23 maio 2022

Como a gestão empresarial pode alavancar o seu negócio?

gestão empresarial

A gestão empresarial é o coletivo de habilidades essenciais para começar um negócio de forma correta, bem como garantir que ele sobreviva a longo prazo. Dessa forma, para ter sucesso nessa área, é preciso entender sobre planejamento de negócios, finanças, marketing, entre outros fundamentos.

O ecossistema do trabalho está em constante mudança. Anteriormente, inclusive, o modelo de liderança priorizava o crescimento da empresa. Atualmente, no entanto, as organizações valorizam um gerenciamento pautado em planejamento, análises de dados e sensos estratégicos mais claros. Esse tipo de gerência é conhecido como “gestão empresarial”. Neste artigo, você confere um direcionamento para tirar o melhor proveito dessa metodologia.

 

Afinal, o que é gestão empresarial?

Antes de responder a essa pergunta que não quer calar, façamos uma reflexão. Para ser destaque em seu mercado de atuação, um negócio precisa de metas que buscam sua sobrevivência e expansão. Para conquistar esses objetivos, é preciso ter habilidades de gestão empresarial.

“Ok, mas quais habilidades são essas?” — você sabiamente pergunta. Nesse sentido, de maneira geral, a gestão empresarial requer conhecimentos associados ao trato e/ou manejo com:

  • gestão de pessoas;
  • fornecedores;
  • finanças;
  • marketing;
  • aperfeiçoamento do produto;
  • atendimento ao cliente.

Em suma, a gestão empresarial busca a organização e manutenção de pessoas, processos e recursos, bem como o fortalecimento do que é apregoado na cultura da empresa.

 

Tipos de gestão empresarial

A gestão empresarial, conforme você já observou, é como se fosse uma orquestra cujo repertório toca várias peças. Dessa forma, precisamos compreender a existência de vários tipos e diferentes formas de aplicá-la. Abaixo, conversaremos sobre os mais comuns.

 

Cadeia de valor: gestão voltada às metas específicas. O objetivo aqui é gerar valor em todos os processos desenvolvidos. Logo, o foco está integralmente no público-alvo e a sua satisfação. Dessa forma, a gestão busca entender os desejos, atender os anseios, cumprir as expectativas e sanar as necessidades do cliente.

Ciclo de inovação: a prioridade é tornar a organização competitiva, bem como com o status de referência no mercado. Sendo assim, o foco dessa gestão são os processos que promovem a inovação. Por isso, nesse tipo de gestão os processos que levam à inovação são o foco. É bem comum em empresas que trabalham com áreas ligadas à tecnologia.

Excelência de gestão: a filosofia aqui é execução de todos os processos, 100% deles, com excelência. Apesar de priorizar sempre é melhor, essa gestão acaba sendo a mais complexa de ser desenvolvida de maneira plena, pois sempre há algo que pode ou necessita ser melhorado.

Resultados como meta: esse tipo de gestão empresarial costuma ser adotado quando a empresa está passando por turbulências e necessita rapidamente reverter os resultados negativos. Logo, todas as estratégias e esforços são voltados para o cumprimento desse objetivo.

E qual desses modelos de gestão empresarial é mais eficiente? A resposta é simples: não existe um que seja melhor do que o outro. Portanto, é preciso analisar a situação e objetivos da empresa para poder, então, traçar qual o melhor modelo a ser aplicado.

 

5 benefícios da gestão empresarial para o seu negócio

Agora, que você já tem uma sólida base conceitual sobre esse tema, chegou a hora de entender como essa gestão pode alavancar os seus negócios.

Para começar, precisamos lembrar que a taxa de sobrevivência empresarial no Brasil é baixa e um dos responsáveis por esse desempenho é justamente o gerenciamento equivocado. A gestão empresarial, em contrapartida, pode trazer vantagens que ajudam uma organização a performar com mais sucesso no mercado. Abaixo, vamos elencar essas vantagens.

 

1. Visão holística

Quando os esforços são concentrados somente nos processos produtivos, o gestor tende a não enxergar os resultados. Logo, as ferramentas e técnicas essenciais para otimizar os lucros também ficam em segundo plano.

Por sua vez, gestão empresarial proporciona uma visão holística, ou seja, mostra a organização como um todo e não de maneira fragmentada. Dessa forma, o gestor passa a conhecer o negócio além do operacional e, consequentemente, compreende a empresa via métricas, dados e pesquisas. Por fim, é compreendido o que está funcionando bem e os gargalos.

 

2. Visão estratégica

A gestão empresarial ajuda a reduzir desperdícios, bem como otimiza os fatores tempo e a qualidade da produção. Dessa forma, o gestor ganha tempo e subsídios para enxergar a empresa “além do próprio quintal”. Em outras palavras, acontece um senso estratégico que pavimenta a utilização de soluções criativas e inovadoras. Logo, impulsiona-se a expansão do conhecimento acerca de atuação e, consequentemente, viabiliza-se a chegada de novidades para dentro do negócio.

 

3. Conhecimentos do perfil dos clientes/público

Eis um benefício que é consequência dos dois itens anteriores desta lista, justamente porque a gestão empresarial proporciona visões mais completas acerca do negócio.

Esse conhecimento mais abrangente sobre o mercado facilita o entendimento das necessidades e dores do público ou dos clientes. Afinal, um produto ou um serviço é comprado porque resolve um problema e não simplesmente porque o consumidor tem apreço pela marca. Dessa forma, as ações de marketing e atendimento planejadas pela gestão empresarial se tornarão mais eficientes na hora de atender às demandas dos clientes.

 

4. Centralização de informações

Uma vez que interliga todos os setores, o sistema de gestão empresarial centraliza informações. Essa característica viabiliza os processos de tomadas de decisões, justamente por eliminar as “pontas soltas”. Ademais, os relatórios completos agilizam o acompanhamento e as intervenções nos casos de instabilidades nos resultados.

 

5. Desburocratização de processos

A gestão empresarial traz à baila quais são as ferramentas necessárias para agilizar os desenvolvimentos dos processos internos. O controle de ponto é um clássico exemplo dos processos que devem ser desburocratizados. Nesse sentido, quando o gestor faz uma má gerência do ponto dos funcionários, acaba gastando muito tempo executando ou fazendo tarefas que podem ser integralmente automatizadas.

P.S.: em plena era de transformação digital, você ainda imagina o gestor queimando fosfato com tarefas como, por exemplo, fechamento de folha de ponto? E as elaborações de escala de trabalho ou cálculo de horas extras?

 

Considerações finais sobre gestão empresarial

Se você chegou até aqui, certamente percebeu que o cenário corporativo atual não abre espaços para sistemas de gestão conservadores. Dessa forma, manter o foco em apenas uma variável, ainda que seja o lucro, só faz aumentar as chances de um negócio fracassar. Por isso, é tempo de adotar a gestão empresarial e trabalhar com informações que começam melhorando o engajamento da equipe e terminam na satisfação do consumidor.

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)