Exaustão no trabalho: Saiba o que é, quais os riscos e como prevenir esse problema.

Saiba o que é a exaustão no trabalho, quais os prejuízos disso, porque as empresas precisam ficar atentas e como elas podem se prevenir.
Sumário
Exaustão no trabalho

Quando acontece de maneira crônica e exagerada, o estresse e sobrecarga de trabalho pode causar um dos maiores problemas no mundo corporativo: a exaustão no trabalho. Por sua vez, a exaustão no trabalho traz consigo sérios prejuízos à saúde do trabalhador e na produtividade de uma empresa.

O mercado de trabalho traz consigo desafios, que muitas vezes exigem dedicação e comprometimento por parte dos colaboradores e gestores de uma empresa. Todo esse processo pode causar estresses no dia a dia, e até mesmo sobrecarga de trabalho.

Mas como é possível identificar uma exaustão no trabalho, e como é possível prevenir que ela aconteça no ambiente da minha empresa? Para auxiliar nisso, criamos um artigo que vai abordar tudo sobre exaustão no trabalho, além de estratégias para evitá-las.

Ficou interessado em saber mais sobre o assunto, e o que fazer nessas situações? Então fica de olho na matéria a seguir!

O que é exaustão no trabalho?

Inicialmente é importante entender o conceito de exaustão no trabalho, e em quais situações poderá estar presente. Dessa maneira, como o próprio nome sugere, a exaustão no trabalho é o estado de fadiga, cansaço físico ou esgotamento, devido ao conjunto de razões associadas ao trabalho.

Essas situações associadas ao trabalho estão relacionadas com o estresse cotidiano na realização das atividades, e muitas vezes, com a sobrecarga de trabalho.

Exaustão no trabalho
Foto: SrdjanPav

Ou seja, colaboradores que possuem estresse no trabalho podem desenvolver uma exaustão no trabalho, devido ao esgotamento físico e mental. Essas alterações geralmente acontecem do ponto de vista biológico, mas possuem repercussões na esfera biológica, psíquica e social.

Em outras palavras, a exaustão no trabalho pode se manifestar tanto como um esgotamento físico, mental, ou até com repercussões que possam cursar com o isolamento social. Quando essa sobrecarga e estresse ocorrem de maneira crônica, ou seja, ao longo do tempo, condições mais graves como a síndrome de Burnout podem surgir.

Entenda mais sobre a síndrome de burnout

A síndrome de burnout é uma condição de completo esgotamento físico e mental, associado ao estresse crônico relacionado ao trabalho. Essa síndrome compromete a saúde dos indivíduos, e pode ser entendida também como um distúrbio emocional, com diversos sintomas associados.

A síndrome de burnout é um problema muito atual, que explodiu em casos durante a pandemia da COVID-19, principalmente relacionadas aqueles profissionais da área da saúde que atuavam no enfrentamento da crise sanitária.

Atualmente, essa síndrome está sendo melhor esclarecida, e é muito identificada naquelas profissões com carga laboral acima do suportável pelos indivíduos. São exemplos de profissionais que geralmente sofrem com a síndrome de burnout, médicos, enfermeiros, professores, jornalistas, e demais profissionais que estão sob constante pressão.

É importante ressaltar que apesar de se assemelhar com uma exaustão no trabalho, a síndrome de burnout é uma condição de maior gravidade, que causa sérios problemas. Entretanto, as causas para o surgimento da síndrome podem ser as mesmas dos casos de exaustão, e por isso, a exaustão no trabalho pode evoluir para uma síndrome burnout.

O que pode causar uma exaustão no trabalho

É difícil delimitar uma causa específica que possa causar exaustão no trabalho, ou repercutir com uma síndrome de burnout. Geralmente, existem diversas condições e motivações que podem acarretar nesses problemas, variando a depender do indivíduo

Por isso, o objetivo aqui não é disponibilizar uma fórmula mágica que descreva todas as causas que levam à exaustão. Entretanto, podemos levantar fatores de risco que geralmente estão associados aos casos de exaustão no trabalho para a maioria das pessoas.

A enorme maioria das pessoas que cursam com síndrome de burnout, ou quadros de exaustão no trabalho, possuem uma sobrecarga laboral.

Ou seja, são pessoas que realizam muitas atividades, possuem diversas atribuições, dedicando-se excessivamente. Isso pode ser visto nas empresas que designam diversas funções para poucos colaboradores exercerem.

Um grande fator associado a isso são as jornadas de trabalho exaustivas, que não possuem flexibilidade de trabalho. Essas situações aumentam consideravelmente o risco do trabalhador adquirir um quadro de esgotamento físico associado ao trabalho.

De outra maneira, o excesso de pressão no trabalho é outro fator de risco muito associado com o desenvolvimento de exaustão no trabalho. Essas situações geralmente ocorrem quando líderes e gestores exigem o cumprimento de metas alcançáveis para um único indivíduo ou equipe, em um curto intervalo de tempo.

Dessa forma, o ambiente de trabalho também pode ser associado a esse problema, pois locais de competitividade e cobranças contribuem para o estresse crônico.

Muitas vezes a falta de tempo é tão excessiva que não sobram momentos para que o colaborador consiga se dedicar às demandas da vida pessoal. Por isso, esse desequilíbrio entre vida pessoal e profissional também estão associados à exaustão no trabalho e esgotamento físico e mental.

Assim, todo ser humano precisa de um tempo para usufruir, com atividades de lazer e bem-estar, que sirvam para recarregar as energias. Em muitos casos de exaustão no trabalho, os indivíduos não possuem tempo de qualidade com amigos, familiares, para que possam exercer o direito ao lazer.

Quais as consequências disso para o trabalhador?

As consequências do estresse no trabalho, ou mesmo a sobrecarga de trabalho, são como mencionado anteriormente, um quadro de exaustão no trabalho ou até síndrome de burnout.

Entretanto, o mais preocupante disso tudo é o comprometimento da saúde do trabalhador, devido ao esgotamento físico. Inúmeros prejuízos estão associados, inclusive o desenvolvimento de outros problemas de saúde como ansiedade e depressão.

Portanto, as consequências de um ambiente de trabalho que culminam em situações de exaustão estão associadas a deterioração da saúde física e mental do trabalhador.

Além disso, o estresse crônico é fator de risco para diversas outras síndromes de caráter biológico, e estão associadas a doenças crônicas como a  Hipertensão Arterial Sistêmica. Portanto, muitas doenças que possuem causas orgânicas, como a gastrite de estresse, na verdade estão associadas a problemas como os de exaustão no trabalho.

Quais os sinais de exaustão no trabalho?

É possível identificar quando os trabalhadores da minha empresa estão passando por um processo de exaustão no trabalho? Sim, existem alguns sinais associados a esse problema, manifestando-se principalmente nos trabalhadores.

Portanto, é preciso observar o comportamento do colaborador, e questioná-los sobre alguns sintomas clássicos da exaustão no trabalho, ou da síndrome de burnout.

O sintoma mais associado aos casos de exaustão no trabalho são fadiga, e sensação de cansaço ao realizar tarefas, tanto do trabalho, quanto da vida pessoal. Além disso, o trabalhador poderá se queixar também de falta de concentração, ou diminuição da atenção ao realizar tarefas que antes eram cumpridas normalmente.

De outra forma, existe uma manifestação clínica muito associada ao quadro de exaustão, que é a irritabilidade, muitas vezes interpretada como um mau-humor constante. O trabalhador pode também sentir-se desmotivado em realizar as atividades da vida e do trabalho.

Entretanto, vale ressaltar que essa desmotivação não é devido a um quadro depressivo, mas geralmente por falta de energia para desempenhar tarefas. Assim, geralmente essa queixa pode ser percebida quando um colaborador deixa de participar de alguma atividade por estar cansado demais.

Como mencionado anteriormente, a exaustão no trabalho pode contribuir para o aparecimento de doenças orgânicas. Assim, esse problema pode ser identificado naqueles colaboradores que frequentemente procuram atendimento médico. Geralmente eles se queixam de dores de cabeça, gastrite,  insônia, e até mesmo infecções de recorrência.

É comum notar também a diminuição na produtividade de determinado colaborador que esteja enfrentando situações de exaustão no trabalho.

Por que é importante prevenir a exaustão no trabalho?

É muito importante que a empresa demonstre interesse na prevenção a saúde de seu trabalhador, e por esse motivo, deverá se preocupar em prevenir a exaustão no trabalho.

Entretanto, mesmo que o prejuízo à saúde do trabalhador seja motivo suficiente para a o empregador demonstrar preocupação com a exaustão no trabalho, existem outros fatores que podem prejudicar a empresa.

Assim, a exaustão no trabalho está muito associada a diminuição na produtividade do colaborador, o que causa prejuízo também para a empresa. Além disso, a exaustão está muito associada com o fenômeno de turnover. Ou seja, ocorre aumento da rotatividade de funcionários, que abandonam a empresa por não suportar as condições de trabalho.

Por isso, é importante que as corporações busquem prevenir os casos de exaustão no trabalho, prezando pela saúde do trabalhador e minimizando os prejuízos à empresa.

Como é possível prevenir os casos de exaustão no trabalho?

Assim como não existe uma causa específica para exaustão no trabalho, também não existe uma fórmula mágica para evitar que isso aconteça. Entretanto, os gestores de empresas podem trabalhar na identificação desse problema, e no planejamento para evitar essas situações.

Para auxiliar nisso, separamos algumas dicas que ajudam muito a minimizar os casos de exaustão no trabalho na prática. Lembrando que essas estratégias são gerais e apenas auxiliam no processo, mas não devem ser vistas como soluções definitivas para todos os casos.

1- Promova um ambiente de trabalho acolhedor

É preciso transformar o ambiente de trabalho em um local acolhedor, livre de julgamentos e competitividades desnecessárias. Assim, o trabalhador se sentirá confortável para realizar suas atividades, evitando estresses cotidianos.

Algumas estratégias para criar esse tipo de ambiente está no direcionamento do funcionário através de esquemas de feedforwards. Nesse tipo de direcionamento não há o reforço das condutas negativas do funcionário, mas um reforço positivo das suas habilidades que precisam ser aprimoradas.

Seja qual for a estratégia utilizada, é preciso investir em um ambiente acolhedor e confortável, em que o colaborador se sinta confortável e familiarizado com a empresa.

2- Crie ações para garantir o bem-estar do colaborador

Outra medida que pode ser pensada está no desenvolvimento de um wellness corporativo, ou seja, na promoção ao bem-estar do colaborador na empresa. Isso contribui diretamente para a redução dos estresses crônicos que podem culminar em situações de exaustão no trabalho.

Assim, para promover o wellness corporativo a empresa pode pensar em mudanças na estrutura física do ambiente de trabalho que causem conforto, adesão a programas de relaxamento, criação de confraternização no trabalho, dentre outras coisas.

3- Forneça benefícios espontâneos

Outra estratégia para reduzir a carga de estresse é demonstrando que o colaborador é valorizado na empresa, e incentivando-o a realizar tarefas de lazer.

Assim, aderir aos benefícios espontâneos pode ser uma dica valiosa para fazer com que o trabalhador sinta-se valorizado, ao mesmo tempo que o incentiva à realização de atividades de lazer. Portanto, a empresa poderá oferecer vale-cultura, programas de parcerias com academia, day-off, assistência médica e psicológica, dentre outros benefícios.

4- Flexibilizar a jornada de trabalho

Por último, uma dica super importante é fazer com que o trabalhador possa ter tempo para equilibrar sua vida pessoal e profissional. Muitas vezes, não é possível diminuir a carga horária de um colaborador, mas o empregador poderá flexibilizá-la

Ou seja, uma estratégia para diminuir a exaustão no trabalho é através da flexibilidade no horário de trabalho, situação em que o trabalhador poderá conciliar melhor sua vida pessoal.

Isso pode ser feito de diversas formas, flexibilizando-se o local de trabalho, a jornada de trabalho, com horários fixos ou variáveis. Com isso, o trabalhador terá mais versatilidade para se adaptar às demandas da empresa, conciliando melhor a vida pessoal e profissional.

Como um bom sistema de controle de ponto pode contribuir nisso?

Como mencionado anteriormente, uma das principais estratégias, se não a mais valiosa, para reduzir os casos de exaustão no trabalho é através da flexibilização no trabalho. Mas como é possível fazer isso na prática, ao mesmo tempo em que se faz o controle da carga horária, de maneira prática e dentro da lei?

A melhor maneira de flexibilização no trabalho e diminuição da exaustão é através do uso de um software de controle de ponto. Com a ferramenta do Genyo é possível flexibilizar o horário e local de trabalho, através do ponto eletrônico.

Com o Genyo é possível que o colaborador bata ponto em qualquer lugar definido pela empresa, através da funcionalidade de cerca virtual. Assim, o espaço físico não está limitado à empresa, o que contribui para flexibilização do local de trabalho.

De outra maneira, o genyo conta com um banco de horas que permite que o colaborador possa utilizar as horas a mais na empresa para compensar atrasos e faltas. Isso possibilita uma maior flexibilidade de horários, e pode reduzir significativamente os casos de exaustão no trabalho, ao contribuir para a conciliação da vida pessoal e profissional do funcionário.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog