15 mandamentos de como ser um bom líder
07 jun 2021

15 mandamentos de como ser um bom líder

bom gestor 1

O bom líder sabe dar feedbacks, bem como consegue distribuir tarefas. Além disso, é pontual, inspirador e transmite confiança aos liderados. Essas características, de fato, são indispensáveis. Porém, será que elas suficientes para formar o mentor mais excelente o possível para uma equipe?

A resposta para o questionamento acima é tão clara como a luz do sol, ou seja, só pode ser “não”. Além dessas qualidades, o gestor de um time precisa ter algumas práticas na ponta dos dedos. Neste artigo, inclusive, você confere 15 mandamentos essenciais para ser um bom líder.

Para dar doses de dinamismo à conversa, propomos uma divisão de conteúdo bem interessante. Primeiramente, veremos o que fazer. Em segundo lugar, conforme você pode imaginar, apresentaremos gestos que a liderança de qualidade elevada não pode cometer.

Vamos lá?

 

10 mandamentos do bom líder

Seja lá qual for o tipo de liderança praticado em uma organização, o bom líder deve seguir alguns mandamentos. Abaixo, você confere 10 dessas premissas que combinam com qualquer modelo utilizado para liderar.

1. Ser acessível

Logo no primeiro mandamento, precisamos tocar em um dos vários aspectos que separam “chefia” de “liderança”. Dito isso, vamos lembrar da época em que ficar isolado no escritório fazia parte do pacote de ser chefe. Naquela realidade, o papel do gestor de equipe era mais dar ordens e cuidar das burocracias.

O fato retratado acima não é dos mais modernos, concorda? Dito isso, corta para o meio corporativo atual e dê uma boa olhada na imagem abaixo:

Em tradução livre, temos o personagem falando “sou todo ouvidos”. E é exatamente esse posicionamento que o bom líder deve assumir, ou seja, é preciso estar disponível para os liderados. Essa acessibilidade estreita laços de confiança e, por consequência, aumenta o engajamento e possibilita melhores resultados.

2. Ter paciência

Esperar resultados imediatos é um dos piores males que um líder pode cometer. Em outras palavras, o gestor precisa exercitar a paciência, isto é, acreditar nos planejamentos de médio e longo prazo.

3. Saber onde concentrar energia

Entre outras qualidades, o bom líder precisa dominar os fundamentos da inteligência emocional. Por sua vez, a pessoa emocionalmente preparada não perde tempo desperdiçando pensamentos com coisas que não pode gerenciar. Nesse sentido, o gestor de alta qualidade não gasta energia pensando no trânsito engarrafado, ou nas bruscas mudanças de temperatura, por exemplo.

4. Manter o otimismo: o bom líder nunca abaixa a cabeça

Nesse fundamento, entenda o otimismo por dois pontos de vista. O primeiro é manter os liderados animados diante dos desafios, eventuais mudanças e busca por resultados. É preciso ter pensamento positivo, resiliente e empático, por exemplo.

Já o segundo, mas não menos importante, é se manter otimista quando algo não planejado acontecer. Nesse sentido, não abaixe a cabeça se um resultado for aquém do esperado. Além disso, não deixe o clima ficar pesado caso a equipe fique desfalcada de um membro, pois, o mercado está cheio de talentos.

5. Criar planos executáveis

Metas e expectativas, de fato, são saudáveis para o planejamento e enchem os olhos de todos. Afinal, sempre é positivo trabalhar com fatores que nos impulsionam e nos ajudam a desenhar resultados. Porém, a boa liderança deve fazer da moderação um fundamento de cabeceira. Sendo assim, jamais trace planejamentos que estejam fora da realidade do que a empresa e a equipe podem entregar.

6. Assegurar recursos

O bom líder tem o dever moral de respaldar os seus liderados. Nesse sentido, a referida cumplicidade é garantir que a equipe terá todos os recursos necessários para desenvolver o planejamento. Logo, o grande líder deve estar pronto para garantir infraestrutura e matéria-prima, bem como para elaborar políticas salariais justas e adimplentes.

7. Não ser obstáculo – o bom líder cria pontes e não muros

Foi-se o tempo em que liderar era sinônimo de “controle total de tudo e de todos”. No meio corporativo atual, o gestor de equipes não pode carregar a obrigação de dar a palavra em todos os processos. Logo, é necessário fortalecer laços de confiança com os liderados, por consequência, desenvolver o hábito de delegar.

8. Desenvolver boa comunicação

A comunicação assertiva é um dos alicerces para qualquer tipo de relacionamento, sobretudo o profissional. Sendo assim, a liderança que não sabe se comunicar, acaba sendo ineficiente.

Então, cabe ao bom líder manter tudo em “pratos limpos” com seus liderados. Entre outras ferramentas, é prudente promover reuniões One-On-One e implantar a cultura do feedback. Sempre é bom relembrar que as críticas nunca devem ser feitas em público, bem como as cobranças devem ser firmes e, simultaneamente, educadas. Nota mental: ouvir mais e falar menos, em certos momentos, é imprescindível.

9. Ser conciliador

O gestor virtuoso tem carisma, capacidade de argumentação e imparcialidade para resolver eventuais conflitos internos. Toda empresa está sujeita às eventuais divergências, de fato. Porém, cabe a liderança encontrar formas para fortalecer a coexistência pacífica entre ideias e pessoas diferentes.

10. Nunca temer mudanças

O bom líder compreender que “o novo sempre vem”, como diz a composição de Belchior. Dessa forma, o sucesso da gestão de pessoas está totalmente relacionado às mudanças – desde que elas se alinhem aos interesses da empresa. Em outras palavras, o bom líder precisa estar disposto a replanejar, rever conceitos e mudar tudo que preciso for.

 

5 mandamentos que um bom líder não pode seguir

Agora que você sabe quais posturas deve adotar, chegou o momento de compreender o “outro lado da moeda”. Sendo assim, confira o que não fazer para exercer o papel de liderança com alto padrão de qualidade.

1. Desistir depois do primeiro fracasso

Nem mesmo a liderança de sucesso está livre dos tropeços. Afinal, o mercado é volúvel e imprevisível. Dessa forma, o cenário pode repentinamente mudar e travar a fluidez de um determinado planejamento.

Se eventualmente isso acontecer, é preciso “recolher os cacos”, analisar o que deu errado e corrigir o percurso. O verbo desistir precisa ser riscado do dicionário do gestor.

2. Invejar o sucesso alheio

O grande líder reconhece e valoriza o sucesso da concorrência. Ao invés de torcer contra, é melhor se espelhar nos pontos positivos nos cases de sucesso ou nos reposicionamentos dos “rivais” no mercado.

3. Promover reuniões impensadas

Já ouviu falar em “reuniões que poderia ser uma troca de e-mail”? E das reuniões que todo mundo fica com cara de paisagem? Então, essas situações acontecem com muita frequência nas empresas.

Em quaisquer das situações acima, uma incalculável perda de tempo é o resultado, bem como a equipe ganha assunto para alimentar a famigerada “rádio corredor”. Portanto, as reuniões só devem acontecer quando realmente forem necessárias. Além disso, informe a todos a pauta da reunião e prepare um roteiro para a conversa não perder rumos.

4. Repetir erros – o bom líder é vigilante

Eu erro, tu erras, eles erram… todo mundo erra! O que não pode acontecer, no entanto, é repetir os mesmos velhos erros e até mesmos comportamentos errantes. A liderança, portanto, precisa observar bem ao redor e se dar ao luxo de não repetir nada que deu errado.

5. Não saber dizer “não”

A relação entre o bom líder e o liderado é trabalhada em fundamentos como, por exemplo, a liberdade e confiança. Porém, não é prudente ser permissivo demais, pois, há ideias que são impraticáveis ou até mesmo nocivas para a empresa em si. É importante ouvir todos os argumentos, mas é mais importante ainda é dizer “não”, quando necessário for.

Se você chegou até aqui, já tem mãos 15 mandamentos que ajudam nos processos de construção de um bom líder. Além deles, a equipe do Controle de Ponto Digital Genyo recomenda que a liderança também seja empática, tenha criatividade e passe por constantes processos de renovação. Até uma próxima!

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)