Assédio moral: como proteger os seus funcionários dessa situação

O assédio moral no trabalho é um assunto cada vez mais comentado em meios empresariais e corporativos. Saiba mais sobre esse assunto. Veja mais neste artigo!
Sumário
assédio moral no trabalho

Infelizmente, o assédio moral no trabalho é mais comum do que parece, e afeta a vida de milhares de pessoas diariamente. Mesmo com a aprovação de leis, muitas denúncias ainda são realizadas com frequência, a fim de tentar conquistar um melhor local de trabalho. Neste artigo, discutiremos algumas implicações do assédio moral no trabalho e como a empresa pode evitar que esse problema aconteça. Se você tem interesse em melhorias do ambiente corporativo, confira o texto a seguir!

O que é assédio moral?

O assédio moral é toda e qualquer atitude abusiva, seja por meio de gestos, palavras ou escritos. As vítimas de assédio moral relatam sentimentos de humilhação e constrangimento durante o expediente ou em situações que envolvem a equipe de trabalho. Muitas vezes, o maior problema do assédio moral é que ele é velado, em forma de ameaças de demissão ou de comentários ambíguos.

O mercado de trabalho atual estimula o assédio moral?

De certa forma, a velocidade do mercado e das máquinas, cada vez mais eficientes, faz com que a espera por resultados aumente. Com isso, os trabalhadores se sentem forçados a acompanhar esse grande ritmo de produção e sofrem com a cobrança dos chefes.

É claro que em um ambiente de trabalho saudável, as pessoas em posição de liderança costumam cobrar seus funcionários, a fim de que eles se desafiem. Porém, isso é feito com muita cautela e de forma a respeitar os limites dos trabalhadores. Quando essa pressão é exaustiva e o funcionário se vê sem saída a não ser conseguir bater as metas que os líderes impõem.

Em quais áreas o assédio moral mais acontece?

Na verdade, o assédio moral pode acontecer em qualquer área que trabalhe com sistemas de hierarquia dentro da equipe de colaboradores. Porém, esse assédio é mais visível em algumas relações do que em outras. Por exemplo, muitos funcionários que trabalham com vendas relatam terem sofrido constantes assédios durante o expediente. Isso pode acontecer de duas formas: privadas ou públicas.

Em momentos privados, os chefes tendem a ameaçar os trabalhadores com promessas de demissão caso ele não tenha resultados melhores. Quando o assédio acontece em público, normalmente, há alguma comparação entre os funcionários. Ao invés de parabenizar aqueles que se saíram bem, os líderes debocham daqueles que não tiveram bons resultados.

É possível trabalhar com metas sem haver assédio moral?

Sim! Nem todo lugar que trabalha com o sistema de atingimento de metas sofre com o assédio moral, devido a boa conduta dos líderes. A melhor maneira de trabalhar com metas é criar um plano viável para os funcionários, de modo que estimule-os sem cobrar demais. A ideia das metas é criar um objetivo e oferecer meios de o trabalhador alcançá-los.

Algumas empresas trabalham com metas contínuas, ou seja, durante todo o tempo de trabalho, os colaboradores estão pensando na meta. Isso pode ter dois impactos: um bom e um ruim. O impacto bom é que esses colaboradores mantêm um ritmo de trabalho constante para alcançar as metas. Já o impacto ruim é que a constante pressão pode desestimular esse profissional e fazer com que seu rendimento caia.

Para evitar esse problema, o ideal é criar campanhas de metas com período fixo: começo, meio e fim. Assim, os funcionários compreendem que a pressão será temporária e que aquele momento, apesar de importante, não definirá seu futuro na empresa. Além disso, é importante criar dinâmicas e remunerações extras para tornar o processo mais interessante. Isso anima a equipe e traz resultados bem mais eficientes do que ameaças aos colaboradores.

Quais as formas mais comuns de assédio moral?

Dentro do assédio moral, enquadram-se diversas atitudes abusivas dentro do ambiente de trabalho. Confira abaixo algumas dessas atitudes, de acordo com o tst:

Assédio moral interpessoal

Seja de forma particular, seja de forma privada, o assédio moral interpessoal acontece de forma direta entre os indivíduos.

Assédio moral institucional

Nesse caso, a empresa tem conhecimento das situações de assédio que acontecem no local de trabalho e ignoram os pedidos de ajuda dos colaboradores. Ou então, a empresa faz uso do assédio moral para aumentar o rendimentos dos funcionários.

Assédio moral vertical descendente

Esse é o caso mais comum de assédio moral no trabalho: o abuso de um cargo alto em cima dos outros funcionários. Pode ser observado em forma de xingamentos e humilhações públicas e até maus tratos físicos com o trabalhador.

Assédio moral vertical ascendente

Apesar de ser mais difícil, esse caso de assédio pode acontecer com certa facilidade. O assédio moral vertical ascendente acontece quando um funcionário, ou grupo de funcionário tenta atrapalhar o trabalho de um superior propositalmente. Situações como essa ou semelhantes podem ser vistas como uma forma de greve ou insatisfação com determinado funcionário.

Assédio moral horizontal

Empresas que trabalham com o foco na concorrência dentro da própria empresa costumam sofrer com esse problema. Colegas tentam sabotar o trabalho do outro ou criam mentiras a fim de minimizar o seu trabalho e a sua importância na empresa. Alguns casos podem até chegar ao extremo quando um dos funcionários manipula informações de outros na base de arquivos da empresa.

Como acabar com assédio moral?

Bom, antes de tudo a empresa precisa reconhecer que o assédio moral existe e pode estar escondido dentro da empresa. Depois disso, é necessário preparar uma rede de apoio para acolher esses profissionais e ajudá-los a voltar ao trabalho de forma segura. Além disso, a empresa deve tomar medidas ativas para combater o assédio moral. Veja abaixo algumas ideias para isso de forma eficiente:

Formas de combater o assédio vertical descendente

Infelizmente, a hierarquia é muito difícil de combater. Em alguns casos, os funcionários sentem receio de denunciar os abusos por medo de retaliações. Em outros, os profissionais em cargo de liderança se sentem no direito de tratar mal os outros trabalhadores. Porém, é preciso que a empresa imponha-se e deixe claro que atitudes como essa não serão toleradas. Além de fazer essa dura campanha, se faz necessário que a empresa repreenda os funcionários denunciados.

A forma como essa repreensão será feita depende muito de cada caso, sendo possível acontecer suspensões ou demissões. O principal é que a empresa acredite no funcionário que teve coragem de fazer a denúncia e combata a atitude.

Formas de combater o assédio vertical ascendente

Ao contratar um novo líder, desconhecido pela equipe, é imprescindível que a empresa prepare o time para possíveis mudanças. Isso é ainda mais importante quando o antigo chefe era querido pelos colaboradores, pois cria um sentimento de compensação. É preciso conversar com a equipe e mostrar os motivos que fizeram a empresa escolher um novo chefe.

Quando esse profissional chegar ao local de trabalho, é interessante que haja um entrosamento entre ele e a equipe. Isso pode ser feito de maneira formal, como em uma reunião, ou de forma mais dinâmica como uma roda de conversa ou happy hour. Dessa maneira, os funcionários criam empatia com o novo chefe e o assédio moral tem menores chances de acontecer.

Formas de combater o assédio moral horizontal

Para combater o assédio moral horizontal, a empresa deve ter bastante atenção com o quadro de funcionários. Como esse problema está relacionado a inveja e a competitividade, os casos de assédio costumam ser velados. Então, uma boa ideia é evitar qualquer tipo de chance de fraude e prejuízo de trabalho entre os funcionários. A melhor maneira de fazer isso é contar com o serviço de controle de ponto eletrônico. Com essa tecnologia, a empresa garante que os dados sobre cada funcionário estão seguros e não podem ser usados contra eles.

O Genyo é um dos maiores fornecedores do serviço de controle de ponto eletrônico, confira o site para saber mais informações sobre essa plataforma.

Além disso, é importante conversar com o RH para ficar atento a possíveis desavenças entre os colaboradores. Infelizmente, é impossível impedir que os funcionários tenham problemas no ambiente de trabalho, mas é possível minimizar os seus impactos. Com a ajuda da equipe de recursos humanos, a empresa deve informar aos funcionários sobre a importância da colaboração e da união entre o grupo.

A empresa deve mudar seus valores para impedir o assédio moral no trabalho?

Bom, essa pergunta pode ser vista de modo controverso, mas a verdade é que as empresas não precisam necessariamente mudar os seus valores. O que pode ser feito é incluir outras ideias nas empresas e fazer com que o relacionamento com os funcionários melhore. A maneira mais eficiente de fazer isso é apostar na cultura colaborativa, pois abre espaço para a fala dos funcionários. Quando esses profissionais  sentem que são ouvidos e que suas reclamações têm impactos verdadeiros, o relacionamento fica muito mais  fácil. Além disso, ao perceber que a empresa está realmente interessada na opinião dos funcionários, o profissional que tende a ter atitudes de assédio é coagido a dar fim a esse tipo de comportamento.

Como o assédio moral afeta as empresas diante do mercado?

assédio moral no trabalho

Engana-se quem pensa que o assédio moral, por tentar trazer maiores resultados para a empresa, é bem visto pelo mercado. Atualmente, as empresas estão cada vez mais interessadas em apresentar e garantir um bom local de trabalho. Isso porque a internet é utilizada como um meio de denúncia bastante eficiente. Não é raro encontrar denúncias de maus tratos e assédio moral de empresas em redes sociais como o Facebook e o Twitter.

E, casos como esses costumam viralizar com grande facilidade e atingem até pessoas de outros países. Consequentemente, a empresa perde clientes e até mesmo parcerias com empresas que costumavam ter contratos. Diante disso, é muito importante para a empresa que ela seja vista como acolhedora de seus funcionários e combativa frente a situações de assédio.

O profissional denunciado por assédio moral responde a processos jurídicos?

Tudo depende de como a denúncia é realizada e a forma com que a justiça escolher lidar com esse processo trabalhista. De fato, não existe nenhuma lei específica para os casos de assédio moral no trabalho. Contudo, atitudes dessa natureza podem ser denunciadas como crimes contra a honra. Esses sim são indiciados e respondem perante a justiça por atitudes que tiveram dentro da empresa. Além disso, para prever a integridade do funcionário, a CLT prevê que ele pode se afastar do trabalho devido a uma rescisão indireta de contrato. Além do funcionário que provocou o assédio moral, a empresa também pode ser chamada a depor e até mesmo a pagar indenizações aos funcionários.

E quando a denúncia não é legítima?

É normal que com o tempo, os trabalhadores se adaptem à rotina da empresa e, com isso, recebam mais responsabilidades. Muitos profissionais não entendem como o aumento do trabalho pode fazer parte da normalidade e não um caso de assédio moral. Para entender essa questão, é necessário esclarecer que o assédio são as atitudes tomadas de forma errada para que o profissional alcance certos objetivos. Ou seja, o problema não são os objetivos, e sim a forma como a empresa tenta alcançá-los. Então, casos como aumento de demanda e maiores exigências não se enquadram em casos de assédio moral no trabalho.

Caso o funcionário decida utilizar essas situações como uma denúncia de assédio moral, ele também pode ser obrigado a pagar indenizações altas. Além de causar um grande prejuízo, denúncias falsas prejudicam a tentativa de proteger os funcionários contra os abusos. E, é por isso que os sindicatos aconselham a ter cautela ao lidar com casos sérios como os de assédio moral no trabalho.

Conclusão

O assédio moral no trabalho é um problema real que vem aumentando em diversas áreas do mercado. A vulnerabilidade dos colaboradores é algo a ser acompanhado de perto pelas empresas, a fim de evitar problemas como esse. O combate ao assédio moral, além de ser imprescindível para a segurança e bem-estar dos trabalhadores, também se faz importante para a empresa. Uma vez que ela se beneficia da boa propaganda, é compreensível que queira evitar denúncias e processos judiciais relacionados a esses casos.

Se você achou este conteúdo interessante, não deixe de conferir outras pautas no blog do Genyo. Clique aqui para acessar o site e saber mais sobre as tecnologias presentes no mundo corporativo e sobre os serviços de controle de ponto eletrônico para empresas de todos os tamanhos.

 

Outros artigos relacionados

Inscreva-se na
Genyo News

Toda semana na sua caixa de e-mail. É grátis!

Compartilhe este artigo

A gestão inteligente que o seu RH e DP merecem

Este controle de ponto digital permite acompanhar remotamente as atividades, presenças e ausências dos funcionários internos e externos.

modal controle de ponto blog