Flexibilidade, fluidez e eficiência: Entenda como o modelo de gestão ágil pode ajudar sua empresa.

Saiba o que é gestão ágil, como esse modelo pode melhorar os resultados da sua empresa, além de conferir dicas de como implementá-lo. Veja mais neste artigo!
Sumário
Gestão ágil

Se destacar no mercado de trabalho não é uma tarefa fácil, pois cada vez mais empresas promovem qualidade e inovação na entrega de seus produtos. Assim, para se destacar é preciso estar a frente, se adaptando às novas tendências do mercado, seja do ponto de vista tecnológico ou até mesmo administrativo. Por isso, o modelo de gestão ágil é uma das melhores estratégias para se adaptar adequadamente às novidades do mercado.

Esse modelo garante flexibilidade e agilidade na remodelação de novos desafios, otimizando a capacidade de adaptação, que é tão importante no mercado atual.

Mas você sabe o que de fato é uma gestão ágil, como ela funciona e quais as suas principais vantagens? Para te ajudar com isso, criamos um artigo para abordar melhor a gestão ágil aplicada no contexto corporativo. Além disso, preparamos dicas fundamentais para que você possa conseguir implementar esse modelo na sua empresa.

Ficou curioso para saber melhor sobre o assunto? Então fica de olho na matéria a seguir!

O que é gestão ágil?

Em primeiro lugar, é preciso entender o que significa o conceito de gestão ágil, e quais são as suas principais características. Assim, gestão ágil é um modelo de gestão de projetos que acontece em ciclos menores, o que possibilita que os processos de desenvolvimento sejam realizados de maneira mais dinâmica.

Em outras palavras, o modelo de gestão ágil dá enfoque na resolução de problemas de maneira mais rápida, através da divisão de uma meta maior em objetivos menores. Assim, em vez de desenvolver de uma vez um grande projeto, a gestão ágil quebra a meta geral em pequenos objetivos que são cumpridos em pequenos ciclos.

Sendo assim, a possibilidade de se adaptar às novas mudanças são otimizadas nesse tipo de modelo de gestão. Isso acontece porque não é preciso alterar todo o projeto caso alguma mudança aconteça, basta promover alterações em microprocessos.

Por exemplo, vamos supor que um projeto desenvolvimento de um software seja solicitado a uma equipe de programadores. Em uma gestão ágil esse desenvolvimento pode ser quebrado em várias etapas, que são avaliadas pelo cliente continuamente. Assim, caso seja necessário modificar algum requisito, os ajustes são mais fáceis de serem realizados.

Dessa maneira, em uma gestão ágil há a possibilidade da participação ativa de um avaliador, que pode ser por exemplo o cliente ou até uma liderança. Por isso, esse projeto é desenvolvido de maneira participativa, o que evita grandes retrabalhos caso algo precise ser modificado.

Como surgiu esse modelo?

O modelo de gestão ágil teve a sua gênese sob as influências do Toyotismo, um modelo de produção criado na segunda metade do século XX. Assim como a gestão ágil, o Toyotismo reconhece a necessidade de ser flexíveis e se adaptar rapidamente a mudanças nas demandas do mercado, atuando de maneira eficiente.

Entretanto, o modelo de gestão ágil foi concebido somente em 2001, através do manifesto ágil, concebido por um conjunto de desenvolvedores de software estadunidenses. Nessa ocasião, os programadores se reuniram para pensar em novas formas para aprimorar o desenvolvimento de processos, diferente do modelo tradicional.

Assim, o manifesto ágil foi além de um marco no desenvolvimento de software, foi necessário para estabelecer valores e princípios para guiar o processo de de forma mais eficaz. Dessa maneira, o manifesto ágil inspirou a elaboração das 4 metodologias de gestão ágil conhecidas atualmente.

Como é o funcionamento da gestão ágil?

Como introduzido anteriormente, a gestão ágil opera por meio de breves ciclos de trabalho, que são denominados de sprints.

Assim, as equipes que trabalham de maneira autônoma  se reúnem para estabelecer prioridades e tarefas durante cada sprint. Durante esses períodos, o enfoque é na entrega contínua, acompanhada por revisões e adaptações frequentes.

A metodologia ágil promove equipes com capacidade de autogerenciamento, colaborando de forma conjunta. Essa abordagem permite um desenvolvimento colaborativo e inovador dos projetos, concedendo-lhes a flexibilidade e agilidade necessárias para responder às demandas específicas.

Ou seja, quando uma mudança surge, as equipes em conjunto discutem as alterações a serem realizadas em cada sprint, em vez de recomeçar o projeto do início. Por isso, essa estrutura fomenta um ambiente propício à inovação e melhoria constante, já que as equipes conseguem se ajustar prontamente a mudanças imprevistas nos projetos.

Gestão ágil versus gestão tradicional: Entenda as diferenças.

Gestão ágil
Foto: AndreyPopov

Existem algumas diferenças primordiais entre uma gestão ágil e uma gestão no modelo tradicional, principalmente na estrutura no qual o processo é realizado.

Ao contrário da gestão ágil, o modelo tradicional não subdivide o projeto em pequenos ciclos, ou seja, não há o estabelecimento de sprints. Assim, o desenvolvimento do produto é estruturado em cascata. Isso significa que todas as etapas da criação são realizadas de ponta a ponta, ou seja, como um todo.

Assim, em um modelo tradicional o produto não é desenvolvido em partes, mas é desenvolvido por completo. Com isso, o cliente ou a liderança só avaliam o projeto durante a entrega do produto final. Por isso, caso seja necessário modificar algum requisito, o projeto deve ser recomeçado do começo, através das etapas iniciais.

Sendo assim, diferente da gestão ágil, a gestão tradicional é pouco adaptativa, pois sua estrutura de desenvolvimento dificulta as alterações. Além disso, outra diferença importante é o fato de uma gestão ágil promover um desenvolvimento em conjunto, de maneira interdisciplinar, e com constantes feedbacks.

Quando esse modelo pode ser empregado?

Devido às suas características essenciais, o modelo de gestão ágil é melhor aplicado em algumas situações do que em outras. Mas afinal de contas, quando esse modelo pode ser melhor utilizado na prática?

Em primeiro lugar, é importante esclarecer que não existe uma receita de bolo, e portanto, o modelo deve ser concebido de acordo com a avaliação de vários aspectos. Assim, isso vai depender do tipo de projeto desenvolvido pela empresa, bem como das suas características e objetivos almejados pela empresa.

Portanto, pode-se afirmar que o modelo de gestão ágil pode ser implementado para aqueles projetos que possuem certas incertezas, e que precisam ser continuamente modificados. Assim, a versatilidade fornecida pela estruturação do modelo de gestão ágil pode contribuir para uma melhor eficiência nesse tipo de situação.

Além disso, outra situação em que um modelo de gestão ágil possa ser uma boa escolha é em empresas que fomentem a cultura de feedbacks constantes. Assim,  esse modelo é uma boa escolha caso a empresa veja a necessidade de que os feedbacks sejam dados durante o desenvolvimento de projetos, e não apenas no final.

Quais as vantagens da gestão ágil?

Como já mencionado anteriormente, a gestão ágil possui algumas características que promovem uma série de vantagens para as empresas. Mas quais seriam esses benefícios na prática?

Primeiramente, a gestão ágil favorece uma maior eficiência no desenvolvimento de um projeto, pois conta com uma equipe ampla e integrada. Assim, além da participação de mais colaboradores, a capacidade de se adaptar às intercorrências e corrigi-las mais rapidamente permite que esse modelo seja eficiente.

Da mesma forma, há uma melhora considerável na qualidade do produto final, pois o constante feedback favorece alterações finas que promovem o aprimoramento. Esses ajustes, que ocorrem durante todo desenvolvimento, repercutem em um resultado de melhor qualidade.

Além disso, a garantia de satisfação do cliente é outro benefício, que surge como consequência das duas primeiras vantagens. Por outro lado, além de impressionar o cliente com os indicadores de qualidade, a gestão ágil permite que ele dê feedbacks durante o processo, contribuindo para o aumento da sua satisfação. 

Por outro lado, a gestão ágil promove um aumento da colaboração por parte das equipes de trabalho, que passam a desenvolver as demandas em conjunto  e de maneira mais integrada.

Por último, uma grande vantagem super importante que é conseguida através de uma gestão ágil são as constantes melhorias no desenvolvimento do projeto. Assim, esse modelo contribui para que ocorram ajustes a qualquer momento, inclusive após a finalização.

Quais os principais métodos de gestão ágil?

Existem algumas metodologias que são responsáveis por conceber o modelo de gestão ágil, cada qual com suas particularidades. Assim, os 4 principais tipos de metodologia, bem como sua aplicação serão detalhados nos tópicos a seguir.

1- Metodologia Scrum

Essa é a metodologia mais utilizada nas empresas atualmente, e funciona através do seguinte processo:

Os projetos são fragmentados em ciclos denominados sprints, com duração entre 2 a 4 semanas. O Product Owner é responsável por definir as características do produto, enquanto o Time Scrum se encarrega das entregas, com liderança do Scrum Master.

Assim, reuniões diárias são realizadas para discutir as tarefas em andamento e o progresso das atividades. Ao término de cada sprint, uma reunião é conduzida para relatar o progresso, priorizar a próxima etapa e efetuar ajustes, se necessários.

2- Metodologia Kanban

Kanban, um método organizacional visual, é um sistema que facilita o gerenciamento do fluxo de atividades. Para isso, se utiliza representações visuais, como cartões movidos entre colunas para indicar o status de cada tarefa. Ferramentas populares como Trello, seguem essa abordagem.

O objetivo primordial do Kanban é otimizar o fluxo de trabalho, restringindo o número de tarefas simultâneas.

3- Metodologia Lean

A abordagem Lean é um método voltado para a maximização do valor entregue ao cliente, visando a eliminação de desperdícios. Assim, seu foco reside na identificação das prioridades essenciais e na criação de um fluxo de trabalho fluido, evitando excessos e buscando aprimoramentos contínuos..

4- Metodologia XP

O Extreme Programming (XP) é um método ágil que visa garantir a plena satisfação do cliente ao entregar um produto de alto valor dentro de prazos adequados.

Seus fundamentos englobam a busca pela simplicidade, eliminando características desnecessárias. Sendo assim, a obtenção de feedback frequente dos clientes através de testes e sugestões permite a contínua adaptação do produto até sua conclusão.

Confira dicas para implementar a gestão ágil na sua empresa

Implementar um modelo de gestão ágil não é uma tarefa tão simples, pois é preciso mudar a cultura de toda a organização. Para auxiliar nisso, separamos algumas dicas fundamentais que podem ajudar nesse processo.

1- Reconheça os potenciais projetos

Nem todo projeto vai se encaixar bem num modelo de gestão ágil, por isso o primeiro passo é verificar quais são aqueles mais adequados para esse modelo. Assim, procure aqueles projetos que precisem ser modificados ao longo do tempo, e que necessitam de uma equipe interdisciplinar para ser desenvolvido com qualidade.

2- Estruture o programa na empresa

O segundo passo é viabilizar esse processo de implantação, e para isso é preciso estruturar a gestão antes. Assim, é preciso garantir o treinamento corporativo direcionado para a equipe entender o funcionamento do modelo e metodologia que será adotada.

A seguir, é o momento de selecionar as equipes que participarão do modelo de gestão ágil, que são as mesmas alocadas nos projetos selecionados. Após montar essas equipes, é preciso estabelecer quais são as práticas que devem ser adotadas, que vai depender do tipo de metodologia escolhida.

3- Aprimore continuamente o programa

Por último, após a gestão ágil já está a pleno vapor, é preciso avaliar constantemente se os resultados estão sendo atingidos. Assim, é preciso pedir feedbacks da equipe que está atuando com esse modelo, e avaliar a necessidade de possíveis treinamentos ou modificações de conduta.

Além disso, a empresa deve incentivar que a cultura da gestão ágil seja disseminada pela empresa, de maneira que aos poucos os funcionários internalizem esse processo. A criação dessa cultura fornece a estabilidade da prática desse tipo de gestão em uma empresa.

Qual a melhor tecnologia para esse modelo?

O modelo de gestão ágil requer uma atuação conjunta, com líderes e gestores atuando de maneira conjunta durante esse desenvolvimento. Assim, é preciso contar com um sistema que possibilita essa integração em todos os âmbitos, inclusive na gestão de pessoas.

Assim, o melhor sistema de gestão de pessoas que possibilita essa integração no mercado atual é o software de controle de ponto. Com a plataforma do Genyo é possível cadastrar uma quantidade ilimitada de gestores com acesso ao sistema.

Com isso, é possível viabilizar que vários líderes e gestores, de diferentes setores, trabalhem de maneira integrada. Além disso, o Genyo conta com uma API de integração que permite a conexão com qualquer outro sistema e ERP, utilizando poderosos endpoints para realizar essa comunicação.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog