02 ago 2022

Gestão de pessoas: O que é, principais objetivos e como melhorá-lo [GUIA]

gestão de pessoas

Em um negócio, máquinas são operadas por pessoas, tecnologias são criadas e usadas por pessoas e bens e serviços são comprados e vendidos por pessoas. Sendo assim, a gestão de pessoas é essencial para o sucesso de qualquer organização. Afinal, é através dela que é possível melhorar a qualidade do negócio.

Isso porque é extremamente importante criar um espaço para que cada membro da equipe se desenvolva e seja valorizado, potencializando as melhores habilidades de cada pessoa, promovendo a satisfação coletiva e melhorando o desempenho. Possuir um estilo de liderança forte e orientado para resultados não é o único requisito para uma boa gestão de recursos. Por isso, confira neste artigo mais detalhes sobre as principais funções da gestão de pessoas e estratégias.

O que é Gestão de Pessoas?

Cada vez mais no mercado de trabalho está caindo por terra a ideia de um chefe ideal autoritário e intolerante. Essa abordagem de liderança está se tornando cada dia mais ultrapassada, apesar de sua resistência em alguns empreendimentos.

Essa mudança começou a ser vista a partir da década de 1980, onde a gestão tornou-se mais estratégica e passou a incorporar a área de recursos humanos ao planejamento empresarial. Com isso, novas formas de gerenciar o trabalho e as equipes passaram a surgir, se desvinculando cada vez mais da ideia tradicional autoritária.

Estudos recentes que envolvem diversas abordagens de gestão e planejamento estratégico incluem tanto a valorização do potencial humano e comportamental quanto os avanços tecnológicos mais significativos. Com isso, a ideia de gestão de pessoas surgiu no intuito de englobar as estratégias utilizadas nas atividades relacionadas aos recursos humanos de uma organização.

Nesse sentido, podemos dizer que o termo “gestão de pessoas” se refere ao campo que engloba todas as estratégias organizacionais para gestão de funcionários e colaboradores, incluindo monitoramento de desempenho, descrição de salários e cargos, iniciativas de engajamento e feedback e assistência na expansão profissional e empresarial.

Objetivos

Como você já deve ter imaginado, a gestão de pessoas nas empresas visa incutir uma cultura organizacional saudável entre os colaboradores. Sendo assim, garantir que todos trabalhem de acordo com as leis e valores da organização é seu principal objetivo.

No entanto, não podemos excluir outros objetivos secundários que são vistos em empresas que adotam a gestão de pessoas, sendo elas: descobrir novos talentos, manter os profissionais engajados e satisfeitos, realizar treinamentos e desenvolvimentos, entre outros.

Por fim, um dos principais objetivos nesse campo é formar colaboradores que sempre levem em consideração o desenvolvimento organizacional e pessoal. Assim, a empresa pode funcionar de forma orgânica e fluida, no qual todos os colaboradores operam de forma respeitosa e motivada.

Quais são os pilares da gestão de pessoas?

A gestão de pessoas nas empresas é baseada em cinco pilares que devem ser seguidos para o cumprimento das metas. Considere o que segue:

1. Motivação

A motivação é um dos principais pilares quando falamos sobre gestão de pessoas, visto que ele serve como alicerce para os demais pilares e garante que a gestão do capital humano produza os resultados desejados. Afinal, quanto mais motivadas as pessoas se sentem, mais elas são produtivas, pegam facilmente novas tarefas e mantêm um ambiente interno harmonioso.

Os funcionários têm sido desmotivados pelas organizações por vários motivos, incluindo falta de propósito em seu trabalho, posturas gerenciais rígidas, cultura organizacional desagradável e ferramentas ineficazes. Combater esses fatores que minam a motivação é fundamental, assim como determinar se o sentimento do profissional é coletivo ou individual.

Como a motivação está muito relacionada ao engajamento, essa noção tem recebido cada vez mais atenção. Nesse sentido, com o objetivo empresarial de alcançar os resultados de forma eficaz, engajar os colaboradores se tornou mais uma necessidade do que uma opção.

2. Treinamento e desenvolvimento

Avanço, alinhamento e resultados das equipes na organização, são os principais pontos tratados no pilar de treinamento e desenvolvimento de gestão de pessoas. Uma maneira altamente eficaz de criar ambientes de alto desempenho é por meio do aprendizado corporativo. Por isso, esse pilar atrai a atenção de empresas de todos os portes e nichos de mercado.

As empresas assumem a liderança em um movimento do mercado cada vez mais intenso, principalmente na área de tecnologia, desenvolvendo ativamente funcionários e futuros funcionários em cursos de atualização, reskilling e upskilling.

Esse tipo de treinamento e aperfeiçoamento do corpo de funcionários é fundamental para prepará-los para os processos futuros, em que a tecnologia e inteligência emocional serão aspectos importantes de serem encontrados nas equipes de qualquer tipo de empresa. Além disso, as equipes se sentem mais valorizadas quando têm a chance de se desenvolver junto com a empresa.

Sendo assim, fica fácil entender o porquê o pilar de treinamento e desenvolvimento também afeta o engajamento interno dos colaboradores e o clima organizacional. Mesmo sendo óbvio que essas duas métricas exigem uma análise mais profunda das relações organizacionais, as empresas que investem em pessoas são vistas como proporcionando os melhores ambientes para os funcionários trabalharem.

3. Comunicação

Ter uma comunicação clara ainda é, lamentavelmente, uma fraqueza em alguns negócios. Mas porque este é um princípio crucial da organização, a gestão de pessoas deve ter como objetivo alcançá-lo.

Um gestor deve se comunicar de forma segura e aberta, eliminando qualquer ruído que possa impedir as operações e relacionamentos. Os colaboradores se sentem valorizados quando uma organização incentiva o uso de técnicas de comunicação abertas e inclusivas.

Os profissionais querem ser ouvidos por seus gestores e, quando se sentem sem voz, muitas vezes ficam desmotivados. Portanto, o RH deve trabalhar para quebrar as barreiras de comunicação e reduzir os níveis de ruído no ambiente corporativo. Trabalhar em direção a uma comunicação mais horizontal e proposicional é uma maneira de conseguir isso. Com isso, vale ressaltar que hoje já existem muitos métodos e ferramentas tecnológicas disponíveis para melhorar a interação, compartilhamento de conhecimento e sugestões entre todos os níveis do organograma durante o processo de gestão.

Portanto, quando falamos sobre a comunicação na gestão de pessoas, precisamos ter em mente em sempre melhorar esses três tipos de comunicação:

  • Comunicação entre empresas e pessoas;
  • Comunicação entre líderes, funcionários e colegas de trabalho;
  • Comunicação entre funcionários e funcionários.

4. Processos

gestão de pessoasA gestão de pessoas deve seguir processos e métricas pré-estabelecidas. Com isso, o People Analytics é definitivamente muito importante para gerenciar essas métricas visando o crescimento corporativo da empresa.

Manter procedimentos claros organiza as operações diárias, promove a comunicação e auxilia no desenvolvimento geral da organização. Sendo os seguintes aspectos podem ser observados para aprimorar os processos gerencias:

  • Definir a avaliação do desempenho de colaboradores;
  • Plano para acompanhar as decisões de liderança e os ciclos de feedback;
  • Mapeamento de processos para contratação e seleção;
  • Ilustrações do processo de demissão;
  • Solicitações de benefícios, materiais, pagamentos e outras solicitações semelhantes;
  • Avaliação do clima organizacional.

Além disso, outro ponto importante para melhorar os processos internos entre a empresa e os funcionários é em relação ao controle de ponto eletrônico. Tendo em vista que manter o controle da pontualidade dos colaboradores pode gerar atritos e desconfortos se não for feito de forma segura, é necessário pensar em estratégias para minimizar esse problema.

Para isso, o ideal é usar um sistema de confiança e altamente eficaz como o Genyo. Se você quiser saber mais sobre como ele funciona, é só encontrar em contato pelo site principal.

5. Cooperação

O pilar sobre a cooperação é um dos que vem sendo desenvolvido cada vez mais, visto que essa parece ter se tornado a palavra de ordem em empresas que se destacam em seu setor. Para criar um ambiente mais colaborativo – mais saudável para o clima organizacional – é preciso evitar o foco apenas na competição.

A ideia de Team Building, ou seja, “construção do time” é fundamental para a gestão de pessoas, pois proporciona a integração e a cooperação necessárias para que os objetivos sejam alcançados. Nesse sentido, todos os profissionais se desenvolvem juntos e trabalham juntos para promover o crescimento pessoal e empresarial.

Portanto, uma forma de fortalecer a confiança entre os colaboradores e seus líderes é através do incentivo da cooperação. Os profissionais se sentem mais livres para expressar suas opiniões e ideias, o que impacta diretamente na inovação e na capacidade.

A importância da gestão de pessoas nas empresas

Embora possa parecer clichê, as pessoas são o bem mais valioso de uma organização.  Por meio deles, todos os outros aspectos do negócio se desenvolvem e interagem entre si, incluindo a venda de mercadorias, a produção de relatórios e a operação de máquinas.

O ser humano carece do estímulo constante necessário para reconhecer oportunidades e criar um trabalho de qualidade. Encontrar as melhores estratégias para alinhar toda a empresa com um objetivo é a missão da gestão de pessoas.

Esse é o principal aspecto pelo qual a gestão de pessoas deve ser levada em consideração em qualquer planejamento estratégico empresarial. Adotá-la traz diversos benefícios que impactam os negócios da organização.  Com essa estratégia, além de incentivar um ambiente mais acolhedor para os funcionários, um bom clima pode ajudar a evitar problemas graves como rotatividade, presenteísmo, estresse e falta de comunicação.

Nesse sentido, a gestão de pessoas auxilia o negócio em geral para que o trabalho seja feito da melhor forma, o que afeta diretamente os resultados. Afinal, se as equipes profissionais não estiverem alinhadas com os objetivos da organização, não adianta ter uma equipe de CEOs capazes e uma variedade de tecnologias inteligentes.

Por fim, não podemos deixar de comentar um dos pontos mais importantes ao tratarmos da gestão de pessoas, que é a redução de lucros. Isso porque uma vez que temos profissionais mais motivados e trabalhando melhor, há uma redução de custos provenientes de erros e projetos incompletos, ou mal-feitos, o que também gera menor necessidade de arcar custos de horas extras, por exemplo.

Principais indicadores de gestão de pessoas

A gestão eficaz de pessoas é aquela que estimula o engajamento, a qualificação profissional e a motivação a ponto de todo o trabalho se refletir nos resultados da empresa. Pode parecer um desafio significativo no início, mas é administrável para alinhar toda a equipe, apesar de todas as diferenças.

Embora algumas pessoas não saibam, existem algumas ferramentas que podem indicar o nível de eficácia de gestão de pessoas de uma empresa, confira os principais:

1. Produtividade

Um fator crucial em uma organização é a produtividade. É um indicador que merece atenção especial porque canaliza potencialidades funcionais para a produção de resultados e lucro como resultado.

Para conseguir medir esse fator, é preciso ter os custos utilizados em uma operação ou projeto específico, a qualidade do trabalho realizado e o tempo de finalização e entrega. Ao fazer isso, você poderá determinar se a equipe contratada está iniciando seu trabalho adequadamente e reembolsando o investimento da empresa por meio de uma lista de pagamentos, benefícios e qualificações.

2. Índice de satisfação

Como mencionamos anteriormente, manter um ambiente de trabalho seguro e acolhedor é crucial para a retenção de funcionários. Dessa forma, a satisfação do trabalhador tem um impacto direto em vários fatores, incluindo produtividade e rotatividade.

Portanto, realizar pesquisas de satisfação dos funcionários regularmente é uma ótima maneira de saber como os funcionários se sentem em relação à empresa. Isso deixará claro se alguma ação em relação ao clima organizacional ou às condições de trabalho deve ser tomada.

3. Taxa e custo de absenteísmo

Quando um membro da equipe desaparece do trabalho, o termo “absenteísmo” é usado para descrevê-lo. Calcular essa taxa e seu custo é essencial para entender quanta produtividade e dinheiro são perdidos em caso de ausência de um, ou mais, colaboradores.

Nesse sentido, essa taxa pode ser calculada dividindo o número de faltas pelo número total de dias úteis. E tudo o que é preciso para determinar o custo é descobrir se algum dinheiro teve que ser gasto para pagar o colaborador, como por exemplo, a necessidade de pagar hora extra para outro funcionário ocupar o lugar do faltante.

Um alto nível de desengajamento pode ser indicado por uma alta taxa de absenteísmo. Portanto, manter um clima organizacional positivo e condições de trabalho seguras é fundamental para garantir que os membros da equipe estejam engajados e ausentes com menos frequência. Os benefícios valem para ambos os lados.

Se você gostou deste material e gostaria de saber mais sobre gestão de pessoas e recursos humanos é só continuar navegando no site da Genyo.

 

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)