Técnicas para melhorar o ambiente de trabalho: ginástica laboral

A ginástica laboral é uma excelente maneira de praticar o descanso com intenção durante o expediente. Veja como colocar em prática. Veja mais neste artigo!
Sumário
ginatisca-laboral-para-melhorar-o-ambiente-de-trabalho

A ginástica laboral é uma das técnicas mais utilizadas para reduzir reclamações sobre o estresse e dores no corpo durante o trabalho. Essa técnica vem sendo inserida nos mais diversos mercados e áreas de atuação, mas sempre com o mesmo objetivo: melhorar o ambiente de trabalho. Para evitar perder rendimento, muitas empresas investem na ginástica laboral de forma simples e bem prática. Ficou interessado nesta ferramenta de saúde administrativa? Então, acompanhe este artigo na íntegra.

Ginástica laboral: o que é

Bom, a ginástica laboral nada mais é do que uma técnica criada especialmente para ajudar a amenizar desconfortos durante o trabalho. A ideia é estimular músculos e ligamentos que normalmente não são movidos durante as longas horas de trabalho. Essa ferramenta é mais utilizada por aqueles profissionais que passam horas parados em uma posição específica. Isso serve tanto para aqueles funcionários que precisam ficar em posições extraordinárias para realizar determinada tarefa, quanto para aqueles que permanecem sentados durante todo o expediente.

Qual a importância da ginástica laboral?

Para entender este tópico, tente realizar uma lista com os principais argumentos de quem não tem o costume de realizar atividades físicas. Provavelmente, no topo dessa lista está algo relacionado à falta de tempo e cansaço após o trabalho. E, realmente, esse fator atrapalha e até mesmo impede o indivíduo de realizar atividades físicas regularmente.

É importante pensar na empresa como uma rede diversificada com pessoas que possuem diferentes estilos de vida e oportunidades. Para aqueles que vivem próximos ao local de trabalho ou se deslocam confortavelmente com um carro, pode não ser tão difícil ter motivação para se exercitar. Porém, para aqueles que vivem longe e ainda passam por desafios diários com o transporte público, essa situação já fica mais complicada.

Por isso, estimular a ginástica dentro do próprio ambiente de trabalho é uma maneira eficaz de garantir que o funcionário terá acesso a essas atividades. Dessa forma, a empresa consegue melhorar tanto a qualidade de vida, quanto o rendimento profissional deste funcionário.

Onde é possível fazer ginástica laboral?

A ginástica laboral prescinde de aparelhos ou ferramentas para ser praticada, ou seja, pode ser feita em qualquer lugar. Desse modo, tanto profissionais que trabalham em escritórios, quanto os que trabalham a céu aberto conseguem manter uma boa rotina de exercícios. Outra vantagem é que essas técnicas também podem ser utilizadas pelo quadro de funcionários que trabalham em home office.

Essa ginástica substitui o exercício físico tradicional?

Se você conheceu a ginástica laboral por agora e tem o costume de fazer exercícios físicos com frequência, pode estar se perguntando se um substitui o outro. De forma geral, a resposta para esse questionamento é não. Isso porque cada exercício trabalha uma área diferente, portanto, elas são complementares. Essa questão fica ainda mais compreensível ao pensar na ginástica laboral como um tipo de alongamento.

Quem tem afinidade com atividades físicas sabe que é importante se alongar antes de realizar algum exercício. Essa técnica previne que acidentes aconteçam durante o exercícios de alguns músculos, principalmente quando ele é forçado a exaustão.

Ao trabalhar com movimentos repetitivos, é possível considerar que um profissional realiza exercícios intensos e exaustivos em certos aparelhos motores. Então, para evitar acidentes ou cansaço, é extremamente importante praticar a ginástica laboral. Contudo, é sempre importante lembrar que isso não substitui a prática de outras atividades físicas.

Precisa de condicionamento físico para fazer ginástica laboral?

Não! Diferentemente de outras formas de exercício, como esportes ou pegar peso em academias, a ginástica laboral pode ser feita de forma simples. Isso quer dizer que nem você, nem os seus funcionários precisam realizar treinos específicos antes de iniciar as técnicas de ginástica laboral. Com técnicas leves, mas potentes, essa ginástica é uma ótima forma de relaxar os músculos tensionados.

Quais os tipos de ginástica laboral que podem ser realizados?

ginástica laboralDentro de um ambiente de trabalho controlado, os limites para a realização de ginástica laboral são ínfimos. Por isso, o melhor a fazer é entender a ginástica laboral de forma extensa e escolher aquela que melhor se adapta à rotina e ao comportamento de cada funcionário. Para saber mais sobre os tipos de ginástica laboral, confira abaixo alguns exemplos:

1. Ginástica de relaxamento

Você sabia que com o passar dos anos e o desenvolvimento do mundo moderno, as pessoas desaprenderam a respirar adequadamente? Com o estresse e a correria do dia a dia, os indivíduos sentem dificuldade para absorver ar suficiente para manter suas atividades físicas e mentais em pleno funcionamento.

O problema é que esse comportamento afeta a movimentação e a tensão dos músculos. Isso acontece devido ao acúmulo de uma substância conhecida como ácido lático durante atividades físicas com a respiração anaeróbica. Esse ácido lático se acumula nas fibras musculares e pode causar incômodos e dores, as famosas cãibras.

Para evitar ou diminuir esse problema, as empresas utilizam técnicas de ginástica laboral de relaxamento. Esses exercícios são realizados ao fim do expediente, com o objetivo de contrair os músculos que estavam relaxados e relaxar aqueles que previamente estavam contraídos.

2. Ginástica preparatória

Em contraste com a ginástica de relaxamento, a preparatória é utilizada justamente antes do expediente começar. A ideia é condicionar os funcionários durante os momentos iniciais do dia para que eles iniciem a jornada de forma mais leve. Essa técnica é muito interessante para funcionários terceirizados, que já possuem uma carga a mais por trabalharem para uma outra empresa vinculada a principal.

Infelizmente, nem todas as pessoas consideram o seu ambiente de trabalho ou o cargo que ocupam como um prazer. E isso faz com que a tarefa de trabalhar se torne exaustiva e super estressante, então, é comum que elas já cheguem ao trabalho sem ânimo. Para reduzir os impactos desses sentimentos ruins, a ginástica laboral ajuda a diminuir o estresse e auxilia o profissional a se concentrar.

3. Ginástica preventiva

Engana-se quem acredita que a ginástica preventiva é direcionada apenas a indivíduos da terceira idade. A verdade é que todas as pessoas podem e devem fazer uso de técnicas que previnam cansaço muscular e doenças. Fortalecer o corpo não é apenas uma questão de estética, mas também de bem estar e saúde. Você sabia que muitas doenças demonstram quadros clínicos apenas quando o doente está com baixa preparação muscular?

Estar doente não é uma boa situação em caso algum, porém as empresas apresentam dois tipos de prejuízo durante essa situação. O primeiro prejuízo é a falta que um colega ou funcionário querido faz na empresa. Boa empresas não são constituídas apenas daqueles indivíduos mais capacitados, e sim de uma equipe que funcione de forma coordenada e interativa. Então, quando um profissional que tem boas qualidades de interação fica doente, essa pessoa faz muita falta durante o expediente.

Já o segundo prejuízo tem relação com a lucratividade e rendimento da empresa. Como os processos estão cada dia mais velozes, um dia pode fazer total diferença para a companhia. Durante a pandemia, diversas empresas relataram grandes prejuízos com a falta de pessoal por estarem debilitados com o vírus, mesmo após a infecção. Apesar de a ginástica preventiva não evitar o contágio, ela ajuda a acelerar a recuperação.

4. Ginástica corretiva

Este tipo de exercício é mais específico para quem reclama de dores durante o expediente, especialmente na coluna e nos braços. Ter um bom ambiente de trabalho é muito mais do que realizar atividades laborais em um espaço de qualidade, com tecnologias que auxiliem o cotidiano.

É claro que é importante garantir que os funcionários tenham acesso a ferramentas de qualidade, como por exemplo o controle de ponto eletrônico. Esse dispositivo é uma das principais formas de melhorar o dia a dia no trabalho  e amenizar atritos entre colegas. O Genyo é uma das maiores plataformas nesse ramo, para saber mais sobre esse tipo de serviço, clique aqui.

A ginástica laboral corretiva funciona como uma colaboração a ferramentas como o controle de ponto eletrônico. A ideia é fazer exercícios  direcionados entre uma atividade e outra para manter os músculos relaxados. Com isso, o cansaço é menor e as dores são quase inexistentes durante e após o expediente.

5. Ginástica compensatória

Dentre os 5 tipos de ginástica laboral que existem, geralmente, a compensatória costuma ser a mais desejada durante o expediente. Quem trabalha durante longos períodos sabe que qualquer intervalo é bem vindo. Ao aproveitar essa ideia e uni-la ao fato de que exercícios liberam bons hormônios para o corpo humano, surgiu a ginástica compensatória.

Não existem limites quanto a quantidade de vezes que esses exercícios podem ser praticados, apenas um tempo indicado. Para quem já trabalha com métodos pomodoros ou semelhantes, a ginástica compensatória é só mais um passo a ser adicionado à rotina.

Pode não parecer, mas o descanso precisa de algumas regras para realmente ter um efeito compensatório. Ao realizar avaliações de desempenho, muitos funcionários são questionados quanto à dificuldade de realmente descansarem nos  momentos propícios. Isso só prejudica a performance do indivíduo e o cansa ainda mais. Por isso, ao realizar a ginástica compensatória, faça questão de parar tudo o que está fazendo e se concentrar naquele momento de controle corporal e mental.

Como colocar a ginástica laboral em prática?

Ao encontrar a ginástica laboral, muitos empresários ficam confusos quanto a melhor forma de praticar as dicas dessa técnica. A vantagem da ginástica laboral é que ela é bem adaptável e pode ser realizada de forma que seja fácil de fixar durante a rotina de trabalho. Não é preciso colocar a ginástica como uma atividade obrigatória, até porque a CLT prevê a segurança do trabalhador quanto a isso. Ou seja, o próprio funcionário deve dizer qual o melhor momento de realizar os exercícios. Então, resta a dúvida: como incentivar os funcionários a realizá-la?

Conte com o auxílio do RH

Solicitar a ajuda do RH é essencial para a prática da ginástica laboral, especialmente se a sua empresa trabalha com cultura colaborativa. Ao permitir a participação dos colaboradores no funcionamento da empresa, você auxilia a perpetuar a ideia da ginástica laboral.

A ideia é utilizar a ponte que o RH cria com os funcionários para conversar abertamente sobre a importância do cuidado com a saúde. Dessa forma, a equipe de Recursos Humanos pode explicar melhor sobre os benefícios das práticas de ginástica laboral.

Qual a melhor maneira de conversar com os funcionários sobre o exercício?

Por mais gratificante e interessante seja um trabalho, depois de certo tempo ele pode se tornar repetitivo e chato. Então, para empresas que trabalham com funcionário em local fixo,  como secretariado, não é interessante apenas falar da teoria da ginástica laboral. Uma boa ideia é suspender alguns dias de trabalho para realizar atividades práticas voltadas para o ensino de técnicas de exercício.

Durante esse processo, é importante contar com o olhar de profissionais da saúde, para que eles possam colocar realmente em prática a teoria ensinada. Além de garantir que os colaboradores aprenderão as técnicas de modo correto, contar com essa ajuda torna a ação mais eficaz e ajuda o trabalho do RH.

A importância de comunicar a liberdade do funcionário

Ao conseguir uma vaga de emprego, muitos profissionais tentam fazer de tudo para que não causem problemas e percam essa oportunidade. Isso faz com que muitos deles trabalhem além do que aguentam, o que pode causar sérios problemas. Assim, é essencial explicar a eles a importância de entender os próprios limites e que há formas de evitar os possíveis desgastes. Ademais, é interessante que a empresa demonstre que por estar interessada em passar o conhecimento da ginástica laboral para os funcionários, ela aceita as pausas para esse determinado fim. Assim, não há riscos de que um colaborador deixará de fazer aquilo que necessita por receio de retaliações.

Conclusão

A ginástica laboral é uma técnica avançada que ajuda a melhorar o rendimento de empresas e evita desgastes físicos e mentais. Apesar de ser realizada com exercícios similares, existem 5 tipos de ginástica que podem ser feitos durante o trabalho, que diferem pelo momento em que são praticados. Para que haja eficiência na realização dessas atividades, é preciso não só a participação dos funcionários, mas também a compreensão da empresa.

A ginástica laboral é uma excelente maneira de tornar o trabalho mais agradável e a criar momentos de descontração durante o expediente.

Se você achou este conteúdo interessante, não deixe de conferir outras pautas no blog do Genyo. Clique aqui para acessar o site e saber mais sobre as tecnologias presentes no mundo corporativo.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog