Modelo Squad: como montar este modelo organizacional para sua empresa?

Conheça o modelo squad e quais as vantagens ele pode trazer para a gestão da sua equipe na organização da sua empresa! Veja mais neste artigo!
Sumário
Modelo Squad

Em um mundo em constante inovação, os modelos organizacionais que predominavam outrora não são mais tidos como a única maneira de gerir. Diversos modelos de gestão tem se popularizado entre as empresas, fornecendo estratégias de otimização empresarial interessantes. Um destes é o modelo Squad. Mas o que é squad empresarial?

O modelo de gestão tradicional aplicado nas empresas, sobretudo as de médio porte, consiste em encaixar funcionários em diretorias isoladas que recebem demandas. É um modelo verticalizado que consiste em um líder que coordena as atividades de subordinados que possuem formações e habilidades similares.

Dessa maneira, os departamentos funcionam como caixas. Isolados e atravessando os anos com rotinas fixas. O modelo de squad reúne equipes multiprofissionais que lutam por um determinado objetivo em comum. Assim, elimina-se a verticalização excessiva das funções, ao mesmo tempo que dinamiza-se as tarefas e permite evoluções importantes.

Porém, o squad é muito mais complexo do que isso. Trata-se de um sistema integrado de atuação de especialistas com foco na resolução de problemas que dribla os efeitos da burocracia.

Quer entender melhor como organizar sua empresa neste formato? Continue a leitura e confira!

Como se organiza um squad?

É importante salientar que quaisquer demandas empresariais são únicas e exclusivas. Logo, é importante salientar que apesar de o squad estar presente em grandes empresas não é necessariamente o modelo de gestão ideal para qualquer firma. Existe uma série de demandas que precisam ser preenchidas para que possa-se implementar este modelo.

A ideia básica é que os funcionários  sejam divididos em “esquadrões”, como a tradução literal da palavra para o português sugere. Assim, missões específicas são dadas para um determinado esquadrão. Este grupo, por sua vez, apresenta dentro dos seus colaboradores todas, ou quase todas, as habilidades necessárias para resolver o problema imediatamente.

Por exemplo: uma determinada empresa “X” tem como desejo implementar nos seus serviços ao consumidor, um setor de atendimento virtual ao público. Em uma situação hipotética ideal, é necessário que todas as demandas para as quais aquele setor for aberto haja um funcionário especializado para resolver o problema

Dessa maneira, não precisará abrir protocolos em outros departamentos que estão sobrecarregados para enfim dar um retorno para o cliente. Todas as demandas do setor são resolvidas internamente, dando celeridade aos processos e impedindo que haja um acúmulo de demandas por setor.

O modelo de squad é baseado em uma autonomia relativa de cada funcionário presente na área definida do grupo. Ou seja, cada funcionário precisa ter poder suficiente para resolver demandas sem abrir protocolos excessivos. A ideia é que cada um responda às demandas para as quais possui uma maior habilidade.

Por fim, a comunicação entre os diversos squads da empresa precisa ser, também, muito veloz. Isso porque, apesar de ser menos frequente, existem demandas que precisam da reunião da habilidade de dois ou mais squads. Logo, os líderes destes grupos precisam estar em constante contato para operar com mais precisão e assertividade.

Quais são as vantagens do modelo squad?

O modelo squad é, sem sombra de dúvidas, um modelo de gestão que prioriza o desenvolvimento intelectual dos colaboradores. Isso porque, na maior parte das empresas, os desafios são suprimidos pela rotina de um modelo Taylorista de trabalho, onde cada funcionário “aperta botões”. Isso, com o passar do tempo, atrofia as habilidades.

Funcionários que apresentam um grande potencial em diversas áreas são limitados pela rotina repetitiva que o leva a sempre evitar o desgaste. Com isso, ao se ultra especializar em um “parafuso”, o funcionário com um grande potencial é reduzido a uma função que limita a sua adaptabilidade.

Além disso, o modelo squad diminui as burocracias que são impostas pelo próprio sistema de trabalho. Existem burocracias que são naturais e necessárias para que os protocolos sejam cumpridos e a qualidade do serviço seja mantida. No entanto, quando diversos departamentos são recrutados para resolver um problema, a burocracia tende ao exagero.

Isso ocasiona tempo de resposta ao consumidor acima do normal. Trata-se de um tempo refratário que ignora as necessidades do cliente e o faz buscar outros serviços mais velozes e eficazes. Vive-se hoje, no mundo, em um meio que não basta ser bom. Precisa ser bom e ágil. Mitigar a burocracia por concentrar especialistas autônomos em um setor é promissor.

Mais do que isso, a autonomia dada aos funcionários especializados dentro de um squad impede que rotineiramente suas tarefas sejam abortadas por um chefe despreparado. Dar a pessoas qualificadas uma autonomia relativa que permita que ele interaja com outros setores a fim de dar respostas satisfatórias a problemas é revolucionário.

Em resumo, com o modelo de gestão squad forma-se um esquadrão de trabalho ágil, preciso, otimizado, proativo e satisfatório tanto para colaboradores quanto para clientes. É um modelo de gestão, portanto, eficaz.

Quais são as desvantagens do modelo squad?

Modelo Squad
Modelo Squad

Todavia, o modelo, como qualquer outro, apresenta problemas intrínseco na sua metodologia. Um desses problemas é a falta de especialização contínua dos funcionários. Apesar de haver uma crítica necessária aos “apertadores de botão”, eles são úteis para problemas ultra específicos. Existe um espaço para funcionários muito especializados.

Quando os esquadrões passam a desenvolver missões diferentes a cada ciclo, há uma visão geral dos problemas muito mais amplo. No entanto, amplitude e profundidade são inversamente proporcionais. Ou seja, quanto mais ampla a visão do operador, menos profundo será seu conhecimento sobre os problemas mais complexos da empresa.

Além disso, o modelo de gestão squad pressupõe uma autonomia individual e, acima dela, uma autonomia da gestão de cada squad. As metas são estabelecidas individualmente por equipe, não levando em consideração as metas que são escolhidas pelas demais. Com isso, dois grandes problemas surgem: a falta de liderança e a falta de metas unificadas.

Ou seja, cada esquadrão funciona como um organismo individualizado causando problemas na gestão do conjunto. Cada grupo deve funcionar como um órgão, que juntos irão compor sistemas e, juntos, organismos funcionais.Porém, se não houver uma liderança forte esse objetivo pode se perder e os grupos passam a trabalhar como organismos distintos.

As metas também precisam ser entendidas como prioridade para o organismo da empresa e não para um determinado órgão. Imagine, por exemplo, que os pulmões de uma pessoa passem a captar oxigênio apenas para si. Por mais que tente, em pouco tempo irá entrar em falência respiratória. É importante que as metas sejam do conjunto e não só do squad.

Percebe-se que, ao mesmo tempo que algumas características são pontos positivos, quando mal usadas, tornam-se negativas. É necessário uma gestão sólida e com orientação adequada para formar um esquadrão competente.

Como posso avaliar o resultado da minha equipe squad?

O resultado da equipe squad pode ser monitorado de diversas maneiras. Contudo, é importante salientar que seu monitoramento deve ser feito assiduamente, haja vista os percalços já citados nas desvantagens que podem ser superdimensionados. A liberdade dada ao funcionário autônomo muitas vezes é algo que pode gerar impacto nos resultados.

As big techs atuais atuantes no Brasil, como AirBnb, Nubank e Spotify são exemplos de algumas empresas que trabalham com o modelo de gestão squad.  Essas empresas trabalham com um sistema em que é possível, por exemplo, uma expansão do modelo remoto, ou híbrido. Isso institui na empresa, de fato , o sistema Home Office de trabalho.

No entanto, ao permitir tal grau de autonomia, diversos problemas podem ocorrer, pois, pela presença de pessoas em casa e outras atividades, pode haver distrações. As avaliações desses funcionários podem ocorrer através do prazo de metas batidas, mas sobretudo pelo feedback constante dos seus líderes imediatos.

Os líderes imediatos de um squad precisam estar atentos a fim de perceber as inclinações e, sobretudo, o modo de trabalhar de cada indivíduo do grupo. O feedback constante para instâncias superiores da empresa sobre cada funcionário, deixa registrado a evolução de cada colaborador como indivíduo, bem como sua evolução pessoal dentro do grupo.

Além disso, é necessário que o membro faça uma autoavaliação para que constantemente enfrente questionamentos que o inspire a crescer e a evoluir. Mais do que isso, ao fazer registros constantes da sua atividade profissional, ele poderá perceber quais evoluções teve e quais ainda precisa melhorar dentro de um espectro de habilidades desejadas.

Ou seja, é necessário que haja uma supervisão ativa das atividades diárias dos funcionários. Quando necessário,  que haja um auxílio, por parte da empresa, para que o motive a um  crescimento constante.

Qual o perfil de um funcionário que trabalha no modelo squad?

Um funcionário padrão para o modelo squad tem em vista três habilidades importantes: a proatividade, a alta capacidade de adaptação e o espírito de grupo. Sem esses três requisitos básicos, é impossível contratar um funcionário que tenha um bom desempenho em uma equipe squad, pois estas ferramentas são a base para a construção da filosofia.

O funcionário que irá fazer parte de uma equipe com este grau de maturidade e complexidade precisa entender que seus resultados precisam de iniciativa particular. No entanto, quando gerados, somam pontos para o grupo. Ou seja, o colaborador precisa ir, por sua iniciativa, atrás de pontos positivos para a equipe.

Isso envolve um grau de desapego que não é fácil de adotar. Logo, deve-se incutir nos funcionários o espírito de equipe para que possam se orgulhar das conquistas do grupo. Diferentemente de empresas com modelo de gestão extremamente verticalizado, onde todos os funcionários estão correndo atrás de pontos individuais para si.

Além disso, é necessário que o funcionário tenha um alto grau de adaptação, já que as metas e missões vão mudar constantemente. O foco na resolução de problemas precisa de pessoas dispostas a se doarem, ao mesmo tempo que possuem vitalidade para aprender novas habilidades constantemente.  É um mundo de mudanças contínuas.

Assim, a proatividade entra neste perfil porque como funcionário autônomo, que decide muitas coisas por si, é fácil tender a escolher o caminho mais fácil, ou conhecido. Muitas vezes a resposta mais adequada para alguns problemas está no novo, no que a empresa não experimentou. Pode estar em conhecer como, ao redor do mundo, outros trabalham.

Essa necessidade de pesquisar como fazer melhor das próximas vezes, entender como outras empresas bem sucedidas têm resolvido os problemas é imprescindível no modelo esquadrão.

Como o Genyo pode ajudá-lo a desenvolver o modelo squad na sua empresa?

O modelo squad, como já mencionado, envolve liberdade do funcionário e das equipes que, se não forem bem utilizadas, podem comprometer os resultados da empresa. Trata-se, portanto, de um modelo que precisa de um controle menos incisivo, porém efetivo, pois se não for bem executado compromete o andamento das tarefas que devem ser executadas.

Dessa maneira, o Genyo desenvolveu um sistema  de registros de pontos eletrônicos que facilita o controle de horários dos funcionários, através de uma interface interativa. O mais interessante é que os registros de pontos eletrônicos podem ser batidos à distância, quando funcionários precisam sair das dependências empresariais para missões externas.

Com os controles manuais, o registro pode ser facilmente alterado. Sobretudo se forem feitos em livros de pontos escritos à mão, ou através de cartões corporativos fornecidos aos funcionários. É sabido que existe um padrão de fraude cometido constantemente pelos funcionários de empresas que rasuram dados e comprometem a confiabilidade do registro.

Além disso, é importante que registros sejam feitos para funcionários em Home Office, ou que trabalham fora dos limites empresariais para que sua saúde mental seja garantida. Funcionários com muita flexibilidade de horário podem tender a se estender do período de trabalho, levando-os a um quadro de estafa mental que pode lesar seu lado psíquico.

Portanto, para proteger os interesses da empresa, bem como a própria saúde mental do colaborador, faz-se necessário um controle ativo do período de trabalho deles. Para tanto, o Genyo possui a metodologia mais sofisticada para controle de ponto disponível no Brasil, pois utiliza interface interativa e de fácil manuseio.

Para conhecer melhor os sistemas Genyo, acesse o nosso blog e continue interagindo com este e outros conteúdos informativos que vão alavancar a gestão da sua empresa!

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog

Consentimento de Cookies

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Ao continuar navegando, você declara ciência dos: Termos de Uso, Políticas de Privacidade e Cookies.