ESG o que é: Conheça as práticas de Environmental, Social and Governance

As práticas de ESG o que é bem antigo nesta terminologia é a sua abrangência na preservação do meio ambiente e muito mais. Entenda! Veja mais neste artigo!
Sumário
ESG o que é

O conceito das práticas de ESG o que é para muitos algo novo, na verdade é um tema antigo no mercado. Porém, com a ascendência dos assuntos ambientais, o ESG vêm se tornando uma grande tendência nas práticas de gestão empresarial. Mas, enfim, ESG o que é?

Principalmente no que tange às novas gerações, que são muito mais conscientes no que condiz aos impactos gerados pelo mundo corporativo, às práticas voltadas ao compromisso socioambiental pelas empresas, se tornam cada vez mais presentes.

Pensando nisso, se esta é uma preocupação da sua empresa, confira este artigo, que o Genyo preparou para você, na íntegra. Assim, saiba mais sobre o que significa esta sigla e como essa agenda pode evidenciar o compromisso socioambiental da sua empresa.

ESG o que é e para que serve?

Do inglês, ESG siginifica “Environmental, social and governance”, que pode ser traduzido como “ambiental, social e governança”. Assim, esse termo representa um conjunto de boas práticas que demonstram o quanto a empresa está social e ambientalmente consciente em sua gestão.

Esse termo passou a existir em 2004, em uma publicação do Pacto Global, em parceria com o Banco Mundial, de nome Who Cares Wins. Em vista disso, os critérios utilizados pela ESG, estão completamente interligados aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Esta, é uma iniciativa que envolve diretamente a Organização das Nações Unidas (ONU) e diversas entidades internacionais, que buscaram definir metas de um plano universal para promover um futuro melhor e mais igualitário.

Dessa forma, o ESG é uma fornada de transformação de negócios com base na construção de um mundo inclusivo, mais ético e ambientalmente sustentável. Para que dessa forma, possa ser garantida uma qualidade de vida para todos.

A formalização do ESG

Sua formalização, como mencionado acima, iniciou-se em 2004. Dois anos após, a ONU lança o “Princípios para o investimento Responsável”, uma estrutura para incorporar questões ambientais, sociais e governamentais no âmbito do investimento.

Obteve início com 63 signatários, supervisionando US $6,5 trilhões em ativos e atualmente possui mais de 3 mil signatários, elevando para mais de 100 trilhões de dólares ativos, até o ano de 2020.

Essa crescente observada no apoio ao ESG obteve grande relevância após o ano de 21015, quando 193 países da Assembléia Geral da ONU adotaram os 17 ODS, com o objetivo de colocar o mundo em um caminho mais sustentável e igualitário.

O que abrange cada parte da sigla ESG

Cada letra da sigla possui um significado prático, como podemos observar. Mas o que eles significam?

Environmental (ambiental)

Representado na sigla pela letra E, essa diz respeito às práticas organizacionais em relação à conservação do meio ambiente. Ou seja, envolve a atuação sobre assuntos como poluição do ar e água, aquecimento global, desmatamento, entre outros assuntos.

Existem alguns critérios que são exigidos em relação à responsabilidade ambiental. Dentre esses estão:

  • Gestão de resíduos;
  • Políticas de desmatamento, caso aplicável;
  • Uso de fontes renováveis;
  • Posicionamento da empresa em relação às questões climáticas;
  • Políticas de redução e eliminação de poluentes;
  • entre outros.

Social

Já o S, ou social, representa a forma como o empreendimento lida com as pessoas, tanto colaboradores quanto a própria comunidade em geral. Nesse âmbito, são considerados aspectos como proteção de dados dos clientes, remuneração da equipe, diversidade presente na empresa internamente, respeito à legislação trabalhista, entre outros.

Se comparado aos critérios ambientais, o leque social é bem mais aberto e abrangente. Nesse caso, são analisados pontos como:

  • Taxa de Turnover;
  • Planos de previdência para funcionários;
  • Nível de envolvimento dos colaboradores na gestão da empresa;
  • Programas de treinamento;
  • Políticas corporativas de incentivo à diversidade e inclusão;
  • Entre outros.

Governance (governança)

Tratar de governança corresponde à administração da organização, assim como a conduta corporativa desta. Ou seja, foca na forma como a empresa é administrada e se essa atende aos interesses de todas as partes.

Dessa forma, abrange também a relação com:

  • Governos e acionistas;
  • Políticas anticorrupção;
  • Existência de um canal de denúncias;
  • Transparência financeira e contábil;
  • Independência e diversidade nos conselhos;
  • Gestão de riscos;
  • Entre outros.

Dessa maneira, os três pilares em conjunto, funcionam como uma ferramenta de mensuração da empresa, em relação às suas práticas sustentáveis. Assim, cabe a essas analisar se geram impactos positivos, financeiros, sociais e ambientais, e se são ou não, uma opção viável de investimento.

A importância do ESG para as empresas

O termo e as práticas do ESG ganharam progressivo destaque com o passar dos anos, sendo possível observar uma mudança de parâmetros no que é considerado relevante pela sociedade.  Este é um reflexo, principalmente, das novas gerações que tendem a priorizar e consumir mais de forma consciente, prezando por marcas transparentes e responsáveis.

Nesse contexto, constatou-se que empresas com boas práticas são mais estáveis e lucrativas, a longo prazo, o que gerou uma maior valorização dos investidores para os critérios de ESG.

Através da importância atrelada ao ESG, as empresas possuem uma maior responsabilidade e recursos para realizar ações climáticas positivas, em prol de um futuro mais sustentável e resiliente, realizando uma gestão financeira às causas necessárias.

Vantagens para a empresa

Como pode ser identificado até aqui, atender aos critérios do ESG está diretamente relacionado ao melhor posicionamento da empresa no mercado competitivo, porém não se restringe a isso. Para saber mais vantagens à empresa, ao seguir esses critérios, confira os tópicos a seguir!

Desempenho financeiro

Para uma empresa, ao adotar práticas mais conscientes, a mesma tende a melhorar a sua eficiência financeira, uma vez que evita desperdícios e garante um melhor aproveitamento de recursos.

Nesse aspecto, é visível que não se trata apenas de práticas voltadas para a preservação ambiental. Uma boa gestão de capital humano, exemplificando, promove que os colaboradores estejam mais engajados em suas funções, e assim evite altos índices de turnover, algo que vem a gerar muitos gastos.

Melhor imagem da marca no mercado competitivo

É nitidamente visível um melhor posicionamento perante o mercado competitivo, de marcas que são vistas como mais conscientes e responsáveis. Dessa forma, adotar as práticas de ESG é uma excelente ferramenta para o fortalecimento da marca.

Investir nessas ações é uma ótima estratégia de marketing para negócios, tanto no âmbito nacional quanto internacional. Pensando nisso, invista nessa forma de atuação, não apenas para o bem socioambiental, como também para uma melhor imagem do seu empreendimento.

Consumidor mais fiel a sua marca

Grande parte dos consumidores toma suas decisões de compra com base nas práticas sustentáveis das empresas, e na imagem que esta passa, assim como suas condutas internas e práticas antirracistas.

Comprovando este fato, a revista First Insight, publicou no início de 2020, que, tratando-se daqueles nascidos entre 1995 e 2010, membros da geração Z realmente preferem comprar de marcas sustentáveis  e mais conscientes.

Garantem mais investidores

Atualmente, devido às mídias e redes sociais, que fazem da reputação das empresas ainda mais sagradas, buscou que investidores se tornassem ainda mais seletos na seleção das empresas que irão colocar seu dinheiro.

Devido à importância crescente da sustentabilidade e responsabilidade, esses são assuntos que se tornam cada vez mais importantes para a comunidade investidora. Por isso, empresas que não possuem esse comprometimento como base, tendem a ficar cada vez mais para trás.

Maior engajamento por parte dos colaboradores

Assim como, na vida pessoal de muitos, é comum se sentir mais engajado e motivado em algo quando se identifica com o que está realizando. Da mesma forma durante as atividades profissionais.

Funcionários buscam não apenas uma remuneração. O propósito seguido por aquela empresa também é algo muito relevante para os colaboradores. Por isso, para empresas que adotam boas práticas, que estão comprometidas com algo maior do que apenas seu lucro, tendem a reter mais talentos, além de conseguir conquistar os melhores candidatos do mercado.

Como aplicar a ESG em seu negócio

ESG o que é

Diante do supracitado, é possível concluir que adotar as práticas de ESG no seu negócio é algo imprescindível. Porém, esta não deve se tratar de uma decisão simples e executada da noite para o dia.

Para construir algo duradouro e que venha realmente a ser benéfico na sua empresa, é preciso elaborá-la com cautela. Para te ajudar nesse processo, confira as dicas a seguir!

Defina uma estratégia principal dentro das ESG

O primeiro passo importante é definir qual a sua estratégia principal, dentro do segmento de ESG. Assim como outras metodologias de gestão, o ESG também envolve um processo de melhoria contínua.

Visto isso, para desenvolver um bom planejamento de ESG é preciso utilizar de outras ferramentas que colaborem para a sua análise. Ferramentas como o 5W2H, a Análise Swot, por exemplo, são ótimas formas de te auxiliar a encontrar a melhor estratégia para o seu negócio.

A ferramenta de 5W2H, por exemplo, para quem busca uma ferramenta de gestão eficaz, não pode renunciar a uma planilha 5W2H. Apesar de sua nomenclatura pouco convencional, essa trata-se de uma ferramenta bastante simples de compreender, e ainda mais fácil de aplicar em seu negócio.

Como mencionado, essa é uma ferramenta de gestão empregada no planejamento estratégico de empresas. Para atingir o objetivo, ela parte de uma meta para organizar os passos que serão dados para alcançá-la.

Já a Análise de SWOT , analisa pontos que sejam favoráveis para o planejamento estratégico e para a gestão da empresa e dos colaboradores. Por isso, busca analisar seu ambiente interno (forças e fraquezas) e externo (oportunidades e ameaças).

Tratando-se das forças, é uma metodologia que destaca os pontos fortes da empresa, que podem ser intensificados em busca do objetivo e melhorar os resultados. Assim como busca identificar as fraquezas, demonstram os pontos fracos, capacitando a empresa em buscar melhorias que a fornecem melhores resultados.

Escolhido a metodologia de análise, e escolhido o melhor seguimento para a sua empresa. É possível pensar nas práticas de ESG que irá priorizar. Confira algumas a seguir:

Boas práticas de environmental (ambiental)

Sua empresa pode buscar investir mais no uso de energias renováveis, como por exemplo energia solar, eólica e entre outras que já existem.  Ou mesmo escolher por reduzir significativamente, buscando em um futuro zerar, as emissões de gases de efeito estufa.

Outro ponto que pode ser abordado nesse tópico é a criação de um plano de gerenciamento de resíduos produzidos pela empresa. Assim, é importante pensar na reciclagem, assim como no descarte adequado desses resíduos.

Práticas sociais

Nesse caso, a empresa precisa prezar nas políticas de inclusão e diversidade, para uma maior promoção do bem-estar no ambiente profissional. Em vista disso, é preciso que a empresa foque em executar ações positivas, não apenas internamente, como também para a comunidade local.

Boas práticas de Governance (Governança)

Para que a empresa atue propagando boas práticas de governança, é preciso que a mesma atue com ética e transparência em todas as suas relações. Além disso,  a mesma deve garantir os Conselhos e cargos de gestão sejam dispostos de forma diversa e inclusiva.

Análise e aprimoramento contínuo

A implementação das práticas de ESG no seu negócio também não é algo pontual, uma vez que planejado é preciso que esse contenha os próximos passos, após a implementação do ESG.

Para manter a atividade empresarial pautada dentro dos princípios propostos, é necessário um esforço contínuo. Por isso, sempre manter ativa a pauta, com análises constantes e aprimoramento das ações para alcançar a excelência neste modelo de gestão.

Adicione um conselho para averiguar as ESG

Ao direcionar um conselho, ou uma área especializada para debater apenas os processos de ESG  na sua empresa, há uma possibilidade muito maior de a mesma dar certo. Através dessa área mais direcionada, é possível manter um maior controle das ações e averiguar se as mesmas continuam sendo efetuadas.

Muito cuidado com Greenwashing

A prática de Greenwashing é o nome dado para quando empresas dizem estar adotando políticas sustentáveis, porém, na verdade não está. Visto que o discurso é muito diferente do que está acontecendo na prática, não condiz com os princípios do ESG.

Por isso a importância da transparência, ao mostrar as ações da empresa, se condizem ou não com o que, aparentemente, vem sendo defendido pela mesma. Dessa forma, é muito importante para a empresa seguir o que defende, uma vez que o consumidor está resguardado pelo Código de Defesa do Consumidor.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog