demonstrar sua aptidão para desempenhar as funções relacionadas à sua área antes de obter a estabilidade no cargo.

Estágio Remunerado

Nesse tipo de estágio, as empresas oferecem uma bolsa-auxílio aos estudantes, geralmente após avaliar seus currículos e selecionar potenciais colaboradores efetivos. O valor da bolsa varia de acordo com a empresa contratante.

Estágio Extracurricular

Similar ao estágio curricular supervisionado, o estágio extracurricular é uma opção voluntária e não obrigatória para a formação acadêmica. Apesar disso, ainda pode ser contabilizado como carga horária complementar.

Estagiário tem direito a férias remuneradas?

Sim, quem é estagiário tem direito a férias remuneradas conforme estabelece a legislação. De acordo com a Lei do Estágio (Lei 11.788/2008), após completar um ano de duração do contrato de estágio, é assegurado ao estagiário um período de recesso de 30 dias, a ser gozado preferencialmente durante suas férias escolares.

No entanto, se o estágio tiver duração inferior a um ano, os dias de recesso serão concedidos de forma proporcional. As regras sobre as férias remuneradas para estagiários estão dispostas no artigo 13 da Lei do Estágio.

Abaixo, você pode conferir como o período é descrito na forma da lei:

Art. 13. É assegurado ao estagiário, sempre que o estágio tenha duração igual ou superior a 1 (um) ano, período de recesso de 30 (trinta) dias, a ser gozado preferencialmente durante suas férias escolares.

1o O recesso de que trata este artigo deverá ser remunerado quando o estagiário receber bolsa ou outra forma de contraprestação.
2o Os dias de recesso previstos neste artigo serão concedidos de maneira proporcional, nos casos de o estágio ter duração inferior a 1 (um) ano.

É importante salientar que o recesso de 30 dias deve ser remunerado quando o estagiário recebe bolsa ou outra forma de contraprestação. Isso significa que, mesmo durante as férias, os estagiários têm direito a receber normalmente seu salário.

estagiário tem direito a ferias remuneradas 2

Essa remuneração é essencial para garantir que o estagiário seja devidamente compensado pelo trabalho realizado, mesmo durante o período de descanso.

Portanto, as férias remuneradas representam um direito fundamental dos estagiários, proporcionando-lhes um período adequado de descanso e lazer, além de garantir sua segurança financeira durante esse período. A medida visa também promover um ambiente de trabalho mais justo e equilibrado, contribuindo para o bem-estar e o desenvolvimento profissional dos estagiários.

Regras de estágio para empresas

A Lei do Estágio estabelece uma série de obrigações e benefícios que devem ser observados pelas empresas contratantes em relação aos estagiários. Aqui estão algumas das regras importantes a serem consideradas:

  • Duração do estágio: O estágio não pode ultrapassar dois anos na mesma empresa, a menos que o estagiário seja portador de deficiência. Nesse caso, a duração é determinada pelas partes envolvidas.
  • Carga horária: A carga horária do estágio deve respeitar um limite máximo de 30 horas semanais ou 6 horas diárias.
  • Flexibilidade durante períodos de provas: Durante os períodos de avaliação escolar, a carga horária do estágio pode ser reduzida para proporcionar ao estagiário tempo adequado de estudo e preparação para os exames.
  • Remuneração: O valor da bolsa-auxílio ou salário do estagiário é definido pela empresa contratante e deve ser informado no Termo de Compromisso de Estágio, que é o documento formal que estabelece os termos do estágio.
  • Auxílio-transporte: A empresa contratante deve fornecer auxílio-transporte ao estagiário, caso o estágio não seja obrigatório. Isso visa garantir que o estagiário tenha condições adequadas de locomoção para desempenhar suas atividades.
  • Período de férias: O estagiário tem direito a um período de férias de 30 dias após completar um ano de estágio na empresa. Se o estágio tiver duração inferior a um ano, as férias serão proporcionais ao período trabalhado.
  • Seguro contra acidentes pessoais: A empresa contratante deve fornecer uma apólice de seguro contra acidentes pessoais para o estagiário. Essa apólice deve estar de acordo com os valores praticados pelo mercado e ser mencionada obrigatoriamente no Termo de Compromisso de Estágio.

Ao seguir essas regras estabelecidas pela legislação, as empresas garantem um ambiente de estágio seguro, justo e compatível com os direitos e deveres dos estagiários.

Estagiário pode vender férias?

Na legislação que regulamenta o estágio, não há previsão para que os estagiários possam vender suas férias, diferentemente do que acontece com os funcionários efetivos regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Enquanto os trabalhadores com carteira assinada podem converter até ⅓ de suas férias em abono pecuniário, essa possibilidade não se estende aos estagiários, uma vez que eles não são regidos pela CLT.

No entanto, caso a empresa contratante deseje estabelecer uma negociação com o estagiário em relação ao período de férias, isso é permitido, desde que esteja de acordo com as disposições da Lei do Estágio.

É importante ressaltar, no entanto, que é fundamental seguir as regras estabelecidas pela legislação específica do estágio, pois acordos não previstos podem gerar problemas legais para a empresa.

Empresa é obrigada a dar férias para estagiário?

A empresa contratante tem a obrigação de conceder férias para o estagiário. Isso se deve ao fato de que tanto os estagiários obrigatórios quanto os não obrigatórios têm direito ao recesso, garantido por lei, após completarem um ano de serviço na empresa ou antes disso, caso o contrato seja inferior a esse período.

É fundamental que a empresa contratante faça um planejamento adequado para que o estagiário possa usufruir de suas férias no momento correto. Caso contrário, o estagiário pode buscar seus direitos na justiça para assegurar o período de descanso a que tem direito.

Para garantir um controle de férias eficaz, é essencial que a empresa mantenha um registro detalhado dessas informações. Isso permitirá que os gestores de Recursos Humanos acompanhem e controlem as férias dos funcionários de forma ágil e precisa.

Além disso, recomendamos explorar nosso site e conhecer nosso sistema de controle de ponto digital, que pode auxiliar no monitoramento da jornada de trabalho de todos os colaboradores. Experimente gratuitamente por 15 dias e descubra todas as funcionalidades na prática.

Gostou deste artigo? No blog da Genyo, você pode encontrar diversos outros posts que podem ajudar no crescimento e desenvolvimento da sua empresa. Aproveite para explorar e obter insights valiosos para o seu negócio.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog