A importância da gestão estratégica de pessoas nas empresas
18 jan 2021

A importância da gestão estratégica de pessoas nas empresas

gestão estratégica de pessoas

A gestão estratégica de pessoas é imprescindível para que uma empresa supere os desafios cotidianos relacionados à produtividade. Essa prática é indispensável para viabilizar processos, desenvolver as demandas e atingir os objetivos traçados para o desenvolvimento profissional de todos os colaboradores.

O termo “gestão estratégica de pessoas”, de fato, pode até soar como um jargão da área de Recursos Humanos. Esse tipo de gerência, no entanto, impacta diretamente no crescimento da empresa, promove vantagem competitiva e ajuda a moldar os propósitos da cultura organizacional.

Antes de tudo, preciso comentar que não é fórmula mágica para o sucesso de uma equipe de trabalho. Na realidade, conforme você verá a seguir, estamos lidando com uma série de vantagens que aumentam o engajamento dos funcionários com o empregador e, consequentemente, melhoram a produtividade e o posicionamento da empresa no cenário.

Neste post, vamos conversar sobre a importância da gestão estratégica de pessoas no dia a dia corporativo. No final das contas, você certamente estará pronto para tomar a decisão de implantar essas práticas aí nos seus negócios. Se prepare para conhecer um conceito que realmente revoluciona qualquer departamento de gestão de pessoas. Continue por aqui e não se arrependerá.

Vamos lá?

 

O que é gestão estratégica de pessoas?

A gestão estratégica de pessoas é o conjunto de práticas que viabiliza e alinha os interesses dos colaboradores com os da organização. Sempre intencionando promover o desenvolvimento do capital humano nas empresas, essas ações atuam no sentido de reter, captar e desenvolver talentos.

Visando a busca pela constante evolução profissional, esse modelo de gerência entende os anseios profissionais dos colaboradores. Em contrapartida, não há usurpação com os interesses da empresa e as atuações buscam propor medidas para que todas as metas sejam cumpridas. Com uso saudável da gestão estratégica de pessoas, você consegue:

  • Identificar, desenvolver e aplicar o capital intelectual dos colaboradores
  • Entender quais são as oportunidades e receios desses profissionais competentes
  • Compreender como os colaboradores ajudarão a atingir as metas
  • Mensurar as expectativas de ambas as partes
  • Analisar o nível das performances de cada colaborador
  • Potencializar o impacto que as equipes provocam na empresa

É importante ressaltar que esse trabalho pode ser feito tanto por profissionais de RH, quanto por todos os outros colaboradores que exercem cargos de liderança.

Por fim, mas não menos importante: o senso estratégico na gestão de pessoas percorre todo o ciclo empregado na empresa, ou seja, envolve as etapas que vão do recrutamento ao desligamento do funcionário. Desde já, você precisa mentalizar que essas vantagens são conquistadas com ações que envolvem motivação e engajamento.

 

Como surgiu a gestão estratégica de pessoas

O surgimento do Departamento Pessoal [DP] data de algum momento do século XIX. A principal atribuição do então novo setor era mensurar os custos das empresas. Naquela época a relação entre empregador e funcionário era relativamente objetificada, isto é, cada colaborador era visto como mais um ativo contábil da empresa. Portando, os números eram mais importantes do que as pessoas.

Com a criação da Consolidação das Leis do Trabalho [CLT], na primeira metade do século XX, no entanto, as empresas começaram a se preocupar com o cumprimento das leis trabalhistas. Naquele contexto, então, surgiram os profissionais responsáveis por fiscalizar o cumprimento destas regras. Posteriormente, a esse campo de atuação foi dado o nome de Recursos Humanos [RH].

Seguindo a evolução natural do mercado, os setores em questão foram assumindo demandas distintas. A partir da década de 1970, inclusive, o DP passou a focar exclusivamente nas tarefas mais operacionais, que envolvem a relação entre funcionário e empresa. Consequentemente, o RH começou a aplicar contornos humanizados ao outrora perfil cheio de características operacionais da função. Nesse cenário, por exemplo, foram elaborados os primeiros planejamentos estratégicos para reter talentos e trabalhar o lado motivacional das equipes.

Em razão dessa concepção humanizada na relação entre empresa e funcionário, surgiu a gestão estratégica de pessoas. A partir dessa mudança no ambiente corporativo, surgiu essa inovadora forma de gerência que trouxe práticas para engajar os membros da equipe e promover a cultura organizacional. Entre outras metodologias, aplica-se pesquisas para conhecer o perfil de cada colaborador, sempre no intuito de estreitar laços e conseguir extrair o melhor rendimento possível.

 

A importância da gestão estratégica de pessoas

O modelo de trabalho no cenário atual foca na identificação dos funcionários com a empresa, ou seja, o tempo em que o fator salário era o principal atrativo para um talento, já é coisa do passado. Nesse contexto, a gestão estratégica induz a busca por funcionários com características alinhadas ao pensamento do empregador. Afinal de contas, o capital intelectual é o ativo mais valioso em uma organização.

As boas estratégias na gestão de pessoas espantam o clima organizacional pesado, um dos responsáveis por afastar talentos, além de comprometer a qualidade das equipes de alta performance. Se não contar com essas práticas de gerência, inevitavelmente, você verá sua empresa sofrer com os impactos negativos do turnover. E, como todos sabemos, a alta rotatividade de funcionários não é bom para o score de um determinado negócio no mercado.

O uso correto dessas ações de valorização de pessoas, entretanto, facilita a criação de times engajados e que só fazem elevar a produtividade, bem como possibilita um melhor entendimento para coordenar os talentos. Além de desejar fazer parte de uma cultura organizacional que incentive possibilidades de crescimento, o colaborador precisa sentir que sua voz é ouvida. Funcionário feliz, entrega melhores resultados. Consequentemente, a firma ganha vantagem competitiva, virtude essa que reverbera no desempenho financeiro – incluindo atração de investimentos – bem como na qualidade dos serviços ou produtos.

Percebeu a importância de desenvolver essas práticas de gerenciamento em uma empresa? Mas para atuar de forma assertiva, sempre respeitando as individualidades de cada pessoa, você precisa entender os pilares da gestão estratégica de pessoas. Essa conversa, no entanto, ficará para um próximo post. Nos veremos lá, combinado?

Seja o primeiro

Qual sua opinião sobre o assunto?

Seu email não será publicado ;)