One-On-One: como revolucionar a gestão de pessoas no seu negócio
11 ago 2020

One-On-One: saiba como revolucionar a gestão de pessoas no seu negócio

one-on-one

Durante muitas décadas, o capital humano de uma empresa foi enxergado como um número, uma cifra. A relação entre funcionário e chefia era distante, além de estritamente profissional. Felizmente, no entanto, a evolução natural do mercado de trabalho deu abertura para o desenvolvimento do One-on-One: o método de gerenciamento de pessoas que é tem revolucionado as organizações.

Mas o que, de fato, é essa metodologia? Como ela funciona e quais são os benefícios? Num primeiro momento, saiba que se trata de uma prática que humaniza a relação entre os componentes de uma determinada hierarquia. Se anteriormente, por algum motivo qualquer, o colaborador se sentia desamparado, incompreendido e sozinho isso no dia a dia, essa prática que chegou para redefinir rumos no meio corporativo.

Nesta conversa de hoje, a equipe da Genyo te explica algumas questões que giram em torno dessa ferramenta de gestão que tanto tem sido usada nas grandes empresas ao redor do mundo. Além de te responder, de fato, o que é One-on-One, o texto oferece uma explicação sobre os ganhos proporcionados por essa metodologia. Como bônus, temos dicas de como aproveitar essa ferramenta de forma realmente produtiva.

Vamos em busca desse conhecimento revolucionário?

 

O que é reunião One-on-One?

As reuniões One-on-One – um a um, em tradução literal do inglês – são conversas rápidas e periódicas entre gestores ou líderes de uma organização com os integrantes de sua equipe.

Também chamado “1:1”, “One-to-One” ou “1-on-1”, houve uma época em que esses encontros aconteciam em algumas organizações, mas sempre de maneira informal. Atualmente, no entanto, essas reuniões são ferramentas indispensáveis para os processos de construção das bases sólidas de uma cultura organizacional.

O principal objetivo do 1:1 é direcionar soluções para assuntos relevantes para o cotidiano da empresa. Totalmente fundamentada na cultura do diálogo, essa prática corporativa tem sido importante para o sucesso de um time e, naturalmente, da empresa. Afinal de contas, uma conversa franca pode resolver problemas das mais variadas naturezas.

 

Os benefícios do 1:1

As reuniões no formato 1:1 proporcionam incontáveis benefícios para uma empresa. A comunicação humanizada que acontece nesses encontros estreitam as relações interpessoais e profissionais dos envolvidos.

O diálogo aberto faz com que o colaborador se sinta amparado, sua voz é ouvida. Quando um funcionário tem a atenção de quem alinha os processos para que a jornada de trabalho aconteça com maior fluidez, a infame “rádio peão” cai em desuso. Os ruídos de comunicação são exponencialmente reduzidos, pois essas reuniões ajudam a antecipar as soluções para conflitos de qualquer natureza.

A boa prática do one-to-one também ajuda o gestor a entender os desejos do funcionário.

Se pensam em conjunto, ambas partes facilitam a busca por soluções ideais para os assuntos pertinentes do cotidiano de uma empresa. Como resultado, o desempenho da equipe engatará um processo de melhoria contínua. Afinal de contas, colaboradores mais despreocupados e felizes, tendem a render bem mais.

 

Como fazer uma reunião One-on-One

Não existe, de fato, um manual para se fazer uma reunião one-on-one perfeita. A maioria dos especialistas, no entanto, estão em sintonia a respeito de alguns procedimentos.

Para começar, os encontros não devem ser feitos em equipe. O ideal é que o gestor separe algumas horas de sua jornada mensal para conversar de maneira isolada com cada membro de sua equipe. Além de deixar os envolvidos mais à vontade para comentar ideias e discutir problemas, a reunião isolada dá um caráter de exclusividade que faz o colaborador se sentir ainda mais importante.

A questão do tempo dedicado à conversa deve ser monitorada. O ideal é que o 1:1 aconteça uma vez por mês e não ultrapasse os 45 minutos de duração. Essa cronometragem é recomendável porque todos da equipe precisam ser ouvidos. Além do mais, as outras tarefas não podem parar de serem executadas.

É preciso pré-definir os tópicos que serão tratados na reunião. É contraproducente e até deselegante sentar para conversar e esperar que os assuntos surjam espontaneamente e se desenvolvam de forma dispersa. Além do mais, a conversa deve ser desenvolvida com cordialidade e atenção.

Por fim, mas não menos importante: o gestor deve fazer uma ata da reunião. Além de catalogar os temas debatidos, esse documento serve para mapear o One-on-One do mês seguinte.

 

O controle de ponto e frequência pode ser comentado no 1:1?

Sim, mas sempre de forma sútil. Se o colaborador apresentar problemas com pontualidade e dificuldades de monitorar as horas trabalhadas, o gestor pode pontuar a importância do controle de ponto. Em contrapartida, se o funcionário for pontual, o 1:1 acaba sendo o cenário ideal para o incentivo ao cumprimento correto da jornada de trabalho.

Você, caro leitor, que chegou até aqui, já implantou o controle de ponto eletrônico aí na sua empresa? Se a sua resposta for “não”, saiba que a portaria 373/11 do MTE permite a marcação da jornada de trabalho diretamente do smartphone dos colaboradores.

A plataforma Genyo é a melhor opção disponível no mercado brasileiro. Sua praticidade favorece o controle de ponto com apenas alguns cliques. Além disso, o software possui funcionalidades incríveis que facilitam o trabalho do departamento pessoal. Os dados são transmitidos de forma prática e segura.

Por essas e outras, não perca mais tempo e comece a otimizar seus processos com a solução que já começa genial pelo no nome!

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)