Benchmarking: Saiba o que é, como implementar e de que forma isso pode auxiliar sua empresa.

Entenda o que é benchmarking, porque essa técnica é muito importante para sua empresa e como é possível implementá-la.
Sumário
Benchmarking

O benchmarking é uma das estratégias mais utilizadas pelas empresas para avaliar objetivamente as tendências do mercado de trabalho. Com o uso correto dessa técnica, é possível sair na frente e se destacar perante os padrões de referência de cada setor.

O mercado de trabalho cresce mais a cada ano, independentemente do setor de atuação ou da localização geográfica do negócio. Por isso, as empresas estão cada vez mais lançando mão de estratégias de inovação, com a finalidade de conseguir destaque no mundo corporativo.

Mas você sabe o que significa benchmarking, por qual motivo ele é tão importante, e como é possível implementar a técnica na prática de sua empresa? Pensando em auxiliar nisso, criamos um artigo que vai desvendar tudo que diz respeito ao benchmarking!

O que significa benchmarking?

A palavra benchmarking deriva da palavra em inglês “benchmark”, que em tradução direta significa “referência”.  Mas o que de fato significa benchmarking, principalmente levando em consideração o contexto corporativo?

O benchmarking pode ser entendido como o conjunto de ações estratégicas que visam avaliar as ações e planejamentos de empresas consideradas referência. Portanto, trata-se de um modelo comparativo, e pode levar em consideração tanto empresas do mesmo setor quanto de segmentos relacionados.

Assim, o principal objetivo de um benchmarking é desenvolver estratégias e ações eficientes, tomando como base as entidades que são referência no mercado. Por exemplo, em situações em que empresas enfrentam dificuldades, muitas vezes a melhor saída é utilizar o benchmarking e vislumbrar as ações de empresas de referência.

Ou seja, em outras palavras, o benchmarking é uma técnica objetiva que busca avaliar o que está dando certo no mercado de trabalho, para tentar implementar essas ações na própria empresa.

Vale ressaltar que o benchmarking não é uma cópia idêntica das ações e estratégias de outras empresas, na verdade, pode ser entendido como um modelo de inspiração. Por isso, para conseguir efetivar de maneira correta é preciso possuir uma gestão de qualidade.

Quais os modelos de benchmarking mais utilizados?

Existem alguns tipos de benchmarking que mais são aplicados atualmente, cada qual com uma característica específica. Assim, é importante entender melhor acerca de cada um desses tipos, já que cada um deles podem ser aplicados em situações diferentes.

Dessa maneira, antes de saber como implementar um benchmarking é importante compreender quais os principais tipos. Isso ajudará na decisão ao escolher qual modelo de benchmarking é o mais adequado para a sua empresa.

Portanto, os tópicos a seguir irão abordar melhor sobre as características de cada tipo de benchmarking.

1-Benchmarking interno

Como o próprio nome sugere, o benchmarking acontece dentro da própria empresa, comparando diferentes setores ou unidades. O intuito é estabelecer indicadores que sirvam de referência para a empresa como um todo.

Assim, esse processo é realizado avaliando os resultados de cada unidade, para que em seguida sejam destacadas as mais promissoras. Portanto é possível observar quais setores, unidades ou departamentos possuem os melhores e piores indicadores.

Geralmente esse tipo de benchmarking é bastante realizado por empresas que possuem diversas filiais espalhadas por mais de uma região, como as franquias. Assim, é possível comparar o desempenho de cada uma das unidades, avaliando qual delas possui o melhor desempenho e se tornará referência para as demais.

Como esse tipo de benchmarking é realizado dentro da própria empresa, ele é atualmente um dos mais utilizados. Isso porque não há dependência de cooperação entre empresas, facilitando o processo de coleta de dados e comparação de indicadores.

Assim, é uma ferramenta muito útil para auxiliar na padronização das ações e estratégias de uma empresa, levando como referência as unidades com melhor desempenho. Por exemplo, se uma determinada promoção funcionou bem em uma unidade, essa iniciativa pode se tornar um padrão para as demais através do benchmarking interno..

2-Benchmarking competitivo

O benchmarking competitivo avalia o que está sendo realizado em empresas de concorrência direta, ou seja, analisa as ações que estão dando certo no setor. Essa avaliação pode ser feita sobre as mercadorias, ofertas, serviços,  ações promocionais, transações, configuração da empresa  ou qualquer outra entidade relevante.

Assim, a meta é introduzir avanços na empresa, com base nas observações positivas feitas na atuação dos concorrentes. Com isso, consegue-se pensar em estratégias competitivas, que buscam diferenciar uma empresa das demais.

Entretanto, obter dados não divulgados publicamente sobre as empresas representa o principal obstáculo desse formato. Isso acontece pois a maioria das empresas valorizam a confidencialidade de suas informações internas.

Devido a dificuldade em conseguir informações, é frequente a adoção de serviços de consultoria externa como forma de obtenção desses indicadores. Pode haver ainda a implementação de testes de cliente secreto como métodos para adquirir essas informações.

3-Benchmarking funcional

No caso do benchmarking funcional, ocorre a avaliação das ações de empresas do mesmo setor, o que pode ampliar a visão de mercado da empresa. Ou seja, diferente do que acontece com o benchmarking competitivo, aqui não há avaliação da concorrência direta, o intuito é ampliar o entendimento sobre o setor.

Vale ressaltar que no benchmarking funcional não há a necessidade de avaliar ações e estratégias de empresas que sejam do mesmo segmento. Essa visão mais ampliada permite a avaliação de práticas análogas, como, por exemplo, o sistema de distribuição, que pode estar presente em organizações de variados ramos.

Assim, analisar companhias de diferentes setores pode ser benéfico para ampliar a competitividade da organização e para introduzir tecnologias de um ramo para outro.

No entanto, é relevante ponderar que setores diversos podem apresentar culturas corporativas distintas, o que tem potencial para influenciar a configuração da empresa. Por isso, o processo de benchmarking funcional deve ser realizado de maneira atenciosa.

4-Benchmarking cooperativo

O benchmarking cooperativo também realiza a avaliação de outras organizações, mas dessa vez estabelece com elas relações de trocas de informações. Dessa maneira, a colaboração mútua auxilia no processo de levantamento de dados e informações, bem como na comparação e estratégia a ser difundida.

Este modelo é semelhante com o benchmarking funcional, já que ocorre a comparação de ações e estratégias entre empresas que sejam do mesmo setor ou não.

No entanto, uma vez que os dados são compartilhados pela outra empresa, o procedimento se simplifica. Assim, é eliminada a necessidade de testes com cliente oculto ou de contratação de consultorias, entre outros.

Vale reforçar que as empresas determinam o que desejam partilhar ou reter, com o propósito de facilitar um aprendizado mútuo para ambas. Mas lembre-se que esse é o momento de deixar de lado a competição e concentrar-se na concepção de procedimentos que contribuam para o crescimento conjunto das empresas.

5-Benchmarking de desempenho

O benchmarking de desempenho pode também se assemelhar com os demais, uma vez que avalia a performance geral das empresas do mesmo setor. Entretanto, essa é uma visão mais delimitada em dois aspectos: A análise é apenas do desempenho e somente para empresas do mesmo setor.

Esse processo auxilia a empresa a vislumbrar e definir objetivos, metas e aprimoramentos, com base na análise do desempenho do setor. Assim, ele deve ser utilizado quando se pretende avaliar especificamente os atributos inerentes ao setor que impactam no desempenho da empresa

6-Benchmarking genérico

O benchmarking genérico está relacionado com aquelas empresas que se destacam no mundo corporativo, e por isso, é independente do setor no qual está inserida.

Por esse motivo, o benchmarking genérico é o mais aberto entre todos, uma vez que não se limita a um setor ou a um processo específico. Sua finalidade reside em estimular práticas semelhantes entre empresas de distintos ramos.

Assim, algumas empresas inclusive se estabelecem como referências em um campo ou processo particular. Com isso, elas  passam a servir como modelo para outras, inclusive aquelas pertencentes a áreas distintas.

Por que o benchmarking é relevante para minha empresa?

O benchmarking é uma estratégia muito útil para trazer melhorias e resolver problemas que aparentemente não são solucionáveis. Entretanto, além disso, existem uma série de benefícios ao aderir a esse tipo de técnica na sua empresa.

Em primeiro lugar, o benchmarking pode auxiliar na identificação de inovações implementadas pela concorrência. Vale reforçar que é crucial acompanhar a concorrência, uma vez que a falta de inovação é uma causa frequente de encerramento de empresas.

Além disso, a  abordagem de inovação aberta incentivada pelo benchmarking promove uma cultura mais colaborativa e diversificada na busca por inovações, ao envolver empresas externas. Assim, alguns casos de benchmarking mencionados anteriormente permitem que as empresas cresçam em conjunto, sendo algo benéfico para o desenvolvimento.

Outra vantagem primordial do benchmarking reside na capacidade de identificar áreas passíveis de aprimoramento para o empreendimento. Com isso, mediante a análise de pesquisas realizadas, é viável identificar os pontos onde a empresa comete equívocos e onde os competidores se destacam.

Além disso, é importante lembrar que diversos modelos de benchmarking promovem a análise de empresas que operam no mesmo ramo. Portanto, é factível compreender as melhores práticas adotadas por outras organizações do setor que têm obtido sucesso.

Benchmarking
Foto: RossHelen

Veja como implementar o benchmarking

Para implementar de maneira efetiva o benchmarking em uma empresa é preciso seguir etapas essenciais para esse processo. Para isso, é preciso ter um bom planejamento organizacional, de maneira a conseguir que as metas estabelecidas sejam alcançadas.

Pensando em auxiliar nisso, os próximos tópicos vão abordar o passo a passo de cada uma dessas etapas, e ajudará na implementação do benchmarking na sua empresa.

1- Faça um levantamento do mercado atual

É preciso fazer um levantamento de dados e uma análise do mercado atual, e para fazer isso de maneira objetiva, é importante ficar atento a algumas etapas fundamentais.

Em primeiro lugar, para uma análise de benchmarking eficaz, é aconselhável escolher até três empresas líderes em seu setor, que tenham demonstrado sucesso ao longo do tempo.

Em seguida, é importante estabelecer indicadores de análise, preferencialmente em uma planilha, onde características e métricas cruciais podem ser comparadas de maneira organizada.  Esse processo facilitará a interpretação e avaliação das ações de cada empresa.

Assim, a coleta de dados pode ser feita através de diversas fontes, como a internet, que oferece recursos variados, como redes sociais, sites, blogs e ferramentas especializadas.

Além disso, as próprias empresas costumam divulgar informações relevantes. O objetivo principal é reunir o máximo de informações possível, priorizando aquelas mais pertinentes ao seu contexto e necessidades de análise.

2- Crie indicadores para a sua empresa

A próxima etapa diz respeito à criação e coleta de dados e informações na própria empresa, com base nas próprias métricas fornecidas pelos dados. Nesse momento é importante pensar e planejar os indicadores nos quais a empresa pretende se debruçar.

Geralmente a produtividade de uma empresa é um indicador de desempenho muito importante, e precisa ser devidamente coletado e analisado. Esse é um dado que pode até parecer subjetivo, mas existem ferramentas que auxiliam no processo para deixá-los mais objetivos através do registro de atividades.

Entretanto, diversos outros fatores podem servir como indicador, e isso vai depender do que a empresa busca, do ponto de gargalo que ela identifica e qual métrica ela almeja. Assim, nesse momento é importante estabelecer o que se pretende comparar, e assim, criar os indicadores que serão utilizados de modo comparativo.

3- Compare e avalie os resultados encontrados

Após a coleta completa de dados, é chegada a hora de realizar uma análise minuciosa das ações e compará-las com as estratégias adotadas por sua própria empresa. É neste estágio que você começará a compreender como algumas empresas alcançam êxito ao empregar determinadas abordagens com seu público-alvo.

Como a tecnologia pode auxiliar nesse processo?

Durante a coleta de dados algumas ferramentas podem auxiliar a construir indicadores, como por exemplo a produtividade da empresa. Isso porque pode ser muito difícil quantificar a produtividade de determinada atividade, e transformá-la em um dado objetivo para análise.

Uma forma que pode auxiliar nesse processo é através da utilização de um software de ponto eletrônico. Através da ferramenta do Genyo é possível visualizar o registro de atividade dos colaboradores, entendendo a produtividade da equipe de maneira simplificada.

Com o uso da plataforma é possível saber exatamente o intervalo de tempo gasto em cada atividade laboral, compreendendo a duração necessária para a realização de cada atividade. Isso pode auxiliar na criação de um indicador de produtividade, facilitando o processo de implementação de benchmarking.

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog