4 métodos para aumentar a produtividade no trabalho
15 fev 2021

4 métodos para aumentar a produtividade no trabalho

produtividade no trabalho

Desenvolver uma boa produtividade no trabalho é um dos objetivos mais preciosos que você, colaborador, precisa ter em sua carreira. Em suma, essa habilidade ajuda a elevar o seu nível profissional, bem como os padrões de qualidade dos serviços ou produtos da empresa em que você trabalha.

Para ser produtivo, no entanto, é preciso saber como fazer do tempo um aliado. Essa gestão saudável torna o profissional mais atrativo para o mercado, bem como aumenta suas chances por melhores salários.

Mas, como anda a sua produtividade? Se “te sobram tarefas no final de cada jornada”, este artigo é indispensável. Ao longo desta nossa conversa, você ficará por dentro de alguns métodos que te ajudarão a produzir mais, sem fazer hora extra ou desperdiçar preciosas horas de trabalho.

Ah, antes de tudo, só preciso deixar claro que este não é um texto de autoajuda. O conteúdo que você consumirá abaixo é todo trabalhado em bases científicas. Está pronto para os novos ares? Então, continue comigo e não se arrependerá.

 

Como aumentar a produtividade no trabalho?

Num artigo recente, nós conversamos sobre a técnica Pomodoro, uma infalível metodologia de gestão de tempo. A boa notícia, no entanto, é que há várias outras formas para ser produtivo. Nesse sentido, cá estamos para te apresentar 4 metodologias para você aumentar a sua produtividade no trabalho e, consequentemente, fazer suas tarefas sem estresse. Vamos lá?

 

1. Princípio de Pareto

O Princípio de Pareto, ou lei 80/20, é um método que lida com a relação “causa/consequência”. Segundo esse método, 80% dos efeitos surgem a partir de 20% das causas.

Bastante polivalente, essa proporção pode ser aplicada em vários campos da vida. Todavia, vamos trazer esse raciocínio para o dia a dia de trabalho. Nesse sentido, pense em duas possibilidades:

  • 20% dos seus esforços produzem 80% dos seus resultados.
  • 20% das suas distrações resultam em 80% da improdutividade.

Com essas proporções em mente, concluímos que se trata de uma metodologia que orienta as pessoas que se distraem facilmente e têm dificuldade de agir. Em outras palavras, quem sabe usar o Princípio de Pareto, troca a procrastinação pelo aumento da produtividade no trabalho.

Por fim, mas não menos importante: não há a necessidade de programas específicos para trazer a Lei 80/20 para a sua realidade. É mais uma questão de auto avaliar o grau de influência que os problemas que tornam um profissional improdutivo exercem no seu dia a dia. Posteriormente, basta você adotar as medidas apropriadas para solucioná-los e, consequentemente, aumentar a sua produtividade no trabalho.

 

2. Método Kanban

O método Kaban é indicado para quem começa muitos projetos, mas não consegue terminar quase nem um. Conforme sua tradução livre, o termo “kaban” significa “cartão”. Por ser muito imagético e fácil de usar, facilmente é confundido com outras ferramentas de gestão. Então, desde já, mentalize que essa metodologia não é uma variação para to do list, bem como não é sinônimo para a filosofia de trabalho just-in-time.

Desenvolvido pela montadora de carros Toyota, esse sistema de controle de produção ou gestão de tarefas tem como variáveis a “agilidade” e o “visual”. Esses princípios básicos podem ser definidos no esquema abaixo:

  • Ser ágil: gerenciar as tarefas com rapidez, acompanhando o ritmo de trabalho de equipes que possuem entregas com prazos bem apertados e definidos.
  • Ser visual: funciona com a ajuda de um esquema de colunas e cartões (que podem ser coloridos), facilitando a visualização do que precisa ser feito por todos os membros da equipe.

Na prática, você deve organizar um quadro com as respectivas colunas: “por fazer”, “em andamento” e “concluído”. Em cada uma, adicionam-se as tarefas que se encontram nos respectivos estágios de desenvolvimento, mudando de coluna conforme seu progresso.

Essa representação visual te ajuda a identificar todas as atividades pendentes, definir prioridades e, por fim, gerenciar melhor o seu tempo. O mercado oferece softwares para o método Kaban. Porém, nada impede a confecção artesanal do painel e dos cartões.

 

3. Lei de Parkinson

Você já deixou uma tarefa para os “45 do segundo tempo” e acabou “levando o serviço para a prorrogação”? Não se preocupe, pois, esse hábito é tão ruim quanto é antigo. Prova disso é que, em 1955, o historiador Cyril Northcote Parkinson publicou um artigo, no The Economist, sobre esse assunto.

De acordo com Parkinson, “o trabalho expande-se de modo a preencher o tempo disponível para sua realização”. Em outras palavras, se uma tarefa tiver que ser realizada dentro de 15 minutos, você não medirá esforços para cumprir o prazo. Em contrapartida, se essa mesma tarefa tiver sido estipulada para ser cumprida em um dia, você gasta todo o tempo disponível para também respeitar o deadline.

A boa notícia, no entanto, é que você precisa apenas dos quatro passos abaixo para se beneficiar da Lei de Parkinson.

  1. Crie um senso de urgência em suas tarefas: isso vai te tirar de sua zona de conforto, bem como te dará mais tempo de qualidade e foco.
  2. Estabeleça metas ousadas: elas te impulsionam a fazer o que deve ser feito, mesmo que apareçam as distrações e os infames “ladrões de tempo”.
  3. Monte uma agenda: organize o seu dia, simples assim. Chega de perder tempo com o pensamento “o que farei agora?”. Determine horários e compromissos pré-estabelecidos.
  4. Relaxe: o descanso é mais que justo. Aproveite bem os seus intervalos interjornada e intrajornada.

Viu só como gestos considerados banais podem ajudar a aumentar a produtividade no trabalho?

 

4. Getting Things Done [GTD]

Você é do tipo de pessoa que pensa em várias coisas de forma simultânea, mas no final do expediente quase nada saiu do campo das ideias? Se a sua vida profissional é sufocada pelo conceito “Tudo Ao Mesmo Tempo Agora”, presente em um dos discos dos Titãs, o método Getting Things Done [GTD] é o que você precisa. Afinal, ser produtivo não significa fazer mais, mas sim aproveitar melhor o tempo. Para isso, é preciso ter a mente tranquila.

Inventando pelo norte-americano David Allen, consultor e instrutor em produtividade, o GTD existe há mais de 30 anos. Com o tempo, Allen reuniu diversos aprendizados e técnicas de produtividade em um livro chamado “Getting Things Done” – ou “A arte de fazer acontecer”, em português.

Em suma, o GTD se baseia em cinco passos. Observe abaixo como fazer as coisas acontecerem:

  • Coletar: é o momento de “tirar da cabeça todas as ideias e lembranças de coisas a fazer e passar para algum lugar mais confiável”. Nesta lista, você vai elencar obrigações, tarefas, projetos, objetivos e tudo o que requer sua atenção.
  • Processar: analise cada uma das coisas que coletou e decida o que fazer, o que delegar e o que vai virar projeto.
  • Organizar: organize suas listas! Tudo que for relacionado à sua vida pessoal, por exemplo, vai para uma listinha chamada “trabalho”. No diretório “pessoal”, inclua os assuntos pessoais.
  • Revisar: chegou a hora de fazer a revisão de todo o sistema. A ideia aqui é atualizar as informações e obter perspectivas.
  • Executar: não é só pegar a tarefa e terminá-la. É ter o engajamento para executar, naquele momento, a coisa mais importante que deveria estar fazendo.

Depois que usar o GTD, você descartará frases como “24 horas é pouco!” ou “fiz tanta coisa, mas parece que não fiz nada”.

 

A importância de ter produtividade no trabalho

Se você chegou até aqui, percebeu que ser produtivo é algo totalmente alcançável. Basta se organizar e usar as metodologias acima com bastante foco e atenção. O primeiro passo, inclusive, pode ser dado exatamente agora.

Os bons níveis de produtividade no trabalho farão de você um profissional mais engajado e melhor posicionado no mercado. Consequentemente, serão maiores as suas chances de conquistar cargos de liderança e, sobretudo, confiança. Em suma, o desempenho exemplar é fundamental para a construção de uma carreira longeva, vitoriosa e inspiradora.

Agora que terminamos essa conversa, que tal começar a colocar tudo isso em prática? Desde já, saiba que a equipe do Controle de Ponto Digital Genyo te deseja todo sucesso possível.

2 Comentários
  1. Rafael dia 16/02/2021 às 15:20 - Responder

    Excelente contéudo e dicas! 😊

    • admin dia 16/02/2021 às 16:00 - Responder

      Obrigado por sua percepção sobre o conteúdo, Rafael!

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)