11 jul 2022

Como fazer cálculo de horas extras de forma eficiente?

cálculo horas extras

O cálculo de horas extras é tarefa comum no cotidiano de um gestor. Afinal, não é raro um colaborador terminar um mês com uma minutagem a mais de trabalho na conta.

Fazer a soma de horas (extraordinárias ou não) é uma demanda maçante. São muitas variáveis, muitos funcionários e muito tempo consumido na hora de fazer o fechamento da folha de ponto.

Se os assuntos que envolvem o cálculo de jornada excedente te deixam com algum grau de insegurança, este artigo é a sua leitura recomendada de hoje. Ao longo da nossa conversa, você entenderá:

  • O que é hora extra;
  • Hora extraordinária;
  • As leis sobre hora extra;
  • Quantas horas tem o mês [comercial];
  • Como calcular hora extra;
  • Cálculo de salário;
  • E mais.

Dito isso, se prepare por aí, pois temos um conteúdo realmente importante para a saúde financeira de sua empresa não ficar comprometida. Afinal, calcular hora extra de forma errada é um problema sério, comum e tem solução eficiente.

O que é hora extra?

Em síntese, a hora extra é o tempo trabalhado acima da jornada acordada no contrato de trabalho. Em outras palavras, todo funcionário tem uma carga horária prevista para cumprir diariamente, e quando essa carga é ultrapassada, ocorre a hora extra.

Exemplo prático: considere um colaborador que tenha uma jornada, firmada em contrato de trabalho, que inicia às 9h da manhã e termina às 18h. Na última sexta-feira do mês de junho, no entanto, esse funcionário atrasou uma entrega. Como a demanda era urgente, bem como contando com a anuência da empresa, esse trabalhador estendeu sua jornada e saiu às 20h. Esse tempo a mais trabalhado são, em tese, duas horas extraordinárias.

O pagamento pelo trabalho além da jornada normal de oito horas está previsto na Constituição Federal de 1988. O Art. 7º, inciso XVI prevê o pagamento de, no mínimo, 50% de adicional no pagamento das horas extras.

O que é hora extraordinária?

Em suma, o termo horas extraordinárias é um sinônimo para horas extras. Dessa forma, as bases conceituais e legais são exatamente as mesmas. Porém, que tal fazermos uma reflexão?

Nesse sentido, podemos entender que as horas extraordinárias são uma alternativa para que empresa e colaborador possam, esporadicamente, estenderem a jornada de trabalho.

Para o empregador, elas podem representar uma maneira de aumentar a produtividade e não atrasar entregas. Em contrapartida, o colaborador pode enxergar as horas extras como fonte segura para aumentar a renda e ter uma minutagem a mais para lidar com o desenvolvimento de suas tarefas. Logo, desde que aconteça com bom senso e ponderação, a hora extraordinária tende a ser uma boa oportunidade para todas as partes envolvidas.

Diferença entre hora extraordinária e banco de horas

É comum confundir os conceitos sobre hora extra com banco de horas, pois são duas formas de compensar o tempo a mais de trabalho. E quais as diferenças? Fácil: a forma de compensação de jornada.

No sistema de banco de horas, porém, o tempo creditado é compensado em abatimento de atrasos ou folga. Em contrapartida, as horas extras são pagas em dinheiro.

Por fim, é indispensável ressaltar que hora extra também pode ocorrer quando há a supressão do horário de almoço, uma nova modalidade trazida pela reforma trabalhista.

O que não conta como hora extraordinária?

É comum certa confusão sobre certos tempos indiretamente gastos com o trabalho se enquadrarem nas definições sobre horas extras. Para esclarecer quaisquer dúvidas nesse sentido, confira quais são as situações que não configuram como tempo excedente de trabalho:

  • Tempo de deslocamento de casa para o trabalho, bem como do trabalho para casa;
  • Permanência ociosa no local de trabalho mediante comprovação;
  • Troca de mensagens com colegas e gestores desde que não configure atividades extras como, por exemplo, envio de e-mails e reuniões;
  • Trabalho externo excedente às horas normais sem comprovação ou solicitação;
  • Confraternizações, a menos que política individual da empresa determine que são horas extras;
  • Minutos de tolerância de acordo com as políticas de cada empresa.

Agora que você já conferiu toda a base conceitual acerca das horas extraordinárias de trabalho, chegou a hora de conferir as bases legais sobre o tempo excedente de trabalho.

O que diz a CLT sobre as horas extras

Todo tempo trabalhado além do combinado no contrato é uma hora extra. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê que a jornada de trabalho não pode ultrapassar 8 horas por dia ou 44 horas semanais.

De acordo com o Art. 58 , “a duração normal do trabalho, para os empregados em qualquer atividade privada, não excederá de 8 (oito) horas diárias, desde que não seja fixado expressamente outro limite”.

No § 1o do mesmo artigo, a lei prevê que “não serão descontadas nem computadas como jornada extraordinária as variações de horário no registro de ponto não excedentes de cinco minutos, observado o limite máximo de dez minutos diários”.

Qual o limite de horas extras por dias

O tempo excedente pode ser de até duas horas diárias, independente da jornada total de trabalho. Dessa forma, o colaborador que exerce uma carga horária de 6h por dia, da mesma forma pode cumprir mais 2h – contabilizando, portanto, 8h.

cálculo horas extras

Para contratos que determinam jornada de 8h/dias, deve ser respeitado o limite de 10 horas diárias trabalhadas. Afinal, algumas empresas adotam um sistema de compensação do sábado durante a semana. Logo, de segunda a sexta, são distribuídos alguns minutos na jornada de trabalho do funcionário. Nessas situações, é indispensável se atentar às horas extras para que um dia de trabalho não ultrapasse 10 horas.

Quantas horas tem um mês comercial?

Para fins legais, o mês comercial tem cinco semanas e a semana comercial tem 44 horas. Para descobrir a quantidade de horas que tem o mês comercial, precisamos multiplicar a quantidade de semanas por horas comerciais semanais. Ou seja: 44 x 5 = 220 horas mensais.

Como fazer o cálculo para saber o valor da hora trabalhada?

Calcular o valor da hora trabalhada é um procedimento simples. Dessa forma, é preciso dividir o valor do salário bruto pela quantidade de horas mensal trabalhadas.

Um trabalhador com jornada de 44 horas semanais, por exemplo, soma 220 horas ao final do mês. Dessa forma, para saber qual é o valor da hora de trabalho, basta dividir o valor da remuneração pelas 220 horas. Logo, o cálculo para saber o valor da hora trabalhista assume a fórmula salário bruto/quantidade horas mensal trabalhada.

Considere, como exemplo, um colaborador que ganha dois salários mínimos (R$ 2.424) e que trabalhe 220h/mês. Fazendo a conta, nós temos:

  • Salário bruto/quantidade horas mensal trabalhada;
  • 2.424/220=11,01.

O valor da hora dele é R$ 11,01.

Como calcular hora extra?

Para fazer o cálculo de horas extras, é preciso saber quanto o trabalhador ganha por hora. No tópico acima, nós conferimos a fórmula para fazer essa conta, mas vamos relembrar o procedimento: salário bruto/quantidade horas mensal trabalhada.

Considerando o exemplo do tópico acima, ou seja, do trabalhador que recebe dois salários brutos por mês (R$ 2.424) e ganha R$ 11,01 por hora trabalhada. Como o adicional de hora extra é de 50%, basta acrescentar metade do valor. Veja como fica na prática:

  • Valor da hora trabalhada: R$ 11,01
  • 50% do valor: R$ 11,01 / 2 = R$5,50
  • Valor da hora excedente: R$ 11,01 + R$5,50 = R$16,51
  • Valor a ser pago por hora extra trabalhada: R$16,51

Fórmula resumida: HE = (salário bruto / quantidade de horas trabalhadas no mês) * 1,5.

O próximo passo é somar toda hora extraordinária durante o mês para chegar ao montante devido do adicional. Suponhamos que o colaborador trabalhou 10 horas excedentes no mês. Portanto:

  • Valor da hora a mais: R$16,51
  • Quantidade de hora excedente no mês: 10
  • Valor a receber: R$16,51 x 10 = R$ 165,10

Em outras palavras, vai receber R$ 2.424 + R$ 165,10 = R$ 2.589,10.

Como calcular hora extra noturna?

CLT determina um acréscimo de 20% ao valor quando as horas extraordinárias acontecem em período noturno, ou seja, devemos considerar 70% a mais para este cálculo.

Vamos utilizar o mesmo exemplo do trabalhador acima:

  • Salário de R$ 2.424 mil pela quantidade de 220 horas mensais trabalhadas.
  • Valor da hora normal: R$ 11,01
  • Sobre este resultado será acrescido 70%, dos quais referem-se: 50% pela hora extra (R$16,51) e 20% (R$2,20) por serem no período noturno.
  • Logo, temos: R$16,51 + R$2,20 = R$18,71. Esse é o valor da hora extra noturna.

Fórmula resumida: HEN = (salário bruto / quantidade de horas trabalhadas no mês) * 1,70.

Como calcular hora extra no feriado?

A hora extraordinária no feriado é bem simples, basta acrescentar 100%, ou seja, o dobro do valor da hora normal. Logo, no exemplo do funcionário que recebe R$ 11,01, a hora extra no feriado será R$ 22,02.

Como calcular as horas extras em regime 12×36?

A reforma trabalhista de 2017 validou o sistema de jornada 12×36. Em suma, essa jornada consiste em 12 horas ininterruptas de trabalho com 36 horas de descanso para o funcionário.

A hora extra na jornada 12×36 acontece desde que o trabalho após a 12ª hora seja superior a 10 minutos. Afinal, a CLT determina que os primeiros 10 minutos são considerados como período residual e dispensados de pagamento como extra. O pagamento para esse tipo de hora extra rende o adicional de no mínimo 50%.

Como calcular hora extra em caso de folgas?

É aplicado o mesmo cálculo para o pagamento de horas extras nos feriados. Logo, o funcionário que trabalhar em um dia de folga, como sábado ou domingo, recebe a hora dobrada.

Relembrando o resumo da fórmula: HEF = (salário bruto / quantidade de horas trabalhadas no mês) * 2.

Como calcular horas extras sem erros?

São vários os cenários de cálculos de horas extras. Além disso, a quantidade de números e dados utilizados pode gerar confusão na hora de calcular. Por fim, temos a situação em que há má gestão de horas extraordinárias, ou seja, trabalho excedente desnecessário.

Em suma, as situações acima fazem da hora extra o grande vilão das empresas. Afinal, o lucro pode ser menor justamente por erros de cálculos ou até mesmo pro pagamentos desnecessários.

Para contabilizar e pagar por esse tempo de trabalho excedente, bem como a jornada em si, o controle de ponto é a ferramenta indicada.

Um serviço tipo o de Controle de Ponto eletrônico Genyo antecipa cenários como esse para que o gestor possa agir preventivamente e minimizar esse tipo de situação. A plataforma dispõe de metas estratégicas que mostram quais os funcionários que mais geram gastos com horas extras para a empresa. Ou seja, trata-se de uma ferramenta que ajuda a organizar a gestão e rende contenção de gastos com pagamento de horas excedentes.

Como fazer cálculo de salário?

Antes de adentrarmos nas questões sobre calcular hora extra, precisamos ter em mente como é feito o cálculo de salário. Afinal, são cálculos diferentes, porém complementares. A seguir, vamos esmiuçar conceitos que devem estar bem claros na hora de fazer as matemáticas salariais

Qual a diferença entre salário bruto e líquido?

Salário bruto: também chamado de salário base, é a remuneração combinada em contrato com o colaborador, para ser paga mensalmente, sem considerar os descontos obrigatórios, como o INSS e o Imposto de Renda, e os descontos não obrigatórios.

Salário líquido: o popular “valor líquido” diz respeito à soma dos vencimentos do trabalhador menos todos os descontos, obrigatórios ou não.

O valor que, de fato, um colaborador recebe em conta é o salário líquido. Por sua vez, o salário bruto consta na carteira de trabalho e serve como base de cálculo.

Como fazer cálculo de salário sem errar

Para calcular os salários dos colaboradores da empresa corretamente, é preciso considerar uma série de variáveis que alteram o valor final do salário. Nesse sentido, é preciso saber:

  • O valor bruto da remuneração bruta do colaborador, lembrando que este valor é acordado no ato de sua contratação;
  • Quantidade de dias trabalhados;
  • Incidência de atrasos;
  • Somar as horas extras;
  • Descontar as contribuições obrigatórias.
  • Identificar possíveis variações salariais, como pagamentos proporcionais, jornadas reduzidas, 13º salário, horas noturnas, etc.

Se você chegou até aqui, certamente observou que o cálculo de salário depende de uma série de fatores. Logo, calcular esses valores com auxílio de planilhas ou até mesmo de forma manual pode ser uma tarefa exaustiva, contraproducente e totalmente passível a erros.

controle de jornada

Para fazer toda essa soma de horas, descontos, etc, o sistema controle de ponto eletrônico é a ferramenta indicada. Nesse sentido, um serviço igual ao Genyo atende empresas de todos os portes. Afinal, a plataforma foi desenvolvida para automatizar toda sorte de cálculos necessários para chegar no valor exato do salário.

Por isso, não perca mais tempo e inove o fechamento de folha, cálculos de horas extras. Chegou a hora de contar com essa ferramenta, que é inteligente até no nome, aí na gestão de sua empresa? Fale conosco!

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)