Os 5 pilares da gestão estratégica de pessoas nas empresas
25 jan 2021

Os 5 pilares da gestão estratégica de pessoas nas empresas

gestão estratégica de pessoas

A gestão estratégica de pessoas é fundamental para o sucesso de uma empresa no mercado. Essa forma de gerenciamento busca desenvolver e aplicar ações que visam impactar os colaboradores. Nesse sentido, a intenção é mostrar para cada funcionário que a empresa não o enxerga como um ativo contábil, ou seja, as pessoas são mais importantes do que os números.

“Mas como será que essa metodologia de gerência funciona?”, sabiamente você nos questiona. Será que basta premiar os funcionários com salários compatíveis com a realidade da profissão? Ou então, quem sabe, uma cesta de Natal bem completa e um cartãozinho de agradecimento já são suficientes para resolver tudo? Na verdade, os processos de gerenciamento estratégicos são mais intensos. Todavia, não se assuste! Tudo é possível, desde que o setor de Recursos Humanos esteja disposto a atuar de formas inovadoras e inventivas.

Neste post, vamos entender quais são os cinco pilares da gestão estratégica de pessoas. Ao longo da conversa, ficará bem claro quais âncoras você deve usar para que a sua gerência de capital humano seja estrategicamente voltada para a valorização de cada membro do quadro de funcionários. Como consequência, você terá equipes engajadas, produtivas e alinhadas com a cultura organizacional da empresa.

Ficou instigado para conhecer mais sobre esse assunto? Então, continue por aqui. No final do nosso papo, suas ideias estarão devidamente oxigenadas para colocar tudo isso em prática.

Vamos lá?

 

5 pilares da gestão estratégica de pessoas

Assim como boa parte dos processos desenvolvidos em ambiente corporativo, a gestão estratégica de pessoas tem algumas bases. A seguir, você confere os cinco pilares que sustentam essa metodologia tão moderna e diferenciada para gerir capital humano.

 

1. Motivação

A motivação da equipe é fundamental para que um projeto seja desenvolvido de forma plena. A falta dela, em contrapartida, provoca desânimo, procrastinação e todas as distrações que impedem o funcionário de fazer uma eficiente gestão de tempo no trabalho.

O desafio aqui é compreender o fator que motiva cada um dos colaboradores a fazer parte da empresa. Uns buscam melhores salários e benefícios, outros procuram alinhar seus valores pessoais com a organização e há os que são movidos a desafios. Nesse cenário, cabe ao gestor de pessoas conhecer os componentes de seu time e empreender em cima dos fatores que mais os motivam.

 

2. Processos de liderança

A função de um líder é indispensável para o sucesso da gestão estratégica de pessoas. Em outras palavras, esse profissional talentoso, sagaz e carismático é peça chave para trabalhar a motivação dos demais colaboradores da empresa.

Os processos de liderança, contudo, ultrapassam a questão de anunciar ou celebrar os bons resultados conquistados pela equipe.

Antes de tudo, o líder precisa dominar certas habilidades. Nesse sentido, é imprescindível saber ouvir, bem como resolver conflitos e dar os feedbacks necessários – como a reunião One on One, por exemplo. Além disso, há a necessidade de entender o papel de mentor, ou seja, ser o exemplo que os liderados terão o interesse em seguir.

 

3. Treinamento e desenvolvimento profissional

Investir na capacitação dos funcionários é uma das formas de incentivo mais eficientes na gestão estratégica de pessoas. Funcionário bem preparado, trabalha mais motivado e aumenta os níveis de competitividade da empresa.

Já que o mercado passa por constantes transformações, o colaborador precisa se manter atualizado sobre suas funções. Por isso, é prudente promover treinamentos periódicos. Também são recomendáveis investimentos em programas de desenvolvimento profissional, ou seja, incentive e patrocine atividades que elevem o nível intelectual e as habilidades de seus funcionários.

 

4. Trabalho em equipe

No final do século XIX, em 1884, o escrito francês publicou a obra Os Três Mosqueteiros. Segundo consta, os protagonistas daquela fascinante história tinham como lema a clássica frase “um por todos e todos por um”. Dando um salto de cerca de 130 anos, podemos buscar no mote desses inesquecíveis personagens as referências para formatar um dos pilares da gestão estratégica. Trata-se do trabalho em equipe!

Trabalhar em equipe é ter em mente que os times são os componentes de uma célula, mesmo que os trabalhadores estejam envolvidos em projetos distintos. Na teoria, o discurso é bonito. Para funcionar de forma eficiente, no entanto, o gestor precisa encarar o desafio de eliminar quaisquer vestígios de competição entre as equipes. É aí que entra em cena a filosofia dos Três Mosqueteiros, cuja aplicação, você confere abaixo:

  • Promova a interação natural entre os colaboradores da mesma equipe. Um software de gestão de tarefas, como o Trello, monday.com ou Taskworld é uma ótima ferramenta para acompanhar os progressos das to do lists individuais, bem como do projeto em geral.
  • Organize reuniões para o acompanhamento de cada projeto. Quando todos da equipe ficam por dentro do desenvolvimento das etapas, é mais fácil manter o foco.
  • Incentive momentos de descontração, pois, em gestão estratégica, o ambiente organizacional nunca é só “colocar a mão na massa”. Momentos de conversa, sem colocar o trabalho em pauta, são mais que saudáveis para criar senso de união. Em outras palavras, você precisa incentivar a interação dos funcionários fora do horário de trabalho.

Com essas ações, você consegue desenvolver um quadro de funcionários unido, focado e engajado com a busca dos melhores resultados. Consequentemente, todos os envolvidos na cadeia do negócio saem com lucro.

 

5. Comunicação assertiva

Eis um pilar básico para o desenvolvimento saudável de qualquer relacionamento, sobretudo o profissional. Com bastante eficiência e clareza, a comunicação assertiva leva todas as informações traçadas no planejamento ao conhecimento de todos os colaboradores.

Acontece, porém, que se comunicar de forma efetiva vai além de enviar uma circular e informar sobre os acontecimentos do mês. Na verdade, é preciso saber dar e receber feedbacks, bem como ouvir as demandas dos colaboradores. Também é importante promover reuniões sobre todas as fases dos projetos, ou seja, do planejamento aos detalhes finais da execução, mas não sem passar pelos estágios de desenvolvimento de cada etapa.

Agora que você já conhece os 5 pilares da gestão estratégica de pessoas, nós aqui da equipe do Controle de Ponto Digital Genyo temos um recado importante: o assunto não acabou. Posteriormente, nós vamos conversar sobre como implantar essa forma de gerência tão eficiente. Até a próxima!

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)